Iandê Albuquerque

1 - 25 do total de 41 pensamentos de Iandê Albuquerque

Que venha Junho! Pode entrar! Deixarei a porta escancarada pra cessar esse sentimento de saudade mal assombrada que Maio me deixou. Que venha e sente-se sem se preocupar. Que entre sem se importar com a hora de partir. Que chegue sem bater a porta, de mansinho. E que se caso chegar a hora de ir…. Vá, sem bater a porta e sem deixar a sensação de dever não cumprido, de sonhos incompletos, de passos mal feitos. Sem pedaços de infelicidade em baixo do tapete e metade de sorrisos presos na geladeira. Que venha Junho para varrer tudo que ficou sem pretensão, espanar tudo o que impregnou sem permissão, tudo o que grudou, ofuscou os meus sorrisos e me fez esquecer de notar a luz do dia, ou passar despercebido por mim mesmo. Que venha Junho remover toda poeira de quem passou por aqui e não deixou número de retorno, de tudo que passou por aqui sem deixar rastro. Quer saber? Que Junho sirva pra lavar tudo de infiel que conseguiu se aproximar de mim. Que venha para me trazer bons ventos, bom tempo, boa vista, e claro, que me faça sentir-se suficientemente mais completo. Que me faça notar mais a minha presença, que inclusive, me permita notar a luz do dia. Que me traga os detalhes que Maio me levou. Que me traga a voz da Elis Regina. Que me traga presença divina. Que me traga chocolates sem controle e que recue a diabetes. Que carregue as mazelas, os trapos, os trecos, os traços sem ponto de equilíbrio; o caminho sem direção. Que venha Junho, tomar um café a qualquer hora, acompanhar um vinho qualquer dia, desapegar as ilusões que Maio me pregou. Que venha Junho me trazer novos dias, e tempo. Muito tempo pra fazer valer a pena tudo o que perdeu valor por falta de tempo em Maio. Que venha pra me doar tempo suficiente para concluir e continuar o que Maio deixou. Que me traga mais abraços demorados e menos sorrisos passageiros. Mais livros, mais música, mais amor. Que me traga um bom astral pro meu signo. Que venha logo, Junho! Me ensinar o que ainda não aprendi. O que, com o Senhor Maio não fui capaz de aprender.

Iandê Albuquerque
Inserida por iandealbuquerque
1 compartilhamento

Temos um problema. Um problema chatinho chamado: ciúmes. Existe algumas definições sobre o ciúmes. Esse sentimento é natural do ser humano pela falta de exclusividade sobre o sentimento de alguém, ou não necessariamente. O fato é que: nem todas as pessoas sabem lidar com esse sentimento e acabam sufocando o outro. E claro, ninguém se sente bem sendo sufocado. Tudo bem que ciúmes às vezes tem seu ponto positivo, significa: cuidado, zelar por algo que você imagina ser seu. Você já deveria aprender que ninguém é de ninguém. Você não comprou aquela pessoa, você não assinou algum contrato que em alguma cláusula afirma que aquela pessoa é inteiramente sua até o fim da tua vida. Enfim, ninguém gosta de viver reprimido, preso, comprimido. Quando gostamos de alguém, achamos que temos o direito de tê-la. Ninguém pode tocar, pegar, morder, usar um pouquinho, muito menos chegar perto. É horrível saber que outra pessoa também pode fazer a tua pessoa feliz. A sensação de que outro sujeito também possa arrancar sorrisos do teu sujeito, conversar, sentir o cheirinho, seguir os bocejos pela manhã ou dormir de conchinha com a mesma qualidade que você ou até melhor, é tenso. É terrível saber que outra pessoa também possa gostar de quem você gosta, e quem você gosta pode também gostar de outra pessoa, e você pode ficar muito bem (ou muito mal), sozinho. Dói saber que as pessoas não são nossas. Que não sendo nossas, não vão ficar para sempre e em qualquer momento podem desistir da gente, podem ir embora, podem não querer mais ouvir a nossa vozinha chata e provar nosso temperamento difícil.

Iandê Albuquerque
Inserida por iandealbuquerque
1 compartilhamento

Na dureza, vi que as coisas às vezes cambaleiam demais, mas a gente tem que manter a segurança, tem que manter a firmeza, os pés no chão. Às vezes as coisas vão seguir outros caminhos, às vezes a coisa vai ficar preta, o tempo vai fechar e a gente não vai ter guarda-chuva, nem capinha e galocha pra se proteger, muito menos calor pra se desfazer do frio quando precisar. Tem que se virar. E na dureza aprendi a me virar.

