Biografia de Pe. Zezinho

Pe. Zezinho

Padre Zezinho é um padre católico brasileiro, nascido em Machado, Minas Gerais, no dia 8 de junho de 1941. Ele é conhecido também por outras habilidades, como escritor e músico.

Padre Zezinho tornou-se padre com 25 anos de idade, nos Estados Unidos, e usou vários meios de comunicação, como o teatro e a música para propagar sua evangelização pelo mundo todo.

Pe. Zezinho é um dos maiores fenômenos da música cristã no mundo e suas apresentações estão sempre lotadas. Ele foi um dos pioneiros da música católica popular, usando instrumentos modernos como a guitarra elétrica e a bateria em suas apresentações. Pe. Zezinho já gravou discos em mais de 5 idiomas e em 2010 chegou a receber indicação ao Grammy Latino na categoria "Melhor Álbum de Música Cristã".

Atualmente, Padre Zezinho apresenta um programa em várias emissoras de rádio Católicas no Brasil e também um programa de TV. Algumas de suas canções mais famosas são "Um Certo Galileu", "Maria de Nazaré", "Amar como Jesus Amou" etc.

Acervo: 4 frases e pensamentos de Pe. Zezinho.

Frases e Pensamentos de Pe. Zezinho

Há certas coisas que cabem melhor dentro do silêncio; outras cabem muito mais ainda nas mãos de Deus.

Pe. Zezinho
436 compartilhamentos

Utopia

Das muitas coisas
Do meu tempo de criança
Guardo vivo na lembrança
O aconchego de meu lar
No fim da tarde
Quando tudo se aquietava
A família se ajeitava
Lá no alpendre a conversar

Meus pais não tinham
Nem escola, nem dinheiro
Todo dia, o ano inteiro
Trabalhavam sem parar
Faltava tudo
Mas a gente nem ligava
O importante não faltava
Seu sorriso, seu olhar

Eu tantas vezes
Vi meu pai chegar cansado
Mas aquilo era sagrado
Um por um ele afagava
E perguntava
Quem fizera estrepolia
E mamãe nos defendia
Tudo aos poucos se ajeitava

O sol se punha
A viola alguém trazia
Todo mundo então pedia
Pro papai cantar com a gente
Desafinado
Meio rouco e voz cansada
Ele cantava mil toadas
Seu olhar ao sol poente

Passou o tempo
Hoje eu vejo a maravilha
De se ter uma família
Quanto muitos não a tem
Agora falam
Do desquite ou do divórcio
O amor virou consórcio
Compromisso de ninguém

E há tantos filhos
Que bem mais do que um palácio
Gostariam de um abraço
E do carinho entre seus pais
Se os pais amassem
O divórcio não viria
Chamam a isso de utopia
Eu a isso chamo paz.

Pe. Zezinho
3 compartilhamentos

Mensagem:
"Não há palavras para expressar essa dor.
Não há livro que a descreva. Por isso, o melhor jeito de consolar é falar pouco, orar junto, sentir junto e estar presente, cada um do jeito que sabe.
Palavras não explicam a morte de alguém querido.
Sabem disso o pai, a mãe, os filhos, os irmãos, os avós, o namorado e a namorada, o marido e a mulher, amigos de verdade.
Quando o outro morre, parte do mistério da vida vai com ele.
À parte que fica torna-se ainda mais intrigante. Descobrimos a relação profunda entre a vida e a morte, quando alguém que era a razão, ou uma das razões, de nossa vida vai-se embora.
Para onde? Para quem?
Está me ouvindo? A gente vai se ver de novo?
Como será o nosso reencontro?
Acabou-se para sempre, ou ela apenas foi antes?
Por que agora? Por que deste jeito?
As perguntas insistem em aparecer e as repostas não parecem claras...
Dói, dói, dói e dói...
Então a gente tenta assimilar o que não se explica, cada um do jeito que sabe.
Há o que bebe, o que fuma, o que grita, o que abandona tudo, o que agride, o que chora silencioso num canto, o que chama Deus para uma briga, o que mergulha no fatalismo e o que, mesmo sem entender ou crer...
Aposta na fé!
Um dia nos veremos de novo... Enquanto esse dia não vem, quem eu amo, que se foi, me vê, me ouve e ora por mim, lá junto de Deus.
Para ela, a vida tem, agora, uma outra dimensão... Alcançou o definitivo.
Quem fica perguntando e sofrendo somos nós. Mas, como a vida é um riacho que logicamente deságua, a nossa vez também chegará e, quando isso acontecer, então não haverá mais lágrimas.
As que aqui foram choradas terão a sua explicação.
Por enquanto, fica apenas o mistério.
Alguém que não sabemos, porque nasceu de nós, e porque cresceu em nós, porque entrou tão de cheio em nossa vida, fechou os olhos e foi-se embora.
Quem ama de verdade não crê que se acabou.
A vida é uma só: começa aqui no tempo e continua, depois, na ausência de tempo e de limite.
Alguém a quem amamos se tornou eterno.
E essa pessoa já sabe quem e como Deus é!
E também sabe o porquê de sua partida...
Por isso, convém falar com ela e mandar recados a Deus por meio dela.
Se ela está no céu, então alguém, além de Deus, de Jesus e dos santos, se importa conosco.
Definitivamente, não estamos sozinhos, por mais que doa a solidão de havê-la perdido.
Mas é apenas por pouco tempo. Quem amou aqui, sem dúvida, se reencontra no infinito..." (Pe. Zezinho)

Pe. Zezinho
1 compartilhamento

Se eu morrer antes de vc

Pe. Zezinho
Inserida por josenita_araujo