Jonatas M. S. Oliveira

1 - 25 do total de 47 pensamentos de Jonatas M. S. Oliveira

Se houvessem mais dias, o que faria?
De domingo a domingo: Poesia.
Poesia dia e noite. Noite e dia: Poesia!

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

Não desista de viver, flor!
Não desista por ter perdido um amor.
Sem o teu amor, é vida sofrida.
Mas sem tua vida, como terás amor?

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

CAMPO DE BATALHA: DEPRESSÃO

Soldado, não te entregues
A guerra vai acabar
Tua missão, não negues
Outros estão, contigo, a lutar

Tua luta é pela vida
É há nela muita dor
Dor pior que ser ferido
À mira do atirador

Soldado, não desanimes
Tem gente, contigo, lutando
Olha à frente, fica firme
Tem gente te esperando

Teus sonhos ainda esperam
O dia em que vais voltar
Querendo mais uma vez
A vida continuar

Soldado, vença essa luta!
Que chamam de depressão
Me faço aliado a ti
Pra te ajudar em honrada missão

Não ceda agora amigo
Tem gente, aqui, contigo
Se a noite cair de repente
Tu, valente, tem pronto abrigo!

No campo de batalha
Tem gente sobrevivendo
Alguns estão lutando
Outros, se escondendo

Soldado, não te escondas
Quero te ver vencendo
Não só sobreviver
Mas ver o teu sonho acontecendo

Volta logo, amigo
Dessa batalha tão sofrida
Aqui, todos estão te esperando
Vença e volte à vida!

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

A honestidade não precisa de espectadores.
Ao contrário, ela se faz quando ninguém está observando.

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

No horizonte

Horizonte é o belo encontro
Onde o céu toca no mar
Tons de azul, ali se fundem
Sob a mira do meu olhar

Mar, pelos ares, voando
Céu, descendo, a mergulhar
Cores, um do outro, buscando
Um belo par a se formar

É água ficando leve
Até conseguir subir
E depois se faz bem densa
Pra, no mar, submergir

Amor é como o oceano
Imenso e desafiador
É céu que espelha o mar
É luar que ao mar se entregou

Eu, sobre o mar, não poso
Ele me rejeitaria
Nem brinco, no ar, de repouso
De lá mesmo cairia

Mas, de mar, o céu tem cor
E de céu o mar tem vida
No ar que passa entre esse par
O horizonte se eterniza

Eu só olhei pro oceano
Pra tentar compreender
Se, é tão profundo, que caiba
O céu inteiro a descer

Fiquei mirando o céu
Até onde pude enxergar
Perguntando-me se cabe
Ele inteirinho no mar

Se couber o mar no céu
Ou todo o ar nesse mar,
Então o meu amor é seu
E todo o meu ser é te amar.

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

Você chegou em abril,
minha alegria, meu amor!
Passei a viver sorrindo,
minha tristeza acabou.
Mostrou suas lindas asas,
me ensinou a voar.
Abriu o meu coração,
me ensinando a amar.
Quem nasce no mês de Abril,
Tem um sorriso que até pode curar.

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

Vem se aventurar

Vem ouvir, meu bem
De manhã, cedinho
Quem está cantando
É o passarinho

Desperta logo, amor
Do teu repousar
Pois já vejo o fogo
Do sol a brilhar

Vem andar, amor
Tudo está verdinho
Vem voar comigo
Sai do nosso ninho

Vem se misturar
Com a cachoeirinha
Vem comigo, entrar
Na água clarinha

Vem logo aproveitar
O nascer do dia
Conhecer a luz
Da nossa energia

Vem de pés descalços
Perca tempo não
Tens o necessário
Que é o meu coração

Fica livre do sono
Vem se aventurar
Pois hoje, eu pretendo
Os teus sonhos realizar

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

A minha insônia é mais falta tua, do que falta de sono
É falta do abraço que me embala o sonho
A minha insônia é culpa do costume que criei
É, na tua ausência, saber que não dormirei
A minha insônia é culpa tua
É que, assim como não existe uma noite sem lua, não posso deixar minha pele muito longe da tua.
É difícil compreender isso, sem estar apaixonado:
Distante de você, eu tenho insônia.
Mas é você quem me tira o sono, quando está ao meu lado!

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

Meu caminho com você

Numa estrada pequenininha
Saí descalço a caminhar
E via, a cada passo
Os traços que eu deixava lá
As vezes pisava em pedras
Outras vezes em espinhos
Mas havia muita beleza
Nesse sofrido caminho

O sol me abraçava
Cheio de vida e calor
No entanto, a mim, faltava
Um abraço de amor

Certo dia, fez-se o frio
E eu saí a procurar
Um lugar pra me aquecer
Continuei a caminhar
Chuvas, ventos e bichos
Tudo eu pude conhecer
Caminhando ali, sem rumo
Precisava de você

Estrada longa e seca
Logo se pôs a florescer
Espinhos e pedregulhos
Eu vi desaparecer

Ah! Não esqueço o dia
Que vi as marcas no chão
Surpreso, acelerou, o meu passo
Fez o mesmo, o coração

