Magaiver Welington

1 - 25 do total de 392 pensamentos de Magaiver Welington

Ergam se oh chamas da loucura,
mostre nos toda a sua sabedoria.
Façam os reis tremerem e seus castelos de mentiras desabarem.
Deixe nos provar de teu vinho,
o tão esperado vinho, que a tanto tempo nos és prometido.
Deixe nos embriagarmos em teu útero,
em vossa insanidade até que o terceiro olho se ilumine
e possamos caminhar sobre o céus
e os nossos sonhos cavalgarem sobre essa triste realidade.
Deixe nos provar de teu veneno,
que a tanto tempo aterroriza esses pobres homens sem fé,
incrédulos, amaldiçoados por sua cegueira...
Oh chamas da loucura mostre nos o caminho,
ensine nos a caminhar sobre os espinhos.
Para que nossas palavras possam cortar um dia
o vento como as laminas de um moinho.
Palavras estas escritas em um velho papel manchado de vinho tinto,
sobre um escrivaninha que hora aqui outra ali
servia tanto de cama como de esconderijo...

Magaiver Welington
Inserida por MagaiverW
1 compartilhamento

Um brinde aos loucos e insanos pois eles são os mais lúcidos e sensatos.

Magaiver Welington
3 compartilhamentos

"Labirinto de Vento"

Emburaca a tua dor
no cinza dos teus olhos,
logo ao fundo um precipício,
lágrimas e gritos
guardados em silêncio...

Os sonhos contra o tempo,
labirito de vento
sopras pra longe tal sofrimento,
que se abriga em tua voz, tua pele,
com ar de fogo e morte,
não espere contar com a sorte.
Nossa doença singular,
cantada em plural
com um insano desejo de arriscar,
parece loucura vôar contra o vento
esperando ele te ajudar...

Soldados de gelo
com seus coturnos a marchar,
esmagando a esperança
que ainda insiste em restar.
Esmagam o sangue
que se esconde por debaixo desta terra,
labirito de vento
levas consigo tal sofrimento,
pois não há mais lágrimas para derramar...

Magaiver Welington
Inserida por MagaiverW
1 compartilhamento

A natureza se molda ao ambiente sem destrui-lo, os homens também deveriam aprender a fazer o mesmo.

Magaiver Welington
Inserida por MagaiverW
1 compartilhamento

"Tributo aos Malditos"

Malditos sejam os artistas de alma,
os poetas rebeldes,
os gênios loucos
que aos quais até a morte
se recusa a abraçar.

Malditos sejam!
Seus segredos e até mesmo seus medos,
que em busca tantos outros homens
enloqueceram tentando desvendar.

Qual o terrivel pecado que cometeram
para tão tamanha maldição.
O assasinato de suas atormentadas almas?

Magaiver Welington
2 compartilhamentos

"Ceu em vermelho"

Ponteiros tortos;
Ó donzela sem rosto
que a morte tenha piedade destes homens;
Que está embriagues traga algum brilho a estes olhos.

O vermelho em contraste como o céu
é a unica coisa que há para adimirar;
Até mesmo a lagarta em seu casulo
se recusa a sair e se transformar.
Ela diz: não não
os homens maus iram devorar minhas cores,
minhas asas...
Não posso culpa-lá!

Meninos de amarelos e uniformes pálidos;
Somos todos tão inertes e covardes,
tão iguais com os nossos medos...
Vejam as cores sobre a carne fria,
sobre as mentes vázias;

Contemplamos as vitímas da nossa própria ignorância,
Não percebem?
é tudo uma quetão de marketing!
alimentamos os assassinos,
os estupradore e toda a corja de opressores...Por quê?

O nosso sangue mantém os vermes de pé;
noite vázia sem sal...

Magaiver Welington
Inserida por MagaiverW
1 compartilhamento

"A Babilonia Moderna e o Novo Eden"

Tanques a marchar,
a paz devorada pelo som das bombas;
Lágrimas e sangue a se misturarem
nas mesmas dores, nas mesmas tristezas,
nos mesmos olhares, na mesma terra.

