Heloisa Burtet

51 - 75 do total de 368 pensamentos de Heloisa Burtet

Eu amo...
Quando alguém consegue arrancar de mim, aquele sorriso que, vem inesperadamente, do "nada" e, se torna tudo naquele momento. Aquele é o melhor sorriso que existe.

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

- Amor o que aconteceu? Você está chorando?
- Tive um pesadelo, sonhei que tinham tirado minha vida.
- Como assim amor? Tinham te matado?
- Não amor, tinham me tirado você.

Heloisa Burtet

Procuravas alguém perfeito, e encontrei você.

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

Eu sei, são coisas pequenas, quase insignificantes, mas que fazem uma grande diferença.

Heloisa Burtet

O que fazer agora?

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

Eu mudei tanto assim, sendo capaz de estar irreconhecível?

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

Você não cansa de mentir? Achando que todo mundo vai cair, nas suas mentiras!

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

É muito simples você dizer, que tudo vai passar, já que você não está no meu lugar.

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

Sei que, reclamar não resolve nada, mas eu reclamo mesmo assim.

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

- Você está bem?
- (Não, eu estou péssima, com dor, com fome, com ciúmes de você, com saudade de você, dos seus carinhos, dos seus abraços, de VOCÊ.) Sim, eu estou bem.

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

É triste estar sozinho, mas é bem pior se sentir sozinho mesmo não estando só.

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

Pareço legal, mas posso desligar o telefone na tua cara e, dizer que a ligação caiu!

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

Por quê será que você sempre pede algo á Deus e ganha outra coisa? Porque você não sabe o que pede, mas Deus sabe o que você merece e o melhor pra você.

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

Se um dia seus olhos não puderem me ver e seus lábios não puderem me falar, faça ao menos com que seu pensamento não o deixe esquecer-me.

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

Na vida não vale tanto o que temos e nem a quantidade, importa o que somos.

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

Amar é...
... Gostar muito, muito mesmo de alguém.
... É sentir-se bem com este alguém.
... É querer ter sempre a presença deste alguém.
... É viver pensando neste alguém.
AME!!!
Pois foi do amor que você nasceu.

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

O tempo, a distância ou a ausência, jamais poderão extinguir do meu coração a imagem daquele que soube conquistar a minha amizade e o meu amor.

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

Não ria da desgraça alheia.
Pois poderás ouvir os ecos de suas gargalhadas...

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

Você é para mim, o que o oxigênio é para a humanidade...

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

Não faça das pessoas um brinquedinho para brincar, um dia, você pode ser o brinquedo.

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

Te amei tanto, mas tanto, que cheguei a acreditar que não havia sobrado amor, para dar á outro alguém.

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

Faz muita falta, mas não vou querer de volta. Eu estou melhor sem.

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

Não difere no pensar das pessoas se o que você fez, foi correto ou não. As pessoas sempre irão achar um motivo para te julgar.