Iandê Albuquerque

A gente vai indo, indo, indo…. Até chegar em um certo ponto sem perceber. A inesperada hora. O momento em que só resta se afogar um pouquinho e pagar o preço por ter mergulhado demais, por ter nadado demais até o fundo. Por ter descoberto a verdade dentro da escuridão e a real profundeza do outro. Por ter conhecido as estranhezas sem ter tanto tempo pra voltar a superfície. Sem conseguir chegar a tempo até a realidade. Amar tem um preço (que não é nada barato) caso a correnteza te leve para um destino não muito agradável, ou pra uma ilha deserta e te tire o amado pra quem tanto você remou a procura de um amor reciproco. Quem se dispõe mergulhar por completo, se dispõe também a deixar os bolsos cheios de areia e voltar pra casa sem pérola na concha, a ficar apenas com um barco furado, com a rede rasgada, perder os remos e desaprender a nadar. - Ainda bem, que é só até o momento em que a maré abaixa e as ondas maiores recuam.

Iandê Albuquerque
19 compartilhamentos

Escolhi cuidar mais de mim, regar meu jardim, tomar meu café tranquilo. Ler um bom livro sem cafunés para atrapalhar meu raciocínio. Ouvir algo e não esperar você bater em minha porta a qualquer hora mudando de ideia e desejando viver comigo pro resto da vida. Não quero viver te querendo pro resto da vida, sem saber que a vida deve continuar mesmo não te tendo até o fim. Mesmo que o fim não seja exatamente até onde pensei que seria. Não quero ocupar minha cama agora. Não quero ter você no banco de carona, pegando embalo da dancinha do ombrinho até chegar em mim mais uma vez. Não quero ver você se espalhando em mim, nem se desfazendo debaixo do meu chuveiro. Escolhi não me desencontrar, não me deixar do outro lado. Escolhi amar e não esquecer que amor também é não se esquecer. É lembrar de mim e lembrar de você. É lembrar do você sempre, sem se esquecer de mim nunca.

Iandê Albuquerque

Não quero me largar no meio do palco. Não quero ser só o som de fundo que sai de cena na primeira tragédia do espetáculo. Não quero estar aqui por estar, receber aplausos por ser só mais um que tentou fazer a diferença e que no final das contas, ninguém lembrou das minhas palavras, inclusive você. Escolhi ser quem fecha as cortinas, sem dor, sem drama, sem receber você da plateia. Sem nenhuma semelhança de desconforto aparente. Escolhi ser quem acaba com a agonia. Quem te deixou um adeus escuro pela tua falta de capacidade de não me perceber bem antes de me perder. Já basta ter esperado você todos os dias. Já basta querer te encontrar sem saber se te perdi ou se você escorregou das minhas mãos de propósito. Não quero viver sem ter nada o que pedir e ganhar. Sem ter nada para receber e simplesmente perder.

Iandê Albuquerque
Inserida por iandealbuquerque

A paixão não sobrevive aos primeiros meses porque se despede antes da partida e vai embora antes da chegada. A chegada por sua vez, não crava nenhum momento que continue a escorrer pela boca com ’’gostinho de quero mais”, mesmo que por dentro esteja em situação de calamidade: seco, vazio e a espera de um último beijo. A paixão acaba antes mesmo do último beijo, ou somos nós que vivemos a esperar de sempre mais, sem aceitar e entender que a paixão não oferece mais do que o combinado, nada que ultrapasse as fronteiras.

Iandê Albuquerque
Inserida por iandealbuquerque

Tudo bem que é recomendado conferir as informações atrás do produto antes de consumi-lo. Mas quem nunca devorou alguma coisa e esqueceu de olhar as informações nutricionais? Ou quem simplesmente ignora e pensa em apenas se saciar sem se preocupar com as calorias? Que atire a primeira pedra! Eu mesmo! Já devorei vários amores por aí que gastaram alguns dos meus dias, seja trancado no banheiro ou engolido pela minha própria cama. Apenas acompanhado da insônia e falta de orgulho, que por vezes me cegou da vista lá fora. - Acredite, existe muita coisa do lado de fora quando um amor se desprende e se estabaca no chão. Alguns que me trouxeram inchaço no peito, que me deram mal-estar e tempo perdido. Alguns que acabaram com a confiança que depositei e jogaram fora todo o conceito que me fazia acreditar em amor para sempre até aos 17 anos, ou pelo menos, era apenas isso que queria acreditar. Talvez esse tenha sido o motivo que jogaram fora o que tentei empurrar de goela abaixo. Amor vencido. Quem nunca provou um amor sem se importar com as letrinhas que avisam a qualidade do produto? A gente aprende um pouco depois. Tudo bem que no amor ninguém repara o preço (mesmo que seja aquele amorzinho de beira de estrada super barato, que se paga muito caro no final das contas). A gente esquece a data de vencimento. Depois de tudo, pedem pra agitar antes de beber. Agitar é o caralho!

