Roney Rodrigues

1 - 25 do total de 56 pensamentos de Roney Rodrigues

É sempre inverno para a criança iraquiana

Mesmo quando o vento do deserto abrasa a terra
o frio do coração grita alto do outro lado do portão.
O céu está carregado, bombardeiros ou nuvens?
No telhado de uma escola um morteiro aguarda calado,
enquanto a professora tenta ensinar sem ser interrompida por explosões.
Comida quente, dignidade e uma bandeira branca é o que almeja essa geração.

Torpedo no celular?
Essas crianças nunca ouviram falar,
mas quase todas elas sabem
o que fazer quando o torpedo despenca do céu.

Todas tem medo de demônios,
demônios humanos vestidos de preto
que aparecem na madrugada
para ceifar cada vestígio de felicidade.
O Eufrates é mais sangue que rio,
é mais morte que vida.

A maior arma da briga por terra ainda é o terror.
Eu clamo em voz alta:
Qual terror é maior do que mutilar crianças indefesas?
Qual terror é maior que jogar gasolina no direito à vida
e acender a chama da violência?

De bomba em bomba a humanidade regride ao pó.
Do outro lado do mundo, a justiça cega adormece
em leito quente e acompanha tudo pelo noticiário local.

RODRIGUES, Roney

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues
1 compartilhamento

em meus passos surdos
invado uma sala lotada
em meus fones uma utopia
em meu peito uma poça
essa umidade acumulada
se agrava quando o inverno vem

uma poesia escrita
com tanto desdém
no verso
de uma nota fiscal,
um rascunho de mim
exposto no aperto
de um bloco de notas

uma mancha de café
difama o branco
da minha gravata
uma ansiedade escarlate
mancha a neve
do meu sorriso.

Roney Rodrigues em "Ansiedade Escarlate"

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

Empatia
é levar a dor dos outros
dentro do próprio coração.

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

Quilos de maquiagem
em seu pescoço
para apagar as marcas
dos meus beijos.

Litros de bebidas alcoólicas
em sua despensa,
para detonar a solidez
do meu gosto.

Roney Rodrigues em "Contusão"

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

Eu furei o dedo
hoje cedo ao tentar
cortar o pão.
Não reclamei,
não chorei em vão.
Meu amor, eu sabia
Cortar o dedo
Não é nada,
pra quem cortou
o coração.

Roney Rodrigues em "Batom Vermelho"

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

Coração sem graxa, entorta de tanto desgaste

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

Coloco no papel toda a dor que não aprendi a carregar.

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

Oh mãe,
eu já sei escrever.
Acumulei tristezas mãe,
tenho pauta pra sofrer.
A vida aqui não é fácil,
como você disse que seria.
Eu devia ter ouvido mãe,
eu podia ter mergulhado
no seu abraço.
Podia ter chorado
no teu colo quente,
não nesse piso gelado.

Roney Rodrigues em "Ladrilho"

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

Eu sobrevivo
com essa vaga recordação
do seu lábio.
Você costumava ter
um leve gosto de morango
e era linda e gelada
como um floco de neve.

Roney Rodrigues em "Snow White Queen"

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

É fato que já é noite
e que a madrugada se arrasta
para dentro de mim.
Eu fico girando o mundo
que levo nas costas
vagando minha memória
à procura de sono.
Antes de adormecer
eu fico repetindo
os fatos do dia
O vento atravessando
meu tênis rasgado.
O rancor exibindo
sua cara lavada no noticiário.
A 'vodka' voltou para minha mão.
É fato que os malditos fatos
afetaram o meu afeto.

Roney Rodrigues em "Os fatos te afetam?"

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

Esses meus ombros magros
foram feitos para carregar você
e todos os seus problemas,
não hesite em me chamar,
eu volto correndo
eu me aconchego
em qualquer lugar.

Roney Rodrigues em "Meu Corpo Seu"

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

Me recordo muito bem,
eu, maestro do silêncio sabia te silenciar,
meus métodos impecáveis te jogavam pra longe
lembro da imagem do seu rosto inocente reluzindo
como um cometa e me acertando em cheio,
eu acordava suado no meio da madrugada
e ficava acordado até meu corpo se apagar,
porque minha mente nunca se apaga,
ela está sempre ligada repetindo meus erros
me levando para um passado recente
transbordando minhas lembranças.

O passado é um trem carregado apitando e saindo da linha, eu nunca fui bom corredor e sempre perco essa corrida.

Roney Rodrigues em "Memória Fumaça"

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

O inverno corta rente a carne
a ferida arde mais em quem sente
mais que os outros.
Em um ponto de ônibus qualquer
as horas demoram para passar
e o vento assopra loucuras geladas
no ouvido de uma moça que deixa escapar algumas lágrimas,
ela recolhe algumas gotas que caíram.
Com um lenço vermelho ela impede que vejam a fragilidade.
O frio mais assassino é um coração polar,
um coração tão frio que afasta qualquer alma
que ouse se encostar para esquentar.

Roney Rodrigues em "Coração Polar"

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

Quando um abraço acontece,
os corações se esbarram,
o calor estremece as veias,
as pontas soltas se ligam,
o relógio se retorce
e o tempo desacelera.
Amar é um grande descompasso,
é curvar o tempo e ser eterno
nem que seja apenas
por um momento.

Roney Rodrigues em "Descompasso"

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

Acredite, palavras são profecias. O que é dito volta com a ferocidade de um furacão ou com a maciez de um lábio apaixonado. O dia ainda não acabou, aproveite cada oportunidade para espalhar a cura de uma palavra boa.

