Renata Pacheco Bráz

Encontrados 2 pensamentos de Renata Pacheco Bráz

Minha antiga insônia esta me fazendo visitas ultimamente, meu sono esta vindo depois das 2:00. Estou ouvindo chapter one – lifehouse, gosto de ouvir ela quando o sono se esconde em algum canto da casa e me deixa com preguiça de procurá-lo. eu ainda não sei se são essas saudades acima do normal que estão me tirando o sono, ou algum barulho que embora não exista me atrapalhe ao tenta pregar o sono. acho que é mais por uma bagunça, não digo fora parte das minhas roupas. falando nisso elas estão totalmente desorganizadas. me desculpe ando sem tempo, eu quero andar sem tempo.. mas não fugindo do inicio to falando da minha bagunça pessoal, nossa, essa é pior ainda porque eu nunca sei o lugar certo para guarda as coisas. sabendo que: calcinhas combinam com gavetas, e sapatos com sapateiras. eu ainda não encontrei um bom lugar para guarda a saudade, e dentro disso tudo principalmente o amor eu nunca sei o lugar certo, ele nunca consegui se ajeitar em qualquer lugar, acho que precisa de um lugar especial. conheço alguém que guarda o amor no pé me falaram que era pra ser mais fácil de pisar, porque o amor machuca muito sabe. outra guarda o amor nos olhos, para nunca perde-lo o de vista.. uma no coração na parte dita como diamante do corpo uma estrela voluntária que você precisa pra você pode brilhar.. e eu não sei ainda onde guarda o meu, deixo isso em aberto ate encontrar o lugar certo. a minha saudade hoje posso falar que guardo na minha boca, pra mim ela é o lugar perfeito como a borboleta que pousa e vai embora, umas voltam.. essa? talvez... minhas roupas: tem gente que arruma-a por cor a cor, marca com marca, bolinhas e listras, eu prefiro o método antigo de empilhar tudo nunca canto, eu quase nunca acho nada.. inventarei uma maneira mais pratica para arruma guarda roupas.. pra disfarça eu so queria arruma um bom lugar pra guarda o amor, porque a saudade fala comigo agora enquanto eu ainda tento dormi.

Renata Pacheco Bráz
2 compartilhamentos

Quem sabe um dia ainda falaremos sobre esse assunto, mas não agora. Sei que ainda não estou totalmente preparada, ainda não estou imune ao passado, e ter jogados suas lembranças me fizeram bem. Apenas so enquanto escrevo lembro-me de musicas e gostaria de qualquer varinha mágica para te tirar da minha memória. Embora dói-me, embora odeio-me por não conseguir ser tão forte ao ponto do que eu sou, sei que posso ser mais forte que tudo isso. Por isso eu sumo. por isso eu fui embora. E te tranquei num lugar onde você nunca mais poderá sair, mesmo que esteja lá .foi adeus.. A D-E-U-S significar ir e nunca mais voltar, como a morte, a morte que eu dei a você.

Renata Pacheco Bráz
3 compartilhamentos