Lalice

1 - 25 do total de 40 pensamentos de Lalice

Lua de um Lobo

Tergiversei cada algo
Que se quer não fosse você.
Alvejar teus atos estapafúrdios
Era inexorável,
Adorável.
A cada nosso momento
Estrambótico,
Estrelava, em mim
O uivo de um lobo.
Lobo meu
Que adoravas em presença tua.

Lalice
Inserida por Lalice

Anagrama

Tremo de temor da morte,
Mas és a diva da vida.
Prensa tua perna e pensa:
Teu motor está morto?

Dana aquele que anda do nada,
Mas lotas aos talos os altos
E teimas que miaste aos metais.
Entras em transe?

Torce para um certo corte
E terá ao tear uma reta.
Medita pela temida medida,
Terminas tuas mirantes mentiras.

Lalice
Inserida por Lalice

Carta ao conflito

Com uma bomba,
Exploda-me de amor.
De tua arma,
Atire-me beijos doces.

Às árvores mortas e cinzas,
Apresente o caminho da vida.
Em teu fim,
Não se esqueça do começo.

Lalice
Inserida por Lalice

A nostalgia é tóxica e a solidão é seu alimento.

Lalice
Inserida por Lalice

Melancolia

Em meio a devaneios, acordei da utopia. Percebi que aquele mundo já não voltaria. Olhei para as portas trancadas do passado e faltou-me ar nos pulmões. Lembrei-me e cai pesada em torno do túmulo da memória.

Lalice
Inserida por Lalice

A realidade é que não há estrelas. Apenas a escuridão total.

Lalice
Inserida por Lalice

Café é uma criação divina de Dionísio para os sóbrios.

Lalice
Inserida por Lalice

Olhos mar, mar
Escondes nas profundezas
As ondas do teu olhar

Olhos mar, mar
Abras o caminho
Para eu navegar

Olhos mar, mar

Lalice
Inserida por Lalice

⁠Sintonia

Lembro-me!
Olhava os astros contigo,
Cantarolava melodias sem sentido,
Éramos apenas sintonia.

Nosso amor
Pela superfície era tímido,
Mas nas profundezas estava contido,
Éramos apenas sintonia.

Lalice
Inserida por Lalice

⁠Pensamento

Penso, penso, penso.
Todo o tempo, penso.
Mas qual tal motivo?
Se não fosse tu,
Não seria pensamento.
Penso, penso, penso.
Tu és meu passatempo.

Lalice
Inserida por Lalice

⁠Vizinhos: Música country na casa ao lado

Já passava da meia noite
As botas batiam as solas no chão
O som do banjo soou alto
Um chapéu voou rumo ao sertão

Com seu cinto afivelado
O vizinho não pôde se conter
Ergueu logo seu laço
E seu quadril começou a remexer

Lalice
Inserida por Lalice

Morte, heroína do fim

Em meu lar, uma cobra
Rastejando humilde e lenta
Arrastando um rato e sua sobra
Rato que, pela própria vida, não lamenta

A solidão da vida
Carregava sua carcaça já decomposta
Facilitando apenas sua ida
Acompanhada da morte feliz e disposta

Salvação que chegara no lar
Onde uma deplorável mente morava
Sozinha e sem lugar
Enquanto com o fim caminhava

Lalice
Inserida por Lalice

Meu eu barulhento

Ei, eu!
Poderia ficar em silêncio?
Só quero sossego.

Lalice
Inserida por Lalice

⁠Lentamente

Lenta
Solenemente
Toco tua pele
Descubro tua mente
Sensível reage
Inconscientemente

Lalice
Inserida por Lalice

Tão distante, parece o fim

⁠A marca perpétua e árdua da vida
Deixou de lado toda alegria e emoção
Machucou infinitamente a superfície
Depois cravou o fogo sobre o sangue
A dor da chama quente ardente
Muito maior que a perda da própria vida
Não pode ser mais curada
Todas as feridas permanecem abertas
E somente a morte pode salvar da dor

Lalice
Inserida por Lalice

⁠Tempos planetários

Parado,
Tudo observo
Nada compreendo
Onde estou?
O fim, o fim, o fim.
Tímido chegou
Mas já se apressou.
A vista
Claramente escura.
O que houve?
Um passageiro:
O tempo.

Lalice
Inserida por Lalice

⁠Uma luz em seus céus

Escuro céu
Abriga um brilho
Brilho passado
Anos de distância
Apenas uma luz
Em seus céus

Universo ábdito
Traz uma poeira
Poeira estelar
Substância da vida
Apenas uma luz
Em seus céus

Estrela compacta
Funde matéria
Matéria nuclear
Dimensões deformadas
Apenas uma luz
Em seus céus

Lalice
Inserida por Lalice

Contraditório

⁠Triste, triste,
Confuso,
Feliz.

Uma hora,
Devaneio em pesadelo.
Outrora,
Em nuvens passo adiante.

De que forma instável
Poderia eu
Ser formado?

Lalice
Inserida por Lalice

Confissões de uns olhos

Seus olhos
Instigantes
Um doce toque
De tempestade

Sua superfície
Suave
Deseja mostrar
Tantas profundezas

Sua alma
Acalma turbulenta
A pele sensível
Ao calor ardente

Lalice
Inserida por Lalice

⁠Padecida flor

Noite escura,
Levai-me deste mundo,
Pois nestas terras
Nada me resta.

Oh, grande amiga!
Morte companheira,
De sofrer já basta,
De viver não vivo mais.

Lalice

À deriva

Se é amor,
eu não sei.

Só sei
que amo.

Amo com amor.

Lalice
Inserida por Lalice

⁠Querer

Queria querer
o que quero
Queria fazer
o que quero
Queria saber
o que quero
No momento
só quero

Lalice
Inserida por Lalice

Atormentada vida

Andava feliz
Muito feliz
Mas tinha algo
Tinha algo no caminho
Alguma coisa no caminho

Lalice
Inserida por Lalice

⁠Por quê?

Não há definitiva
Solução para tal questão
Digo-lhe que sim
Digo-lhe que não
Igual será o resultado
A doce e objetiva morte
Morte que espera calmamente
Morte que vem outrora
Ou agora

Lalice
Inserida por Lalice

Amor planetário

⁠Oh, Júpiter!
Sua grandeza
ilumina minhas noites.
És minha única
e magnífica
intimidade.
Meu companheiro
de solidão.

Lalice