Rômulo Bourbon

1 - 25 do total de 454 pensamentos de Rômulo Bourbon

CIDADEZINHA QUALQUER

O canto de um galo ao amanhecer
O sol entrando pelas janelas
Agricultores com enxadas na mão
As vacas em frente de casa
Dona Severina preparando o café
Moleques roubando goiabas do vizinho
O sino da escola tocando
O entardecer
A tranquilidade
A natureza na sua melhor forma.

Rômulo Bourbon

SER CRIANÇA

Ser criança é
Viajar ao planeta dos sonhos
Fantasiar a realidade
Tornar real a fantasia.

Ser criança é
Brincar com a seriedade
Desafiar a gravidade
Ter a melhor idade.

Ser criança é
Navegar no mar da ilusão
Surfar ondas da imaginação
Velejar além do alcance da visão.

O que seria do mundo sem as crianças?
Um deserto de tristeza?
Um rio de solidão?

Seria um vazio imenso
Um nada
E nada mais.

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

⁠O ESCRITOR

Posso ser homem
E até ser mulher
Ideias me consomem
Sou coisa qualquer

Posso ser astronauta
Alienígena, talvez
Um mero internauta
Africano, chinês

Posso voltar no tempo
Ou ir direto ao futuro
Até congelar o momento

Posso derramar ódio
Ou transbordar amor
Prazer, sou o escritor

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

⁠ÉRIDA

Sem chão nem Fé, me vi flagelado
bem apegado a um Amor tinhoso.
Devaneando, morto, ao Sol do Descaso,
vi o mundo ruir. Abismo vultoso.

O bailar de Érida, Corpo equilibrado,
vinha mostrar seu Passo virtuoso.
Era o Baile corrente, aclamado,
tecido nos Saltos sem pouso.

E veio o Sonho: e foi desperdiçado!
E veio a Morte: o luto renovado,
o espinho encravado em meu pé!

Tudo indicava o Sol! Fiquei embaixo,
na Prisão que estive e em que me acho,
a Sonhar e a bailar, sem chão nem Fé!

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

⁠SÃO JOÃO
É noite de São João,
no pátio tem atração,
simbora forrozar/
Tem quadrilha à noite inteira,
o povo acende a fogueira,
come milho e munguzá/
Gibão e mandacaru,
Petrolina e Caruaru,
eu tenho que visitar/
Muito amor no coração,
essa é minha região,
o Nordeste é meu lugar.

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

⁠QUARENTENA

Chovia. Lembro da praia vazia, do céu cinzento,
No meio da tarde de um domingo nublado.
Belle de Jour, Alceu não a teria avistado,
Posto que era época de isolamento.
Chovia. Parei no tempo por um momento...

Tão longas eram as noites de confinamento,
Nem pareciam finitas. Casal distanciado.
Mas o amor haveria de ser preservado,
Posto que se pretendia o seu avivamento.
Chovia. No coração, um sentimento...

Não apareceu o sol, mas soprava o vento no mar.
A pandemia congelara a vida,
Mas ontem ela voltou a pulsar,
Ao te rever, minha querida.
Chovia. Havia sobrevida...

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

⁠Há muitas centenas de bilhões de estrelas no universo.
Assim são as suas possibilidades.
Faça boas escolhas.

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

⁠⁠CAJUÍNA-MENINA
(Ode à cidade de Teresina)

Diante de mim, a cajuína-menina
do campo, Moça meiga e valente.
À beira do Poti, a estátua imponente
do Cabeça de Cuia. Hora vespertina.

Mas o Riso de anjo da pequenina
atravessava a ponte, águas correntes;
e o Rio Parnaíba, à minha frente,
cortava a cidade-luz, Teresina.

E enquanto eu declamava Torquato
e Costa e Silva, rio abaixo, rio arriba,
quando nem havia ponte estaiada,

o Sol fulgurante, no artesanato,
vinha alçar-se, no céu, lá em riba,
brilhando no rosto de minha amada.

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

Na mansa relva
Ergue teu olhar
Pois até na selva
O sol há de brilhar

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

⁠PRAIA ILUMINADA

Fogos de artifício, o céu sorria
Sobre o mar da praia iluminada.
O vento no rosto da meninada
Anunciava um ano que se abria!

Ela, a sereia do mar, era só magia,
Pulando ondas d’águas quebrantadas!
Ele, pés descalços na areia molhada,
Era o príncipe da terra da alegria!

Eram os mais belos se abraçando...
Amados filhos lá se divertindo...
Formas puras no mundo brincando...

Não se esqueçam de mim, anjos lindos!
Por vós - as noites eu velei chorando,
Por vós - os dias eu vivi sorrindo!

Rômulo Bourbon

⁠Quando o amor é verdadeiro, o tempo e a distância não são suficientes para extingui-lo. Ele sobrevive.