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet

PSNMP
Para Sempre No Meu Pensamento

Era uma quinta-feira, eu estava arrumando as malas. Logo pela madrugada de sexta-feira iria viajar para o litoral. Das pessoas que iriam comigo, um, teria curso numa cidade próxima da região praiana, o meu tio. Tudo caminhava perfeitamente bem. De madrugada, começamos a colocar as malas no carro. Em casa ficaria apenas, o meu irmão, minha avó e meu avô que ainda iria viajar para uma cidade próxima, mas logo em seguida retornaria. Na hora de entrar no carro e, pegar estrada durante o dia inteiro, eu como sempre não contive as minhas lágrimas, ao me despedir da minha avó. Sempre que viajo choro, nunca sei se é de tristeza, devido á saudade, ou de alegria ao receber o desejo de realizarmos uma boa viajem, vindo dela. Ela e o meu avô são os únicos que eu conheci, eles são pais da minha mãe. Os pais de meu pai faleceram muito antes de eu estar á caminho para este mundo. Quando sexta-feira recebeu a presença do Sol, eu já estava bem longe de casa. Ao fim da tarde cheguei ao meu destino. Fomos procurar uma casa ou um apartamento para nos hospedar no fim de semana que estaríamos na cidade. Segunda-feira, eu e meus pais já retornaríamos para casa novamente, meus tios e minha prima, então ficariam até terça-feira na cidade do curso dele. Logo que já tínhamos nos instalado na casa, arrumado nossas coisas, fomos todos para a praia. Eu estava amando tudo aquilo, pois aquela cidade litorânea ainda era desconhecida para mim, apenas os meus pais á conheciam. Até havia me esquecido, que eu tinha tirado a sexta e a segunda-feira, de férias das aulas, para poder ir junto viajar. Nós estávamos em março e, já havia um mês que as aulas tinham começado. Esse estava sendo um ano que já havia começado muito bem, principalmente na escola, onde conheci muita gente. Mas voltando para a viajem...
... O sábado amanheceu com nuvens, o tempo estava nublado, parecia que viria muita chuva, tudo para acabar com a minha alegria. Já bastava eu passar apenas um final de semana e ainda chover? Mas logo pela tarde o Sol reinou novamente e iluminou as águas do mar, deixando as ondas mais bonitas. E é claro que eu não ia perder a praia com aquele Sol! E eu sabia que no domingo também não iria chover, e então eu poderia passar o dia me bronzeando e comendo aquelas coisas deliciosas de praia. De noite saímos para jantar fora, á beira-mar. Passeamos pela calçada da praia e, apreciamos as pessoas que andavam numa espécie de bicicleta que era dirigida por quatro pessoas.
Domingo de manhã, depois que eu acordei, a primeira coisa que eu fiz foi ir ver como estava o céu lá fora, e como eu havia previsto estava muito quente. Quando fui para a praia, já estava muito cheia, sem falar na quantidade de pessoas que no calçadão faziam caminhada. Eu fui fazer uma pequena caminhada com todos. Meu pai foi buscar o seu celular que havia esquecido na casa onde estávamos. Todos nós estávamos sorrindo. Mas meu pai volta rapidamente como celular em sua mão. Todos nós ficamos muito tristes com a notícia que meu pai havia recebido, assim que o telefone tocou, na casa, por sorte ele estava lá no momento. Na hora a que mais chorou fui eu. Meu pai acabava de dizer, que meu avô ao voltar da sua viajem, passou mal em casa, e agora estava no hospital. Quem ligou para avisar foi a minha madrinha, ela nos disse que ele estava bem e, que não era o caso de voltarmos ainda hoje para casa. Não teve um sequer indivíduo na praia que não observava a garota que há tão pouco sorria, agora soluçava de tanto chorar. Ela era eu. Eu lembrava que no hospital, só estava a minha avó, ao lado de meu avô. Meus pais decidiram voltar para casa ainda hoje, nesse exato momento, confesso que fiquei chateada por ter que voltar tão cedo, mas o meu avô, estava mal, precisando de mim, e só a minha avó estava com ele, no hospital. Na certa que, ele queria a família com ele. Meus tios iriam continuar ali por hoje. No final da tarde iriam para um hotel na cidade que iria cursar o curso. Logo após o almoço partimos de viagem.