O vinho humano escreve a história,
mas os nomes sempre queimam
junto com a polvóra e as memórias.
Os rostos marcados,
os corações arrancados.

Sorrisos fabricados,
seguimos em frente de olhos vendados;
Estupidos e inocestes
rumo ao matadouro
como gados marcados.

Nas vitrines mentiras para todos os gostos,
de todos os tamanhos;
Pequenas, grandes,
a se procriarem,
conduzem o rebanho.

Falso sono inconveniente,
fecha a janela de tua casa derrepente
para a verdade não mais provar...

Magaiver Welington
Inserida por MagaiverW
1 compartilhamento

"O Canto dos Canhões"

Homens de lata
que devoram o sol,
que regam a miséria, a dor.
Olhos de pedra
corações de gelo.
O coral a contemplar
sua própria derrota,
a cavar sua própria cova.

Vinho dos ricos,
sangue dos pobres.
Verdades duras,
comforto velho e frio.
Escondes dentro desta caixa,
todos os teus medos,
todos os teus crimes,
para que eles, não te traiam um dia.

Os rostos vázios,
as medalhas a brilhar
com o sangue derramado nas guerras.
O triste desfeche,
as faces infantis
que jamais voltarão a sorrir.
A esperança de um céu azul,
e a música funebre a se espandir.

Os estomagos a devorarem
seus corpos, suas almas.
As sombras a esmagarem
a luz que nos acalma.
As migalhas feitas de papel
que controlam mais mentes
do que a nobreza de um homem fiel.
O canto dos canhões.

As guerras a alimentarem a burguesia,
os miseráveis que venderam
suas almas ao diabo sem saber.
A covardia dos homens cegos,
as árvores a chorarem
ao pé de seus corpos decepados,
o silêncio do próprio luto.
Que drama a de responder?

Magaiver Welington
Inserida por MagaiverW
1 compartilhamento

"Mercado das almas"

Mercado das almas
amigos de palha,
a fumaça que não cala.
Barulho dos carros,
as queimaduras de cigarro,
as cores do passado.

A beleza moderna exposta
em um quadro em branco,
de saltos alto como uma bailarina
num circo de aberrações no entanto.

Fogo sem cessar,
o chão que nos devora.
As luzes que se acendem,
as pessoas que se apagam.
A terra a abraçar nossos pecados.

Tristes caixa de madeira morta.
Mercado das almas, olhe a sua volta.
Mercado da alma, parece que nada disso importa.

Magaiver Welington
Inserida por MagaiverW
1 compartilhamento

O estranho no ninho observava pelas entrelinhas
da janela de seus olhos o mundo lá fora.
-O que aconteceu?
-Senhor para onde este trem esta indo?
perguntou o menino de sardas timidas.

O senhor de barba grizalha e chapéu de palha respondeu:
-Depende, quanto tens?
O menino com os olhos cheios de lágrimas exclamou:
-Senhor dinheiro ,eu só tenho essas duas velhas moedas que trago em meus bolsos, nada mais.
E o senhor respondeu novamente:
-Dinheiro? daqui nada vale, apenas seus sonhos.
-Não tens sonhos? Questionou o senhor ao menino.
-Sim, tenho muitos. Disse o menino ainda com um ar de assustado.
O velho senhor então deu um meio sorriso e disse:
-Então por que perguntas para onde este bendito trem esta indo,
se carregas tantos sonhos contigo?
-Não percebes que se tem tantos sonhos assim, podes ir para onde quizer...
-Os sonhos são a passagem ilimitada para qualquer lugar do mundo! Finalizou o velho senhor...

Magaiver Welington
Inserida por MagaiverW
1 compartilhamento

...O mesmo fogo que antes queimava a carne, hoje congela a minha alma..