Teu passo, que à minha frente ia
Passei a usar como guia

Um dia, em bela curva
Aqueles passos pararam
Eu me aproximei de ti
Nossos olhos se encontraram
E, numa estrada pequenininha
Nossos corações se amaram

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

Ser feliz AGORA

Fiz planos de encontrar a felicidade
Numa casa grande e bonita
Lá, afastada da cidade

Quis encontrar a alegria
Num relacionamento perfeito
Um par que sorri noite e dia
Alguém que admira o meu jeito

Quis uma felicidade duradoura
Tentei pagar com dinheiro
Mas não era tão verdadeira
E passava muito ligeiro

Queria garantir o futuro
Onde eu seria muito feliz
O tempo, então, me disse?
- seja AGORA, o que sempre quis

A felicidade está aqui dentro
E eu procurando, sem saber
Que a alegria não é um momento
É ser completo. É ser!

No meu caminho há espinhos e rosas
Eu escolhi onde pisar
Me livro dos espinheiros
E o perfume das rosas, vou respirar

Espero que logo a gente se encontre
E perceba que não estamos sós
E que a felicidade não está nas coisas
Ela já habita em nós

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

Tantas estrelas brilhando no céu e eu resolvi fazer um pedido, justamente, para a cadente! Ah! coração carente!

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

Uma receita para a vida:
Adicione pessoas doces,
e ela fica melhor ainda!

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

Se tudo o que eu vivi me trouxe até você, então do que posso me arrepender?

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

Não me importo
com o frio ou o calor
Meu dia já está perfeito
Seja lá como for!
Se tenho você, sobre o peito
Então é dia de amor.

Jonatas M. S. Oliveira

Casei com a poesia

Ah! Quanta felicidade
Há na simplicidade
De várias letras tomar
Para um poema formar

Tamanha é a surpresa
De ver surgir a pureza
Daquele verso que se arrisca
Nas letras que a gente rabisca

Da palavra, vem o meu encanto
E através dela, o meu canto
Que me ilumina de um tanto
Fazendo-me clarear!

Por isso escolhi poesia
Para casar, numa bela noite
Para passear, num lindo dia
Para viver bem juntinhos
Escolhi você, poesia.

A minha escolha mais certa
É o verso que ilumina
Caiu nas mãos, como luva
Suave, feito uma brisa
Da tinta azul, fez-se um mar
Desenhando as minhas letras
Poemas e poesias
Eu passei a declamar

E nessa união saborosa
Me afastei da tal prosa
Querendo te ouvir todo dia
Me faz feliz, poesia!

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

CORAÇÃO VIOLÃO

Meu coração violão
Toca pra não ficar só
Bate nas cordas do peito
Pensa que é clave de sol.
Ah! Coração sem jeito!
Só quer tirar o tom maior.

Meu coração apaixonado
Quer ficar compondo canções
Toda hora, aqui, pulsando
Me fazendo sentir emoções
Notas soltas, vai criando
Envolvendo outros corações

Ah! Violão pulsante!
Ah! Coração delirante!

Coração feito de notas
Não me deixa esquecer
O ritmo da minha vida
Que eu não consigo entender
E algumas batidas sofridas
Que sempre hei de viver

Meu violão no peito
Me enche de inspiração
Me faz criar notas pra vida
Enchendo-a de canção
Percebo que a minha sina
É ouvir o meu coração

Ah! Violão pulsante!
Ah! Coração delirante!

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

A gente precisa se despir
Para descobrir o que há na pele
Fora daqueles personagens
Fora daquilo que repele

A gente precisa se olhar
Para descobrir o que tem dentro
Longe dos sorrisos superficiais
Longe do raso pensamento

A gente precisa virar de ponta cabeça
Pra deixar que a verdade apareça
Antes que a gente se esqueça
Antes que a nossa ilusão cresça

A gente não pode "não poder"
A gente precisa querer
A gente tem mais é que se meter
Naquilo que tá precisando ajeitar

A gente precisa encontrar um rumo
Não fazer por imposição
Mas tomar a nossa decisão
Rumar o nosso coração

A gente precisa se pintar
Com a cor dos nossos sonhos
E deixar de se importar
Com quem está só julgando

A gente tem vida pra quê?
É vida pra ser escondida,
Ou é vida pra viver?

A gente precisa abrir os olhos
Vendo dentro e fora, de todos os lados
Pode ser até que a gente descubra
Que nós mesmos estamos virados!

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

A casa abandonada

Vi beleza naquilo que ninguém via
Na casa abandonada, vazia
Vi, ali, a infância minha
As memórias mais felizes que eu tinha

Vi beleza na grama,
Crescendo irregular
Nos pássaros, criando seus ninhos,
No alto do pomar

Vi beleza no vento
Invadindo a casa
Balançando tudo
Por onde passava

Toda aquela estrutura
Que um dia me serviu de fortaleza,
Hoje está abandonada
Nos braços da natureza.
E foi aí, que vi, o quanto ela tinha beleza!