Iandê Albuquerque

Eu que sempre pensei fazer parte do grupo dos mamíferos mais fortes - quero dizer, apenas em conceito de sentimento - me encontro perdido na vida, afundado nas minhas próprias incertezas, sofrendo dramas que não são meus e cavando meu próprio buraco. Os mesmos assuntos, as mesmas perguntas, as inevitáveis respostas. Dói falar tudo o que machuca. E é por isso que prefiro guardar (na maioria das vezes). Sinto como é prender a curiosidade de bisbilhotar o perfil dele no Facebook pra ver se surgiu alguma foto nova com sorriso no rosto, alguma frase do Caio ou algum trecho citado por Chico Buarque que demonstre serenidade, felicidade e sensação de que está tranquilo, de que tudo já se concertou na vida dele e de que o ontem já não faz tanto efeito. Que a tempestade que pensei, pra ele apenas foi um chuvisco que beneficiou o que estava sem cor e passou pra deixar o dia com cheiro de terra molhada. Um dia a gente aprende, aceita a dor de portas abertas, cumprimenta o fim e ainda o convida pra tomar um Quinta do Morgado numa sexta-feira a noite.

Iandê Albuquerque
Inserida por iandealbuquerque
1 compartilhamento

Faz tempo que resolvi não mexer mais em meus status no Facebook, não só do Facebook mais de qualquer rede social. Primeiro, porque cansei de namorar e depois ficar solteiro e depois namorar, e depois casar e depois se divorciar. Não que eu tenha cansado de conhecer alguém interessante, não é isso. Estive de janela aberta para novos ares, de lugarzinho desocupado para nova presença na mesa do bar, de costas lisa para uma outra massagem. Mas se caso não der certo apenas um dia depois? Isso já acontece muito por aqui. É traumatizante. Confuso. Tenho dó. Acho uma bagunça porque já conheci um pouco essa tralha que chamamos de status. Namorei até ao meio dia do sábado, depois fiquei solteiro, voltei a namorar no domingo e na segunda desandamos. Todo mundo vê que você alterou os status para ”relacionamento sério” e depois, em pouco intervalo de tempo, alterou novamente para ”solteira”. E o relacionamento sério ficou entre as aspas sem sentido verdadeiro né? Todo mundo viu e poucos curtiram. Pensaram: ”Ele/ela estava namorando ontem e já acabou?” Sim! Acabou. Por isso, se poupe dos detalhes. - Por um Facebook onde não se altere os status de relacionamento quando não se tem certeza. Quando não se tem a certeza de que de fato vai começar e vai ter um fim. (E que esse fim não seja em um domingo. Que esse fim não seja depois de algumas horas, por favor.) Ou que vai terminar de vez, sem volta. E se voltar, poupe a opção de alterar os status, pule, passe. Tudo bem que ninguém sabe quando um relacionamento pode durar uma década. Ou por duas horas, dois dias, duas semanas. Mas dá pra perceber quando a corda tá curta e bamba, quando a linha tá torta, quando o caminho não tem estrada, quando o túnel não tem luz no fim. Além da bagunça que ficou na tua vida, além do que os outros pensaram de você: ou que você é louca e por isso ele te largou. Ou você não colocou o dedo antes pra ver a intensidade do choque. Morreu eletrocutada e depois acessou o Facebook, alterou os status, comentou uma carinha curta e clichê: ”:(” (Que pra quem não sabe, significa triste, tristeza, caída, queda, perda, sofrimento e algumas vezes: DRAMA) e pronto. Além da bagunça, deixou o perfil do Facebook feio. Não fica alterando filha, poupa isso.

Iandê Albuquerque
Inserida por iandealbuquerque
1 compartilhamento

Eram três da matina de um domingo qualquer. Tinha marca de solidão se arrastando pelo chão. Tinha comida estragada pro jantar. Tinha digitais nos copos, tapete usado e lençol manchado. Tinha cor de pele bronzeada no banheiro e não tinha você. - É mágico, o momento em que a gente percebe que o outro não nos quer mais. A gente acorda, se sente livre. É claro que não se afoga um sentimento do dia para a noite. Mas a gente tenta preencher aqueles espaços com coisas novas. Tudo serve para animar, renovar, encher a casa e a vida. Preencher o tempo, costurar e remendar nossas feridas. É claro que vai doer, é claro que a gente vai sentir. É claro que o sentimento ainda vai latejar por um tempo. Toda ferida mesmo com um bom remédio deixa marcas. O remédio aqui, é o sinônimo do amor, mas o contrário de você. Só serve para doer menos, magoar menos, aliviar melhor algumas dores, criar casquinha do cru que fica. A gente supera a partir do momento em que decide ter o que merece. Sem fantasias.