Magaiver Welington
2 compartilhamentos

Devagar anseia o tempo, o coração,
que pulsa sem parar,
como uma bomba relógio.
As mentes atormentadas,
sobre uma tela de um quadro em branco.
O sangue que se transforma em tinta
para as poesias malditas nascerem.
A loucura, a embriaguez lúcida.
A noite que nós convidam para dançar...

Os gritos de socorro,
as lágrimas contidas para dentro.
Os ruídos de baixo de suas mentes,
os passos no corredor.
A história se repete, não percebem?
Há mais nomes na lista do que de costume,
mas a casa ainda continua vázia.
Queria eu fugir deste inferno.
Acordar um dia e ver um céu azul lá fora...

Queria eu um dia ligar a TV
e não assistir a mais uma nova arma sendo criada.
Leve-me daqui, joguem -me na camara de gás,
isso não fará diferença alguma agora.
Pendurem me em uma cruz
como vocês fizeram com os outros,
como fizeram com seus medos.
Queimem suas mentiras com um livro,
isto nunca será esquecido.

Orem pelos pobres, ajoelhe se diante do seu rei,
enquanto ele os cegas com o brilho de seu trono de ouro.
Devagar anseia o tempo, o coração,
que hoje já não quer mais pulsar.

Magaiver Welington
Inserida por MagaiverW
1 compartilhamento

Estes fantásmas estam por toda parte,
são de todos formatos,
estam escondidos atrás de um olhar frio
e até mesmo atrás de um sorriso singelo.
Não anunciam o próximo ataque,
cruéis homens de mentes negras sem face...

Magaiver Welington
Inserida por MagaiverW
1 compartilhamento

Deixem a poesia maldita bater de frente contras as grades deste inferno, deixem ela em paz, deixem ela germinar seus frutos em suas mentes iludes sem vida.Amarrotem suas gravatas pálidas e queimem elas juntas com suas mentiras.Façam um favor a si mesmos, bebam, embriagem se até cair, pois a juventude de hoje é uma embriaguez sem graça e sem vinho.Sorrisos amenos sem sal, nosso conformismo alimenta este câncer ao qual você se delicia.Deixem os cadaveres da guerra darem seus relatos dos fatos, contar o outro lado da história ao qual suas malditas medalhas tentaram apagar.Vamos ver quantos Cristos mais foram mortos, por seu medo de acreditar que o mundo poderia viver em paz um dia.Que os reis me perdoei, mas podem me jogar na guilhotina.Não me importo em perder minha cabeça pelas verdades que carrego em minhas palavras.Meu sangue contará a verdadeira história ao qual vocês tanto temem revelar...

Magaiver Welington
Inserida por MagaiverW
1 compartilhamento

Mar de ilusões, a tinta fresca sobre as ondas a cortar os sonhos dos marinheiros.As marcas dos remos nas mãos sofridas, a decepção dispersa nos olhos perdidos em meio ao mar.O ouro prometido, a libertade que nunca chegará...

Magaiver Welington
Inserida por MagaiverW
1 compartilhamento

Inclivel heresia, essas fugas malucas de início de noite, de início de copos virados.Por que tentar figir? Tentar fugir? Se estamos presos ao mesmo frásco.É inevitavél e assustador.Esta prisão sem muros ao nosso redor...
Amizades contidas, beijos aprisionados em segredos, longe dos olhares apenas por puro medo.É o que eu acho, é o que eu sinto neste momento...Cabelos ao vento, deixe seus sonhos te levarem. Vá, leve seus passos de encontro ao mar, somente ele endende suas lágrimas.Novos nomes no céu irão surgir, novos amores te faram sorrir.Não tenha medo de arriscar, de dizer sim, em cada amontuado de horas.Dia após dia, aurora após aurora...