Liguei várias vezes para a minha avó, pedindo sobre o meu avô. Só quem estivesse no meu lugar, saberia o que eu estava vivendo. Sei que, são poucos os que acreditam que podemos prever acontecimentos, ou algo do tipo, mas eu acredito, tanto é que passei por isso, durante toda a minha viagem, não teve um minuto sequer que eu não pensasse no meu avô, normal, ele é muito importante pra mim. Mas o estranho é que, eu o via morto, dentro de um caixão, isso me fazia chorar muito, e me faz chorar todos os dias, toda hora, todo minuto que eu me lembro daquela imagem. Meu avô, no hospital á cada pouco pedia para a minha avó, se a família dele estava voltando. Rezei muito no caminho para que Deus, não levasse agora meu avô, e sabia que a minha fé era grande. Ele já havia tido mais de um AVC, que é um Derrame Vascular Cerebral, e todos diziam que do terceiro AVC, a pessoa não consegue superar, ele é fatal. Teve uma vez que esse AVC deu no meu avô que ele também foi para o centro hospitalar, foi um derrame normal, que poderia afetar qualquer parte motora do meu avô, mas graças ao nosso Pai, ele não teve nada afetado. No segundo AVC, foi bem fraco, ele nem precisou ir para o hospital, mas agora, já era o seu terceiro, e o meu medo era ser verdade o que diziam. Já começava anoitecer, logo estaria em casa e, poderia ir visitar o meu avô. Até que enfim, cheguei em casa, cheguei por voltas das 20:35, desci do carro para me esticar um pouco e tomar uma água, para em seguida ir para o hospital. A irmã da minha avó nos esperava, para ir visitar o meu avô. Pedi para ela ligar para minha avó e, avisar que já havíamos chegado e, logo estaríamos com ela. Mas foi ela, segurar no telefone, que a minha avó telefonou.
Eu estava do lado dela, na sala, sentada no sofá, minha mãe no seu quarto, meu pai na cozinha e, meu irmão no computador da sala. Minha tia, fala apenas um não, e eu começo a chorar, ela fica paralisada por uns instantes e desliga o telefone. Ela chama a minha mãe e, diz para meu irmão e eu, que meu avô acabara de falecer. Minha mãe sai desesperada do quarto, chorando, e eu meu irmão deitamos no sofá e começamos a chorar mais ainda. Minha vida inteira ao lado do meu avô, passa pela minha cabeça e, desaba na minha frente. Saímos rapidamente de casa e fomos para o hospital.
Ao chegar lá, vi na recepção minha avó, sai correndo abraçá-la. Ela disse que nem ela viu o meu avô morrer, pois quando ele começou a passar mal, ela saiu correndo chamar a enfermeira e, quando voltou ele já estava com os dedos roxos e, sem respirar. Eu chorei tanto, todos nós choramos muito. Aos poucos minha família foi chegando. Imaginei como estava o meu tio, e soube que ele já havia sido avisado e, mesmo chorando, pegou estrada e estava á caminho. A enfermeira foi nos chamar e disse que eu e minha mãe poderíamos ir ver o meu avô, minha madrinha insistiu para que eu fosse, mas eu não conseguia, apenas a minha mãe foi. E ao ver a minha mãe voltar, pior do que entrou, tive certeza que foi melhor eu não ter ido. Eles encaminharam meu avô para a funerária e, eu voltei para a casa. Lá estavam todos os meus vizinhos. Todos me abraçaram ao me verem chegar, abraçaram minha avó, minha mãe, meu irmão.
O velório logo começaria, mas eu não fui de noite, até porque o corpo do meu avô chegaria tarde. Fui dormir na casa da minha vizinha/ amiga, e de manhã fui ver como todos estavam. Meu avô morreu, no domingo, dia 18 de março, um mês antes do seu aniversário. Meu tio chegou logo de manhã. O tempo inteiro que eu fiquei lá de manhã, não quis ir mais perto do meu avô. Fui então à casa da minha madrinha almoçar e, retornei de tarde.
Já eram quase 17h00min e o carro da funerária o levaria para o cemitério, fui então me despedir dele, o corpo estava na minha frente, mas ele, no meu coração.
Senti-me aliviada quando fui ver ele, mesmo chorando eu sabia que ele estava ali presente do meu lado. Até hoje, penso o porquê Deus levou ele, tão cedo? Mas sei que foi, porque ele seria mais um anjo no céu, ao lado do meu primo, para cuidar de todos que amam.
Meu avô, você estará PARA SEMPRE NO MEU PENSAMENTO.

Heloisa Burtet
Inserida por HeloisaBurtet
1 compartilhamento

Não me preocupo com a minha reputação, preocupo com a minha consciência, eu sei o que eu fiz, mas não sei o que você e os outros pensam e, o que vocês pensam, não é problema meu!

Heloisa Burtet