Neiva Chemite

51 - 75 do total de 99 pensamentos de Neiva Chemite

⁠POEMINHA DA ALEGRIA

De quantos versos preciso
para compor meu poema
sobre a força revolucionária da alegria?
Apenas um: “a mim basta que você sorria.”

*Para meus filhos Isabele e Rodrigo.

Inserida por PalavraMotriz

⁠LETRAS MORTAS NO PORÃO

Houve um tempo em que letras
eram soterradas a sete palmos do chão.
Junto a corpos dizimados
pela ignorância de fuzil na mão.
Letras sem fala, sem grafia.
Esmagadas por coturnos
em um país soturno.
Nas ruas, o carnaval passava
enquanto a vida sem plenitude agonizava.
Mas ninguém notou.
Ninguém viu.
E uns ainda clamam,
renunciando à própria palavra,
por esse carnaval sombrio.

Inserida por PalavraMotriz

⁠ANDARILHOS

Somos andarilhos no tempo
trocando de roupa a cada nova jornada.
Vestes masculinas e femininas
em predominância ou mescladas.
As cores se alternam entre branca, preta, amarela
e todas as cores da aquarela.
Levando conosco, das escolhas, as pegadas.
Evoluindo a largos passos
ou refazendo trajetos
na busca de uma nova estrada.
O tempo infindo corre conosco
e se amalgama em nós.
Paralisa quando nos detemos nos nós,
até desatarmos os apegos,
vencermos os medos,
qualificados para uma nova morada.
Há que se caminhar
com o livre-arbítrio que nos valida a vida,
podendo ser andarilhos de trilho ou de trilha.

Inserida por PalavraMotriz

⁠SOLTE AS RÉDEAS DA TUA POESIA

Tua poesia não se restringe
às letras encadeadas do poema,
que escreveste ou não.
Tua poesia sorri
na gratidão da tua paciência aos esquecimentos do pai.
No humor ao olhar de tua mãe, que te eterniza na infância.
Na amorosa tolerância aos defeitos dos teus amigos.
E na tua resignação ao ninho
vazio pelo voo justo dos teus filhos.
A poesia, que te é inerente,
mora em ti quase anônima
e exala na tua humanidade manifesta
em meio ao caos e o improvável,
feito florada fora de época.

Inserida por PalavraMotriz

⁠AVISO

Antes de vir me foi dito:
Não terás nada de seu
nessa passagem.
Entenderás que a vida terrena
é só uma viagem.
E tudo que te pareça
material, sedutor e intransponível
é apenas miragem.

Inserida por PalavraMotriz

A PARTIDA DA MENINAZINHA

A menina só

caminha pela cidade bela.

E a cidade

ri e zomba

da menina velha.

Os olhos tristes

da meninazinha têm vida.

Romperão ciclos sistêmicos de desamor

sobrevivendo à presença esquecida.

A perspicácia do olhar,

camuflada em azul do céu noturno,

vai furar o cerco que a aprisiona ali.

A menina não sonha

apenas cria outras realidades para existir.

Ignora príncipe encantado.

Prefere se armar com palavras para fugir.

Levará consigo uma bomba de melancolia

que, quem sabe um dia,

explodirá em poesia.⁠

Inserida por PalavraMotriz

O QUE DEVERIA TER SIDO DITO

Palavra guardada

é navalha que nos corta por dentro.

É sangue pisado.

O indigesto não transbordado.

É morte que se faz presente em vida.

É carne crua

que apodrece escondida.

O som invertido

ecoado no íntimo.

Sem ruído.⁠

Inserida por PalavraMotriz

⁠ARREDIA
No armagedon digital
o cliché cospe na sabedoria.
Proliferam-se escritas sem alma,
métricas perfeitas sem poesia.
Frases de efeito simulando profundidade.
Moralismo decadente sob a aura de verdade.
Romantismo velhaco
retirando das mulheres seu valor
na conversa fiada do que se supõe amor.
A produção literária continua patriarcal.
Overdose de postagens cômicas
disfarçando nossa decadência cultural.
O exibicionismo corporal
fazendo das palavras escadaria.
A miserabilidade educacional de um povo
disfarçada de alegria.

Inserida por PalavraMotriz

⁠SE A TUA POESIA NÃO VINGAR...