Iandê Albuquerque
Inserida por iandealbuquerque

Quero menos pessoas do tipo vodca em minha vida. Menos quem acaba antes mesmo da hora, quem vai embora antes mesmo da partida. Menos quem embriaga e deixa a gente voltar sozinho, ou seguir sozinho. Certo que seguimos os nossos caminhos e não precisamos de ninguém pra isso, mas eu quero mesmo é menos desejo, menos promessas e mais matança de cede. Eu quero mesmo gente do tipo água. Que quando desce faz faxina. Que quando entra sacia. Que quando fica, afasta o calor do inferno que ficou outro dia. Gente que chega e faz as coisas florescerem. Quero mais quem passa e deixa a marquinha molhada, que refresca os momentos mais secos, que espanta o calor da agonia, que alivia o rachado do peito e desata o nó da garganta. Quero mais quem mata a sede da saudade. - Garçom suspenda a vodca! Uma água, por favor!

Iandê Albuquerque

Eu preciso comprar coisas novas. Comprar mais coragem, comprar mais vergonha na cara. Preciso alugar novos filmes, novas historias, novos livros. Preciso trocar. Trocar mentiras por verdades, trocar falsidade por lealdade. Preciso trocar gente solta por gente centrada em minha vida. Preciso trocar gente vazia por gente cheia. Preciso de companhia. Preciso trocar a carência do frio pelo incômodo do calor de copos na mesa, do corpo grudado. Preciso renovar, revogar as interrogações, os medos. Preciso renovar as certezas, a coragem de voltar depois de ter ido. De ir de novo ao ter voltado depois de uma tempestade, de dias que choviam palavras pesadas, de correntes que cortavam mais do que sinceridade na titela. Que amargavam como mentiras. Preciso do novo, do útil, do lançamento. Preciso jogar fora as impurezas, as incertezas. Preciso desapegar de tudo, de tudo aquilo que me atormenta, que me inquieta. Preciso apagar os rabiscos, passar o que foi escrito estranho. Passar a limpo de um jeito limpo. Sabe aquele momento que você precisa de tudo? Aquele momento em que você precisa só embalar a vida, embrulhar o bom. Picotar o ruim, e jogar. Jogar tudo longe. Botar tudo pra fora? É disso que estou precisando.

Iandê Albuquerque
1 compartilhamento

Não gosto de abraços soltos. De sorriso ensaiado. De gente desnutrida de amor e enriquecida de falsidade.

Iandê Albuquerque
20 compartilhamentos

Eu não quero te dizer que tenho saudades dos nossos dias, dos nossos sorrisos quando eramos um só, muito menos das noites que dormíamos chateados um com o outro, ou das noites que dormíamos bem. Eu quero te dizer que sinceramente eu não vou te esquecer e sei que você não vai me esquecer também. Quero te dizer, do fundo do meu coração, que amor não morre como eu achava que morria, não some e nem acaba como achávamos e contávamos pra qualquer pessoa que perguntasse por nós. Eu sei que nossa história acabou, sabe? Eu sei que a melhor coisa a ser feita foi desistir da gente, desistir de machucar, desistir de passar na cara, desistir de tentar organizar a bagunça que fizemos em nós. Eu sei que foi preciso desistir de continuar jogando porque o amor nunca foi um jogo e só aprendemos isso quando chegamos ao xeque-mate e ficamos sem razão pra continuar. Eu sei que o nosso relacionamento – que virou campo de guerra – chegou ao fim e que agora entramos em batalha com nós mesmos pra tentar esquecer o que vivemos. Mas eu quero te dizer, com toda certeza do mundo, que o amor não se acaba. O amor se eterniza. A gente tenta abstrair, mas esquecimento nenhum será suficiente pra negar nossa história. O que foi vivido continua pra ser relembrado e o amor se torna grandes lembranças.

