Biografia de Marina Silva

Marina Silva

Marina Silva nasceu no seringal Bagaço, no Acre, no dia 8 de fevereiro de 1958. Filha de seringueiro cresceu em meio a grandes dificuldades. Foi seringueira, trabalhou como empregada doméstica, só aos 16 anos aprendeu a ler. Entrou para a política pelas mãos do líder sindical Chico Mendes. Ajudou a fundar a Central Única dos Trabalhadores do Acre. Cursou História na Universidade Federal do Acre e com 27 anos trabalhava como professora do ensino médio em Rio Branco.

Em 1985 filiou-se ao PT para tentar uma vaga a deputada federal no ano seguinte, mas não foi eleita. O PT foi seu berço político durante três décadas. Nesse período, ela se elegeu vereadora, deputada estadual e senadora por duas vezes, além de ser nomeada ministra do Meio Ambiente do governo Lula, cargo que ocupou por cinco anos.

Em 2005, com o escândalo do mensalão e os desentendimentos em torno da construção de hidrelétricas no Rio Madeira, em Rondônia, às quais, Marina negou licenças ambientais e conseguiu que o projeto só saísse do papel com o acompanhamento do IBAMA, a fez deixar o cargo em 2008 e, quinze meses mais tarde deixou o PT.

Em 2009 filia-se ao Partido Verde e em 2010 candidata-se a Presidente da República ficando em terceiro lugar no primeiro turno. Em 2013, o grupo Rede Sustentabilidade, fundado por Marina, fracassou na tentativa de tornar-se um partido. Sua criação foi rejeitada pelo Tribunal Superior Eleitoral, por não ter o número necessário de assinaturas para formar a sigla.

Em 2014 aceitou o convite de Eduardo Campos, do PSB, para formar uma aliança e ser a vice em sua chapara para a presidência. Com a repentina morte de Eduardo Campos em desastre aéreo, Marina passou a encabeçar a chapa para presidente da República pelo PSB, mas não se elegeu. Em março de 2016, Marina foi eleita uma das porta-vozes da Rede, o partido que ajudou a fundar e se prepara para nova disputa presidencial.

Acervo: 32 frases e pensamentos de Marina Silva.

Frases e Pensamentos de Marina Silva

Sou confusão e gritaria, e ao mesmo tempo, todo o silêncio do mundo. Sou a ansiedade de um desejo sendo realizado, e o medo incontrolável de tudo dar errado – de novo. Sou a preguiça de um domingo a tarde, e a euforia de uma sexta a noite. Sou a vontade de abrir a geladeira, e angustia de ter engordado. Sou um doce sorriso, e uma lágrima quase salgada. Sou uma canção de amor cantada por alguém desafinado. Consegue ouvir?
Sou o que sou agora mas às vezes me pego pensando no passado, e vejo o quanto mudei. O quanto eu fui, e o quanto dexei de ser. E vejo nas marcas deixadas pela parede, tudo que hoje mais odeio em alguém. O destino me deixou do avesso, e agora não sei se é mesmo eu quem estou errada. Deve ser.

Marina Silva
20 compartilhamentos

Qual é a parte da tua estrada no meu caminho? Será um atalho ou um desvio?

Marina Silva
17 compartilhamentos

Poema Arco e flecha

Do arco que empurra a flecha,
Quero a força que a dispara.
Da flecha que penetra o alvo
Quero a mira que o acerta.

Do alvo mirado
Quero o que o faz desejado.
Do desejo que busca o alvo
Quero o amor por razão.

Sendo assim não terei arma,
Só assim não farei a guerra.
E assim fará sentido
Meu passar por esta terra.

Sou o arco, sou a flecha,
Sou todo em metades,
Sou as partes que se mesclam
Nos propósitos e nas vontades.

Sou o arco por primeiro,
Sou a flecha por segundo,
Sou a flecha por primeiro,
Sou o arco por segundo.

Buscai o melhor de mim
E terás o melhor de mim.
Darei o melhor de mim
Onde precisar o mundo

Marina Silva

Do arco que empurra a flecha, quero a força que a dispara; da flecha que penetra o alvo, quero a mira que o acerta.

Marina Silva

Canso menos, me divirto mais. Essa é a frase que todo adulto quer dizer algum dia.

Marina Silva