Come os frutos das tuas palavras
que outros não quiseram provar,
sorvendo o líquido doce da tua intenção
que jorra da tua fonte de criação.
Se a terra em que plantaste o poema é ressequida,
sorri, dentro de ti, pelo solo fértil que ofertas à vida.
Se a tua poesia não vingar em plateia ou publicação,
outros tantos poetas,
no ofício gratuito e incessante da palavra talhada,
por certo te vingarão.

Inserida por PalavraMotriz

⁠NÃO OLHE PARA DENTRO!

É o comando tácito dos “donos do poder” no domínio da tua atenção, abocanhando-a para a vida virtual, para a jaula dos confinamentos humanos chamada reality show, para a polarização político-ideológica, para o consumismo, para a competitividade social, para a neurose da beleza física... enfim, para tudo o que não seja a vida consciencial que pulsa, ainda enigmática, dentro de ti.
Portanto, olhe para dentro e decifra-te, antes que te devorem...

Inserida por PalavraMotriz

⁠A falta de humildade para aprender nos faz enxergar a própria arrogância no próximo, mesmo que ele tenha apenas a intenção de compartilhar para aproveitamento alheio o que já experienciou.
Vivemos a era da arrogância muito bem disfarçada sobrótulos. Qualquer opinião vira julgamento, qualquer ensinamento bem-intencionado vira "caga-regra", e tudo o que é antigo virou inaproveitável. Estariam as palavras sendo reféns da nossa falta de sabedoria coletiva?

Inserida por PalavraMotriz

⁠"Polarização política só existe na base de apoio. Minha humilde e sábia mãe já dizia: enquanto vocês brigam, eles (os políticos) comem no mesmo cocho."

Inserida por PalavraMotriz

⁠VIVEMOS DEPOIS DA VIAGEM?
Seguimos vivendo não só pela lembrança dos que ficam,
mas pelas memórias que levamos.
Nossos rastros, pelo avanço natural do tempo,
um dia se dissiparão.
O que carregaremos, então, na consciência imortal?
Levaremos as feridas abertas dos tombos
ou os aprendizados em cicatrizes tatuados?
As mágoas dos desapontamentos
ou a cura das nossas ilusões?
As imperfeições dos nossos pais
ou a retidão de suas intenções?
Eventual tropeço dos nossos filhos
ou a alegria de tê-los feito caminhar?
O que absorvemos desta vida
e o que escolhemos levar?
Que a mochila “da nossa viagem” seja leve,
contendo só o necessário
para um retorno breve.

*Essa abordagem é reencarnacionista e é “apenas” a minha forma de pensar sobre a continuidade da vida. Confie na sua própria percepção, que de antemão respeito.

Inserida por PalavraMotriz

⁠95% do universo é composto de matéria ainda indecifrada pela ciência.
E você acha mesmo que suas convicções são inabaláveis?

Inserida por PalavraMotriz

⁠Se achamos que a empresa merece a nossa alma, será por isso que ela joga nosso corpo fora quando adoecemos?

Inserida por PalavraMotriz

⁠Político nenhum te ama. Então faça do teu voto um instrumento de cobrança, não uma aliança.

Inserida por PalavraMotriz

⁠Quem não fala o idioma da tua alma não tem o direito de te traduzir.

⁠Não há chuva de curtidas que valha a autenticidade de uma escrita.

⁠⁠Quantos entulhos que deixaram na tua vida você teve que tirar antes de construir teus alicerces?

Inserida por PalavraMotriz

⁠Tem gente que faz com o tempo malabarismos, interpretando-nos no presente pelo passado, do qual já nos despedimos.

Inserida por PalavraMotriz

⁠Há quem se vanglorie de não portar carros caros e grifes, alardeando sua humildade, mas ostenta tanta vaidade na falsa simplicidade, que um carro top de linha comparado com o seu ego parece uma carrocinha...⁠

Inserida por PalavraMotriz

⁠Quanta gente já nos amou, sem saber, pelo avesso... dando-nos elevada importância na persistente falta de apreço.⁠

Inserida por PalavraMotriz

⁠Não tenho zona de conforto! Só zona mesmo...

Inserida por PalavraMotriz

⁠Quando eleitores que elegem um governo agem como se do governo fossem, começa o desgoverno.

A VIDA IN VITRO

⁠Talvez não seja preciso decifrar tanto a vida...
Apenas executá-la
transitando entre conjecturas com cara de ciência,
o irracional dos sentidos
e o pragmatismo do fazer.
Talvez.

Inserida por PalavraMotriz