Eu quero te pedir desculpas por te dizer várias vezes que acabou quando você me ligou tentando me convidar pra ir ao cinema. Quero te pedir desculpas por dizer pros seus pais que acabou quando fui pegar algumas peças de roupas que deixei aí. Quero te pedir desculpas por dizer que acabou quando você bateu em minha porta e com um sorriso desenhado no rosto me chamou pra dar uma volta. Quero te pedir desculpas por dizer que acabou quando o seu amigo me ligou dizendo que você estava pedindo desculpas mas que não teve coragem pra falar comigo porque eu diria que acabou e ponto. Quero te pedir desculpas por dizer que acabou quando me pegou de surpresa, buzinou na frente da minha casa me chamando pra ir ao show do Nando Reis. Quero te pedir desculpas por dizer que acabou quando você escreveu no asfalto da rua da minha casa de frente pra janela do meu quarto: volta pra mim. Quero te pedir desculpas porque não voltei pros teus braços, nem me permitir entrar novamente na tua vida, mas quero te dizer que foi melhor assim, foi melhor ter tirado minhas expectativas de nós, foi melhor ter recolhido meus sonhos pra você, ter colocado nossos planos no bolso e ter partido. Foi melhor sair sem bater a porta pra você não se assustar, apesar de que viver sem você me assusta um pouco. E desculpas se a minha partida foi tão calma que te deixou na dúvida se eu voltaria. Mas tá aqui, essa carta não é pra dizer que acabou, é pra dizer que coloquei um fim nisso porque aquele você que eu queria pra mim tinha partido em uma viagem sem volta pra Marte. Essa carta não é pra te dizer que voltarei, é pra dizer que estarei com você, só que agora sem beijos, abraços e vida. Estarei sempre com você, só que agora sem fotografias, sem compartilhar sorrisos juntos na linha do tempo do Facebook, sem te ligar a qualquer hora pra dizer que estou com saudade. Estarei com você dentro dos teus pensamentos e acompanhado de lembranças boas. Esta carta é pra te dizer que você sempre estará comigo também, e fique tranquilo, levei o suficiente de você pra me alimentar durante toda a vida e deixei o máximo de mim contigo pro'cê não passar fome nem mendigar sentimentos quando encontrar um novo amor.

Eu quero te dizer que não guardo ódio de ti, que deixei de escrever indiretas em meus status, que parei de dar você como exemplo de ma tragédia amorosa. Quero te pedir desculpas pelo medo que criei dos outros graças a você, quero te pedir desculpas por ter passado tanto tempo tentando te culpar só porque não consegui aceitar o nosso fim. E quero te pedir desculpas por lembrar só do que convém pra te culpar quando percebo que não mais te tenho. Eu não quero te culpar por nenhum episódio, por nenhuma página rasurada tampouco dizer que continuo sendo o personagem ingênuo disso tudo. Eu não quero dizer que estou bem pra te fazer se sentir mal. Eu não quero falar das minhas conquistas e da minha vida depois que você saiu. Eu quero te pedir desculpas por ter desejado que você ficasse doente nos finais de semana, por ter desejado que você tivesse dor de dente, por ter desejado que o péssimo astral do teu horóscopo se realizasse, que o pneu do teu carro furasse e que você se atrasasse no primeiro encontro. Não quero te acusar de nada, nem mandar você pro quinto dos infernos, muito menos te pedir pra voltar. Só quero saber se você está bem, se continua passando horas jogando no PC, se ainda bebe água na boca da garrafa ou se ainda esquece de desligar a TV. Só quero saber se você vai bem, se mudou de emprego, se ainda tem sossego ou se contou os meus segredos pra alguém. Quero saber se você trocou o vidro meio solto da janela, se ainda conversa balela ou se já provou pão com Nutella. Quero te dizer que eu andei mal, mas sarei. Que eu quis te ligar, mas me ajuizei. Que quis te chamar pra dormir aqui, mas abdiquei esses meus desejos bobos. Quero te dizer que pensei em voltar, mas foi melhor adiar. Não vim te atacar nem desejar mal a sua paquera. Não quero fazer guerra nem dizer que você não serve pra ela. Não vim te alfinetar nem dizer que você é desajeitado com o amor. Também não quero te convidar pra sair, nem te propor uma grande amizade, que se mude pra outra cidade, muito menos tramar alguma crueldade.