Rômulo Bourbon

⁠No vocabulário, Esperança vem depois de Desistir. Seguindo a ordem, veremos Fé, Motivação, Paciência. E lá no final teremos Sucesso e Vitória.

Rômulo Bourbon

⁠AURORA BOREAL

Verde do céu as luzes são brilhantes
Acelero o carro sigo o campo da minha visão
Hoje eu fui até o polo norte
E vi o vento solar

Que vem do espaço, você é meu futuro
No teu sorriso eu vejo a aurora boreal
Ontem adormeci e te quis comigo

Você não cai do meu firmamento
E eu me pergunto aqui se é natural
É um sonho ou será a vida real?

Entre o sabor de um beijo como o seu
Sigo o desejo que vem do meu coração
Do entardecer eu sei o que posso guardar

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

⁠NEOWISE
(Dedicatória ao cometa que passa nos céus)

Passei a noite vendo o cometa.
Sentado bem no topo do monte,
olhei para a linha do horizonte,
e vi o Neowise de minha luneta.

Aos dez anos, criança espoleta,
vi o Halley por alguns instantes.
Como eles, somos só visitantes
por tempo certo nesse planeta.

Como era linda a cauda brilhando!
Nem acredito que era só de poeira!
No alto do céu lembro dele voando!

Mas é triste e dói na alma inteira
sentir todo o mundo ir passando...
Tal qual cometa, vida é passageira!

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

Imemoráveis Dias do Pai

Dez anos de Alzheimer ele padecia.
João, pai de Isabela, jovem bela,
Lhe indagava sobre o dia, e dizia ela
Que era Do Pai aquele novo Dia.

Os dias, na esperança de um só dia,
Passavam, e a filha, com cautela,
Repetia: “pai, meu nome é Isabela”.
Mas em poucas horas ele o esquecia.

Vendo o passar dos anos com o decano
Lhes foram assim cuidando do ancião,
Repetindo sempre as mesmas histórias.

Começa de cuidar outros dez anos,
Dizendo: – “meu nome é Isabela, paizão”.
Desse amor não lhe advirão memórias.

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

⁠Enxergue o mundo pelas retinas de seus olhos, e não pelas lentes de seu smartphone, pois o que os olhos não veem o coração não sente.

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

⁠O maior legado da humanidade é o livro. Ele atravessa gerações, educando jovens e adultos, construindo sociedades livres.

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

⁠VITÓRIA-RÉGIA
As vitórias-régias e a praça arborizada
O cair-da-tarde no bairro de Casa Forte
Os jovens e adultos praticando esporte
São encantos de Recife, cidade amada

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

Astronautas olham a Terra
Na lua distantes no espaço
Por lá eles não têm guerra
E também não têm abraço

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

⁠Olha o céu
Abre a janela e vê o sol
Que no silêncio de estar só
Irradia o quarto teu

Olha o céu
Abre a porta e vê a lua
Que à noite clareia a rua
E ilumina o sonho teu

Olha o céu
Que as estrelas estão lá
E o universo é só teu

Olha o céu
Que o futuro então virá
Nesse mundo meu e teu

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

⁠O Rei do Futebol

Da cadeira de rodas eu só via
As crianças na rua brincando
Em jogar bola vivia sonhando
Mas fazer aquilo eu não podia

Minha mãe me dizia chorando
Que eu sofria de microcefalia
E eu nunca fazia o que queria
Só fazia ver o tempo passando

Mas num dia eles me chamaram
E no jogo todo mundo me ajudou
Até para pênalti me selecionaram

Chutei bem fraquinho mas fiz o gol
Rostos felizes, eles me aclamaram
E pensei: "O Rei do Futebol eu sou"

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

⁠Vim aqui rapidamente
Desejar com energia
Parabéns aos psicólogos
Porque hoje é seu dia
Está na hora de festejar
Viva a psicologia!

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

Estou muito feliz hoje
Com a linda conjunção
Lua e Júpiter no céu
Chamando toda atenção
E aqui todos na Terra
Os vendo com emoção

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

⁠Adeus Pantera Negra
Descansa agora em paz
Infelizmente não terei
Meu heroi forte e sagaz
Porém tenho a certeza
De que no céu tu lutarás

(Poesia dedicada ao ator Chadwick Boseman, o Pantera Negra dos cinemas, que morreu em 28 de agosto de 2020, aos 43 anos de idade, vítima de câncer).

Rômulo Bourbon
Inserida por RomuloBourbon

⁠Nossa vida é passageira
O tempo não vai esperar
Então faça como eu
Que no céu vivo a brilhar
Venho nova e crescente
Venho cheia e minguante
E não deixo de sonhar

(Lua)

Rômulo Bourbon