Eu não poderia florir,
Como a mata selvagem fez
Não poderia enraizar,
Dando a impressão de que as paredes têm veias
Tão pouco, criar texturas, tão belas como areias

Saudade, foi a maior beleza
Que pude ver lá.
E para a minha surpresa, a descoberta;
De que a relatividade da beleza
Está na perspectiva do olhar.

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

Ruiva Flor

De cabelos avermelhados
Te chamei de Ruiva Flor
E fiz versos marcantes
Que falam de um ardente amor

Forte é a tua essência
Paixão abrasadora
Na tua pele, vejo um fogo
Ah! Como és encantadora

Nascida num mormaço
Ar quente, tu respiras
E a tua independência
As outras flores inspira

Intensa, como o calor que sentes
Ou quando cai um temporal
Tens uma sensualidade sutil
E uma delicadeza magistral

A tua discreta leveza
É quase imperceptível
Posto que és tão vermelha
Revela uma paixão sensível

Certamente nasceu para ser livre
Jamais alguém será teu dono
Mas, se deixar, vou florir ao teu lado
Para viver um amor de outono

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

Minha linda flor Branca

Deito em um leito aconchegante
Grama verde, cheiro inebriante
Ouço a música produzida pelo vento
Tão suave e cheia de sentimento

Quanto tempo vou esperar para te ver?
Será que, em meu leito, vais aparecer?
Pois antes mesmo do sol nascer
Eu vim correndo te conhecer

A paisagem não é igual
Sem a tua cor, minha flor
Nasce logo, branquinha
Deita comigo, meu amor

Nada será mais importante
Neste dia lindo de outono
Do que eu sentir teu perfume marcante
Oh! Bela flor dos meus sonhos

Deito num leito verdinho
Só para te esperar
Vem flor perfeita de outono
Ainda hoje, te quero beijar

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

A cor das folhas

É encantadora, a flor de outono
Nascendo em meio ao solo encharcado
Crescendo sob um tempo nublado
Florescendo em dia ensolarado

É um privilégio tê-la em meu caminho
Enchendo de cores, onde havia espinho
Deixando o seu cheiro no meu lar vazio
Fazendo companhia a quem era sozinho

E eu, andarilho pelo mundo
Vejo as borboletas saírem dos seus casulos
E as belas flores a balançar
Em seus caules frágeis, para sustentar

A flor de outono é pureza
Estação de renovo e limpeza
Folhas secas caídas ao chão
Mágoas que não mais me afetarão

E mesmo que eu sinta o coração encharcado
Com lágrimas, que até aqui derramei
A cor das folhas de outono
Me mostram que em breve brotarei

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

Poeta pescador

- Pescador, o que foi fazer ao mar?
- Fui buscar o meu amor
Já que o mar não tá pra peixe
Vou buscar minha sereia
Antes que o mar me deixe
E eu morra só, na areia

- Pescador, esse barco não afunda?
- As águas são agitadas
Mas minha dor é profunda
Já quebrou o meu coração
Portanto, afundar o barco
Não é minha preocupação

- Pescador, tu pensas em voltar?
- Quem vai enfrentar o mar
Precisa ser sonhador
Só volto com a minha sereia
Não volto sem o meu amor
Aliás, eu sou poeta
Nunca fui bom pescador!

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

Amor próprio

Vieram me dizer
Que eu preciso me amar
Dedicar tempo a me cuidar
Suprir as minhas necessidades

Disseram que
Em primeiro lugar
Seja sempre eu
E depois os outros
Inclusive você

Ah! Assim não consigo viver
Eu sei que a moda agora
É falar de amor próprio
Mas o próprio amor me fez querer
Dedicar o meu tempo a você

Eu sou feliz assim mesmo
Já me amei demais
Ainda me amo, aliás
Mas hoje eu quero te amar muito mais!

E, por mim, está tudo certo
O amor é isso, eu sei
Se te amar me faz feliz
Então sempre te amarei

Jonatas M. S. Oliveira

De todos os encontros que você possa promover, priorize aquele no qual você encontre a si mesmo.

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar

O nosso sempre

Permanecer bem, juntos
Será nossa prioridade
Não perder tempo com coisas banais
Brigas e mágoas
Ressentimentos
Não perder o precioso tempo
Será o nosso compromisso

Permanecer bem juntos
Que chegue a parecer um só
Que pensem que deu um nó
Que nada possa afastar
Será o nosso dever diário
Não dar atenção ao que possa nos separar

Permanecer, bem, juntos
Será o pagamento da nossa promessa
Até que a morte nos separe
E mesmo depois dela
A gente volte a se encontrar
Numa eternidade miraculosa
De amor infindável

Será anastrófico
O nosso pensamento
Sempre vendo no futuro
Um sorriso irradiante
Um coração acelerado
Uma declaração apaixonante

E que, a nós, possa acontecer
Tudo o que o amor queira ser
Desde agora e para sempre
Desde agora, no nosso presente
Que seja agora, o amor da gente
Que seja amor o nosso agora
Que seja a gente o nosso sempre.

Jonatas M. S. Oliveira
Inserida por murmurejar