Quero te pedir desculpas por dizer que acabou quando você me enviou uma mensagem pedindo perdão, quando ligou pros meus pais pedindo ajuda, quando disse pra mim que estava sem chão. Quero te dizer que não vim cobrar, fazer jogo do azar nem te assombrar. Quero te desejar boa sorte, quero te dizer que sarei e sou forte, porque sei que o que passou já se foi pro norte. Quero te deixar um beijo porque lembro do seu jeito e sei que receberá sem rancor. Quero te deixar um abraço, porque lembro do nosso bom compasso e quero te dizer também que nada foi um fracasso. Quero te perdoar e te pedir perdão, porque não quero cansaço nem confusão. Quero te dizer que vou erguer a bandeira branca, te pedir pra ficar em paz, pra me deixar ser capaz e parar de dizer que você não tem talento pra amar de novo. Quero te pedir pra deixar pra trás o que passou, te propor aperto de mãos e conciliar um acordo sobre tudo que embaçou. Quero te pedir pra pôr um fim, te dizer mais uma vez que amor não se acaba e que, apesar da distância, somos exemplos disso.

Iandê Albuquerque
7 compartilhamentos

O amor é simples, leve, libertador. O amor é companheirismo, presença, parceria. É reciproco, intenso e envolvente, onde só se ganha e nada se perde. Amar é doar-se por completo pra alguém sem medo do que esse alguém possa fazer com você. Amar é aceitar o outro por completo sem tirar nem alterar nada. Amor é aquele tempo que a gente nem tem e mesmo assim doa. Amor é chegar em casa, depois de um dia daqueles, e mesmo assim ter motivos pra sorrir porque o outro te olha como se não tivesse te visto há anos. Amor é segurar firme a mão do outro e sentir segurança suficiente pra entender que você estará presente não só enquanto tua mão envolver a dele, mas principalmente quando vocês estiverem distantes. Amor é mergulhar em um olhar que não te afoga, é transformar um abraço em um abrigo, é morar em alguém que mesmo com tantos defeitos e diferença, não te assusta.

Amar é dormir ao lado de alguém que te cura de qualquer preocupação, é acordar com alguém que te leva pra um lugar que você não tem ideia, mas mesmo assim aceita o desafio, porque o amor é capaz de enfrentar e superar qualquer obstáculo na vida. Amar é saber que ninguém é dono de ninguém. É ficar mesmo quando a pipoca queimar, o refrigerante perder o gás ou quando o filme for repetitivo, porque o que realmente importa pro amor é selar o encontro, é eternizar o momento e fazer de um sentimento uma memória. Amar é aceitar que o outro é livre e que se pode partir a qualquer momento. É aceitar que se doer, melhor deixar ir. Se ficar confuso, melhor partir. Amor é poder ser quem você é, não precisar fingir e permitir que o outro seja quem ele é, sem aparências, sem disfarces.

Amar é querer o bem do outro sempre, é torcer pelos sonhos e vibrar quando alcançá-los. Amar é sentir a alma do outro, e por isso, não fazer mal. Amar é não machucar porque, de alguma forma que a ciência não consegue explicar, isso vai te ferir também. Amar é sentir que às vezes será melhor ficar em silêncio e compreender com um só olhar o que a alma do outro quer dizer. Amar é não ter orgulho, se desfazer de todos esses joguinhos que usamos pra não ficar por baixo e não aparentar vulnerável demais. Amar é ser vulnerável, é se desfazer de todas as armaduras e se envolver de peito aberto. Amar não é se poupar, é doar-se por inteiro. É aceitar que nem sempre você estará certo, e se estiver, amar é reivindicar, relevar e perdoar também. O amor não tem a ver com alianças, expectativas, promessas ou contratos. Na verdade, se tem uma coisa pra te dizer é que não espere que alguém seja o seu modelo ideal. O ame enquanto for reciproco, e se for amor, será liberto, e se for liberto, você não vai querer moldá-lo ou transformá-lo em alguma coisa só pra te fazer bem. Se for amor, te fará bem exatamente do jeito que é. Sem egoismo, por favor!

O amor é compreensão. É acordar cedo só pra levar café na cama. É pôr uma música baixinha pra não interromper o sono. Amar é estar a vontade, ficar porque te fazem bem e fazer bem porque isso é o mínimo que você deseja. Amar é ter uma cama enorme e acordar espremido no sofá. É fazer fazer brigadeiro e lembrar de guardar a panela porque o outro ama raspar o restinho de chocolate. Amar é apresentar novas coisas, lugares e novas pessoas. Amar é muito mais ”tô indo agora” que ”não posso ir”.

