Biografia de Martinho Lutero

Martinho Lutero

Martinho Lutero (1483-1546) foi um sacerdote católico, alemão, o principal personagem da Reforma realizada na Europa no século XVI que levou à fundação do protestantismo.

Martinho Lutero

Martinho Lutero nasceu na Turíngia, na Alemanha, no dia 10 de novembro de 1483. Filho de um mineiro que chegou a ser conselheiro na pequena cidade de Mansfeld foi criado em um ambiente religioso e de disciplina rigorosa, com histórias de demônios, feiticeiros e superstições que marcaram sua infância.

 Com 18 ingressou no curso de Direito na Universidade de Erfurt, mas em 1505 desistiu da carreira para entrar no Mosteiro Agostiniano de Erfurt. Em 1507 ordenou-se e prosseguiu sua formação na Universidade de Wittenberg.

Em 1910, Lutero foi enviado a Roma para tratar de assuntos da ordem. Nessa viagem, Lutero ficou chocado com a frivolidade da cúria romana. Em 1512 doutorou-se em Teologia e dedicou-se a atividades pastorais e ao ensino de Teologia.

Reforma Protestante

No início do século XVI, não existia um Estado nacional alemão, os vários estados eram governados por príncipes subordinados ao Imperador do Sacro Império Romano Germânico, ligado ao papa.

Estava cada vez mais difícil viver sob a tutela da Igreja. Todas as taxas arrecadadas pela igreja seguiam para Roma. Vários príncipes já não toleravam qualquer interferência externa em sua jurisdição.

A solução seria a formação de uma igreja nacional, que remodelasse os preceitos do cristianismo. A Alemanha estava pronta para uma reforma.  

No dia 30 de outubro de 1517, Martinho Lutero revoltado com a venda de indulgências feitas em nome do Papa Leão X, que permitia a troca de penitências por um pagamento de uma soma em dinheiro, fixou na porta da Matriz suas 95 teses contra esses abusos.

Em pouco tempo, se tornou claro que as teses de Lutero exprimiam os sentimentos de boa parte da população que achava difícil viver sob a tutela da Igreja.

Sob a proteção do príncipe Frederico da Saxônia, Lutero recusou o pedido de retratação e deu início a uma campanha aberta dentro da própria Igreja. Em 1520, Lutero queimou publicamente a bula papal, que dava sessenta dias para sua completa retratação.

Diante de uma iminente excomunhão, Lutero decidiu registrar sua opinião por escrito e redigiu três célebres tratados que estabeleceram a base do Luteranismo e o início da Reforma:

  • A Natureza Cristã da Nação Alemã
  • Da Servidão Babilônica da Igreja
  • Da Liberdade de Um Cristão

Neles, Lutero afirma a salvação do homem apenas pela fé, negava todo tipo de autoridade por parte de Roma e incitava à livre interpretação das Sagradas Escrituras, única autoridade existente.

Em 1521, Lutero foi excomungado e obrigado a se refugiar no castelo do príncipe Frederico III. Iniciou a tradução da Bíblia para o alemão o que iria permitir que todos tivessem acesso e pudessem interpretar livremente a Sagrada Escritura.

Na formulação de suas doutrinas e com a ajuda de alguns colaboradores, Lutero alterou o cerimonial da missa, substituiu o latim pelo alemão e passou a rejeitar todas as hierarquias eclesiásticas, desde padres, bispos arcebispos e até o Papa. O homem comum poderia comunicar-se diretamente com Deus.

Lutero renegou a interpretação oficial da Bíblia. Os sacerdotes obtiveram permissão para contrair matrimônio, e ele próprio, em 1525, casou-se com a ex-freira Katherina von Bora, e assim rejeitou o celibato aos clérigos.

Martinho Lutero morreu no castelo de Frederico III, Príncipe da Saxônia, no dia 18 de fevereiro de 1546.

Contra Reforma

Depois da morte de Lutero, o movimento luterano teve consequências que revolucionaram a sociedade da época e abriu caminho para as rebeliões políticas e sociais.

O protestantismo proclamado por Lutero, chegou à Suécia, Dinamarca e Países Baixos. Várias doutrinas criaram seus próprios princípios surgindo igreja maiores, como o Anglicanismo na Inglaterra e o Calvinismo na Suécia.

A própria Igreja Católica, a partir do Concílio de Trento (1545-1563), procedeu a sua própria reforma que ficou conhecida como Contra Reforma.

Acervo: 89 frases e pensamentos de Martinho Lutero.

Frases e Pensamentos de Martinho Lutero

Quem não for belo aos vinte anos, forte aos trinta, esperto aos quarenta e rico aos cinquenta, não pode esperar ser tudo isso depois.

A medicina cria pessoas doentes, a matemática, pessoas tristes, e a teologia, pecadores.

A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço.

Uma masmorra com Cristo é um trono, e um trono sem Cristo é um inferno.

No casamento, cada pessoa deve realizar a função que lhe compete. O homem deve ganhar dinheiro, a mulher deve economizar.