Magaiver Welington
Inserida por MagaiverW
1 compartilhamento

Entregue-se a carne
vivencie os pecados de fora;
Pendure seus olhos em uma árvore
longe das mentiras do mundo,
deixe pra trás os sobrenomes...
Prove do vinho ao veneno,
esperimente, saborei todos;
Dos armargos aos doces
da nostálgia à utopia.
Da sanidade até as coisas mais loucas;
Das cáricias aos puxões de cabelo.
Mergulhe no inferno,
renegue o paraiso.
Dance sem medo a beira do abismo

Magaiver Welington
Inserida por MagaiverW
1 compartilhamento

Nebulosas palavras sem fim.
Os olhares a fugir por entre sedes
das notaveis frases ensaiadas.
A se perderem na macies de outros lábios;
A desbravarem novos jardins.

Os atores em voz baixa
a entorpecerem timpânos alheios
com conjuras de amor;
A maquinar seus pensamentos sordidos.
É simplesmente a fome da noite
que nos chega sem avisar.

Segredos comprimidos por quatro paredes;
A cama é nossa maior testemunha,
berço dos prazeres, mar eminente.
Enbriaguez inconsequente
acompanhada de cada verso,
cada segundo, cada milésimo.

Fogo que devora a alma,
incontrolável insanidade que trás a calma;
Que rouba o chão de nossos pés,
e em troca nos dá asas
para conquistarmos o céu.
Paixão doentia
O pecado inevitável.

Os sorrisos a trocarem palavras em silêncio,
o nascer do sol agora é apenas consequencia.
Infelizes daqueles que descompreendem essas palavras.
Das linguas a tocarem o céu sem pudor;
Pois não há arte sem verdades,
não há encanto em brisas artificias.
As mentiras matam qualquer tipo de amor...

Magaiver Welington
Inserida por MagaiverW
1 compartilhamento

Será que ainda é muito cedo pra acordar, será?
Será que ainda é muito tarde pra mudar?

Que mundo é este,
onde os Homens tem mente de vento e corações de lata?
Que mundo é este,
onde as cabeças são cortadas em nome da paz?
Onde a sangue dos famintos embriaga os Reis?

Onde os génios são considerados loucos?
Onde os loucos são conciderado santos?
Homens ocos, como uma figueira morta.
Alienados! sodonizados!

Acordem! Acordem! Acordem!!!
Disse a fome de mudança.
No entanto o jardim estava vázio...

Magaiver Welington
2 compartilhamentos

O Colecionador de silêncios

O vázio a se triturar entre os dentes
gastos e amarelados.
A procurar um canto escuro
por entre os olhos pálidos.

A repudir sua própria sombra,
enquanto navega por mares estreitos;
Sobre as línguas secas e distantes
a saborear todos os seus efeitos.

Aos devaneios de finais de noite
enterrado em seu mundo de fantasias.
Os gritos que teu corpo abafa,
ilusões de uma mente doentia.

As pirálides a consumir a carne fria
a semear as vitimas sem valor.
As lágrimas que caim e que secam
em contraste com o teu rubor.

Os sorrisos soberanos a derrocar
seu castelo de cartas marcadas.
Ávidos sem nenhum pudor
sua voz treme diante de tais palavras e se cala.

Magaiver Welington
Inserida por MagaiverW
1 compartilhamento

Há um céu e um inferno além dos muros que sua mente construio, pense nisso.

Magaiver Welington
2 compartilhamentos

Como você pode dizer que algo é bom sem nunca ter experimentado? como pode dizer se o céu é a salvação sem nunca ter conhecido o inferno?

Magaiver Welington
2 compartilhamentos

O maior defeito da maioria dos seres humanos é a falta de humanidade em seus corações.

Magaiver Welington
Inserida por MagaiverW
1 compartilhamento

O silencio toma o vázio da sala
O oceano se espande sem anunciar
e então trasborda pelas janela.
Os sorrisos se apagam num piscar de olhos
Os corpos se revelam entre quatro paredes
incinerando suas almas rebeldes e solitarias.
Agora tudo ficou mudo e incolor
Dificil de explicar em palavras...

Magaiver Welington
Inserida por MagaiverW
1 compartilhamento

Cubra todas as suas mentiras com falsos sorrisos.Vomitaremos junto tudo depois...

Magaiver Welington
Inserida por MagaiverW
1 compartilhamento