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

Me leva na sua bolsa,
perto do teu kit de maquiagem,
perto das chaves do teu coração.
Me guarda no calor no teu colo,
enriquece minha presença
com memórias suas.
Me leva pra onde você for.
É só você chamar
que eu vou tropeçando.
Faz mais frio aqui nessa mesa
do que no bolso daquele teu
jeans preto rasgado.
Me alegra ser um chaveiro,
pois de vez em quando,
eu fico grudado em você.

Roney Rodrigues em "Chaveiro"

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

cuidado com espinhos pequenos
cuidado com palavras pequenas
cuidado com abraços curtos
cuidado com beijos abreviados.
cuidado com pequenas armadilhas
cuidado com pequenas medidas

Cuidado pois ninguém tropeça em montanhas,
são as pedras pequenas
que mais quebram a gente.

Roney Rodrigues em "Sobre coisas pequenas"

Roney Rodrigues
2 compartilhamentos

Eu queria ser viajante do tempo,
embarcar nos trilhos da memória.
Queria me encontrar
aos quarenta e cinco anos.
Queria encostar a minha
mão do passado
no meu rosto do futuro,
olhar no fundo dos olhos marcados,
mostrar fotografias empoeiradas,
me abraçar por horas e dizer
que compreendo as cicatrizes.

Eu diria agora e sempre,
eu ainda sou 1% do que posso ser.
Carne e osso é pouco pra mim,
eu quero ser verso e poema,
quero ficar gravado na pele dos muros,
quero ser escrito nas placas de trânsito,
quero ser pichado na mármore dos corações
de cada cidadão dessa nação.

Roney Rodrigues em "Mochileiro do Tempo"

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

Ora não seja tão rude assim.
Enquanto o mundo gira,
você fica aí estacionando
suas mágoas no aperto
desse apartamento.
Vem aqui fora ver as estrelas,
vem aqui fora me abraçar.
Ainda faz um tempo bom
para sonhar com melhoras.
Ainda faz um tempo bom
para se perdoar sem demora.

Roney Rodrigues em "Quase Inverno"

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

Um pai joga a filha do sexto andar de um prédio
e jura inocência aos policiais.
Bandidos roubam um carro e não permitem
que uma mãe retire seu filho de seis anos
de dentro do carro, o menino fica pendurado
pelo cinto de segurança do lado de fora do veículo
e é arrastado por sete quilômetros de distância.
Menores de idade sequestram um casal de jovens
que acampava, após abusarem da moça em forma
de rodízio, um dos menores a assassina na frente
do namorado e depois atinge o jovem com golpes
de facão, o jovem morre por traumatismo craniano.

Abra os olhos,
não se deixe enganar,
o inferno é aqui na Terra!

Roney Rodrigues em "O Inferno é aqui"

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

Se tu soubesse como dói
ser desajustado e confuso
talvez não me olharia
como olha para
o palhaço do circo.
Talvez enxergaria
algum sentido
nas minhas palavras disléxicas.

“Abundância de sentimentos foi o que me acabou.”

Essa rotina de beber
para esquecer lesões internas
matou Van Gogh aos 37 anos.
Outra vítima do desajuste,
o mesmo desajuste que
me persegue todo dia
quando saio do serviço.

Roney Rodrigues em "Absinto"

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

Uma bala de amor,
outra bala de rancor.
Ao pressionar o gatilho
de uma paixão,
nunca saberemos
qual bala deixará
o rastro da destruição.

Roney Rodrigues em "Roleta Russa"

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

Finalmente você chegou,
achei que não viria,
achei que nunca te conheceria.
Rastejei por anos
como quem vive
no limo de um poço,
no fundo de um porão.
O amor veio como
tempestade sem trovão.
O grande estrondo veio
do ranger de um coração
enferrujado.

Esperei mil anos
nessa minha aflição.
Seu olhar claro,
seu abraço comprido,
é o lar mais aconchegante
em que já estive.
Logo eu que não tinha nada,
agora tenho um reino,
um império só meu,
um peito quente
para repousar o fardo
de não ser poeta,
o peso de não saber rimar.

Roney Rodrigues em "Bruma"

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

Eu fico triste
por essa geração.
As crianças não jogam
mais taco na rua.
Não tem mais
time da rua de cima
contra time da rua de baixo.
As calçadas
não tem mais marcas de giz.
Ninguém toca mais
campainha pra sair correndo.
Mas ainda brincam
de polícia e ladrão
aqui no quarteirão,
só que ao invés
de cano 'pvc' nas mãos,
a criançada sai armada
de fuzil e “três oitão”.

Roney Rodrigues em "Triste Geração"

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues

Garoto pobre da zona sul,
de roupa e alma rasgada
tecia seu verso, incerto
em seu velho caderno azul.

O telhado tinha uma goteira,
o madeirite tinha uma fresta,
Pela fresta assistia o universo,
A lua, as estrelas, que linda festa.

O dinheiro que o pai trazia,
dava pro pão, mas faltava pra vida.
A mãe dizia menino larga esse caderno
que isso não dá futuro, só ferida.

O garoto da favela nunca esqueceu a viela,
o povo, a dor, a sirene e o caderno.
Foi pro mundo muito cedo,
comprou um livro, vestiu um terno.

Nunca contestou as palavras
afiadas de sua querida mãe.
Desobedeceu ela até o fim da vida.
Em seu jazigo um poema:

Morreu o poeta da viela,
Venha estrela e venha lua,
espiar por entre a fresta.
Venham cear nessa rua,
Chorar a morte, fazer uma festa.
Cantar seus versos, contar seu amor
Fazer com que saibam que poetas
também nascem do calor da favela.

Roney Rodrigues em "Poeta da Viela"

Roney Rodrigues
Inserida por RoneyRodrigues