Se você diz que só consegue amar uma pessoa porque ela é daquele jeito e não consegue vê-la de um outro, você provavelmente não a ama. Você quer ficar com ela e ponto. Existe uma diferença muito grande entre amar e só ficar porque você se sente bem. Amar vai muito mais além do que achar o cabelo dela lindo ou os olhos castanhos dele atentador. Amar vai muito mais além do que aquela tatuagem de âncora no braço dele e a de cereja no ombro dela que você acha um charme. Amar é aceitar o outro hoje e entender que as pessoas tem todo direito de mudar, deixar a barba crescer, pintar o cabelo de rosa, cortar o cabelo bem curto, trocar o Rock pelo Samba. E você não deixará de amar alguém porque ele resolveu trocar Nirvana por Zeca Pagodinho, porque ele prometeu que não faria uma tatuagem e hoje quer preencher todo o braço esquerdo. Você não deixará de amar alguém só porque ganhou uns quilos a mais desde o verão passado. São outros motivos que vão te desprender de alguém.

Quero dizer que, quem ama vai entender que o outro pode mudar quando bem quiser, vai aceitar a naturalidade das coisas, vai aceitar as mudanças físicas, engordar, emagrecer demais, adoecer, não mais andar. Amar é aceitar que as pessoas mudam, que são vulneráveis aos acasos da vida e que apesar de tudo isso, o sentimento não muda, porque o amor, você sabe, é imutável.

Iandê Albuquerque
1 compartilhamento

Acabou e só você ainda insiste em não acreditar. Eu sei dos teus choros, gritos e brigas. Sei da tua vontade pra que desse certo, sei do teu esforço em continuar e fazer com que tudo se resolvesse. Eu conheço a tua luta, menina. Mas acabou no momento em que você respirou fundo e decidiu acolher tua dor com o silêncio. Ela não te arranca mais sorrisos, não toca as tuas mãos como antes e você já não enxerga aquele brilho nos olhos que te recebia. Já deu, menina. Segue seus passos e desprende do peso que já não alimenta mais o teu coração.

Acabou desde quando ele te olhou com desprezo e te mandou sair da vida dele, quando ele abriu o peito e te expulsou sem nem ouvir o que você tinha pra dizer. Acabou quando doeu em você e ele não se importou com isso. Cê sabe que quando existe amor, o outro sempre sabe e sente quando machuca a gente. Acabou quando ele foi insensível com você ao ponto de não perceber isso. Quando você chorou porque as coisas estavam difíceis de se acertar e ele não te amparou, quando ele disse pra você se virar sozinha porque ele tinha uma festa pra aproveitar com os amigos. Acabou quando o abraço que ele te deu não serviu como refugio, estava mais pra campo de guerra e você sabia que ali não era mais o teu lugar.

Olha bem pra você, menina. Não existe um pedaço teu nesta relação. Isso acabou quando os teus pequenos pedidos passaram a ser ignorados, e os teus mínimos defeitos estavam sendo tratados com frieza. Cê sabe que o amor precisa ter doação de ambas as partes, precisa de conversa, de presença, de equilíbrio dos dois lados, e naquela noite de desespero em que só você se preocupou, acabou.

Acabou menina, e mesmo que o teu coração ainda tente sussurrar o nome dele, tua mente em sã consciência sabe que literalmente chegou ao fim. Acabou quando você começou a duvidar do amor que ele dizia sentir por você, porque todas as atitudes dele só te feriam e nada mais te curava. Acabou quando você decidiu parar de correr atrás e também seguir os seus passos. Você tropeçou várias vezes nas lembranças que ele te deixou no meio caminho, mas acabou quando você não voltou atrás, quando seguiu de cabeça erguida e peito surrado, quando aceitou que tudo isso, um dia, iria passar e quando passasse, você iria rir de tudo.

Acabou quando você olhou pra ele, sorriu e balançou a cabeça dando um sinal de negação. Quando você enxergou que ele escolheu te perder da pior forma, e que tudo isso não te fez perder absolutamente nada porque quem se livra de quem não mais acrescenta, não perde, ganha!

Iandê Albuquerque
5 compartilhamentos

Quem quer não adia, aparece. Quem quer te ver agora, não vai deixar pra amanhã, mesmo que a distância seja incalculável. Quem quer ficar, fica sem que a gente precise implorar. Quem quer cuidar, simplesmente cuida. Quem quer, não vai poupar sentimento e entrega pra te ter.

Quem quer, arruma um jeito, não se contenta só em ouvir a tua voz pelo celular, quem quer estar com você sentirá necessidade de conversar sobre como foi o seu dia, sobre todas as coisas que te fez perder a cabeça e vai entender que é melhor te abraçar nos momentos mais difíceis do que te mandar um ''fica bem'' por mensagem.

Quem quer, não vai reservar um tempinho pra você, vai te reservar a vida e vai te ensinar que quando a gente ama, a gente não mede esforços, a gente não quer somente pra preencher aquele espaço que sobra na cama ou aquele tempo vago nos finais de semana. Quando a gente quer, a gente aceita o outro pra somar na vida, pra abrigar, para unir dois mundos.

Quem quer você, tem vontade de te repetir... Quem quer, depois de um tempo, quando você propõe morar junto, não diz "preciso pensar". Quem quer, quando você chama, não diz "hoje não dá", "não tô a fim". Porque quem quer, arruma um jeito. Quem não quer, arruma uma desculpa.

Iandê Albuquerque
2 compartilhamentos

Talvez você não precise envolver ninguém na tua bagunça agora. Talvez você precise organizar essa bagunça que ficou e não mais empurrar pra debaixo do tapete ou jogar em baixo da cama e disfarçar que tá tudo bem. Não se sinta culpado por não ter dado certo ou porque o outro está aparentemente feliz agora. Talvez você tenha sido alguém escolhido pra preencher aquele espaço e tempo porque precisava aprender algumas coisas ou talvez, porque precisasse ensinar.

Iandê Albuquerque

Calma, você tem cobrado muito de você mesma(o).


Você tem cobrado muito de você mesmo, talvez você não tenha percebido mas todas as vezes em que deveria dizer pra si mesmo: tá tudo bem. Você se autossabotou. Você se culpou porque alguém foi embora, você se culpou porque alguém te deixou sem respostas. Você carregou nas costas um peso de algo que não somava mais na sua vida só porque você não conseguia entender sobre as partidas. Você tem sido muito duro com você mesmo, e todas as vezes em que você poderia se abraçar e acreditar que tudo iria passar, você se bateu ainda mais.

Quantas vezes você tentou encontrar em si mesmo uma resposta pra explicar a fuga de alguém que você amou, e no final das contas você percebeu que às vezes não importa quanto amor você carregue no peito, não importa o quão disposto você está pra amar alguém, é preciso que esse alguém também esteja, porque uma vez ou outra alguém vai ir embora sem te dizer o porque. E eu sei que é difícil aprender, mas é necessário entender que ninguém é obrigado a ficar e a gente não precisa se culpar por isso.

Você pode escolher não se culpar tanto, a partir do ano que vem, ou melhor, você pode escolher isso hoje. Neste momento. Não precisa ser uma segunda-feira, num final de semana, ou num novo ano para você começar a cuidar do que você carrega dentro de si. Se culpar não faz bem pra alma, sabe? Melhor entender que os finais acontecem, que você precisa se reinventar a cada despedida e não estou dizendo que seja fácil, porque às vezes não é. Mas você precisa aceitar o fato de que: pessoas vem, pessoas vão, pessoas vão bagunçar você por completo, pessoas vão chegar apenas com o propósito de cuidar e depois vão embora.

Aprenda a admirar a vida e encarar a verdade dos finais porque você não merece parar no meio do caminho. Você não nasceu pra se prender aos términos, você nasceu pra ser liberdade.
( Iandê Albuquerque)

Iandê Albuquerque
1 compartilhamento

Compreender quando a vida traça rumos diferentes, é saber o momento de ir embora ao invés de fingir que ainda faz sentido ficar por egoísmo, ser machucado e também machucar.

Iandê Albuquerque

Amor é aceitar quando as coisas perdem o sentido, é ser sensível o bastante para entender quando você não cabe mais no outro, quando o outro não encaixa mais em você. Amor é ter a consciência de que o amar não existe apenas enquanto o outro está do lado, o amar deve permanecer principalmente quando o outro não está mais ao teu lado.

Iandê Albuquerque

Amor é ter maturidade o suficiente para entender que nem tudo é para sempre, que o para sempre às vezes chega ao fim, e devemos parar de considerar cada final como uma nova frustração.

Iandê Albuquerque

Quero dizer que, quem ama vai entender que o outro pode mudar quando bem quiser, vai aceitar a naturalidade das coisas, vai aceitar as mudanças físicas, engordar, emagrecer demais, adoecer, não mais andar. Amar é aceitar que as pessoas mudam, que são vulneráveis aos acasos da vida e que apesar de tudo isso, o sentimento não muda, porque o amor, você sabe, é imutável.

Iandê Albuquerque

Ás vezes bate uma saudade involuntária né? a gente pensa em ligar e não liga, a gente pensa em mandar uma mensagem mas não manda. porque às vezes é melhor aprender a controlar a saudade e lidar com a falta que ir em busca de algo que te machuca. 🤔😐

Iandê Albuquerque
Inserida por Perspicaz