Biografia de Guimarães Rosa

Guimarães Rosa

João Guimarães Rosa (1908-1967) foi um escritor brasileiro. Foi também médico e diplomata. Seu principal livro, Grandes Sertões Veredas, é considerado uma obra-prima da literatura brasileira.

Guimarães Rosa nasceu na cidade de Cordisburgo, Minas Gerais, no dia 27 de junho de 1908. Filho de um comerciante da região, aí iniciou seus estudos primários e em 1918 foi para Belo Horizonte, para casa de seus avós, onde prosseguiu seus estudos.

Guimarães Rosa

Carreira de médico

Em 1930 formou-se em medicina na Faculdade de Minas Gerais. Datam dessa fase seus primeiros contos, publicados na revista O Cruzeiro.

Em 1932, durante a Revolução Constitucionalista, voltou para Belo Horizonte para servir como médico voluntário da Força Pública. Posteriormente atuou como oficial médico no 9º. Batalhão de Infantaria em Barbacena, onde recolheu importante material para suas futuras obras.

Diplomata

Em 1934, dominando vários idiomas, Guimarães Rosa foi para o Rio de janeiro para prestar concurso para o Itamarati, quando conquistou o segundo lugar.

Em 1938 já era cônsul-adjunto na cidade de Hamburgo, na Alemanha. Quando o Brasil rompeu aliança com a Alemanha, durante a Segunda Guerra Mundial, Guimarães, junto com outros brasileiros, foi preso em Baden-Baden, em 1942.

Libertado no fim do ano, seguiu para Bogotá, como secretário da Embaixada Brasileira. Entre 1946 e 1951 residiu em Paris, onde consolidou sua carreira diplomática e passou a escrever com maior assiduidade.

Carreira literária

Em 1937, paralelamente à carreira diplomática, Guimarães Rosa começou a escrever Sagarana, volume de contos que retrata a paisagem mineira, a vida das fazendas, dos vaqueiros e dos criadores de gado. Com a obra, participou de um concurso ao Prêmio Humberto de Campos, perdendo o primeiro lugar para Luís Jardim.

Em 1946, depois de refazer a obra, e reduzir de 500 para 300 páginas, publicou Sagarana. O estilo era absolutamente novo, a paisagem mineira ressurgia viva e colorida, as personagens expressavam o pitoresco de sua vida regional.

A obra foi sucesso de crítica e público, seu livro de contos recebeu o Prêmio da Sociedade Felipe d'Oliveira, esgotando-se, no mesmo ano as duas edições.

Em 1956, publicou duas obras-primas Corpo de Baile (novelas) e Grandes Sertões: Veredas (romance).

Foi em Grande Sertão: Veredas que Guimarães aplicou todo o seu extenso conhecimento linguístico, pois o livro é conhecido por sua linguagem inovadora, trazendo vocábulos antigos, misturados com expressões regionais e com a criação de neologismos.

Em 1958, foi promovido a embaixador, mas preferiu permanecer no Rio de Janeiro.

O autor publicou ainda Primeiras Estórias (1962) e  Tutaméia - Terceiras Estórias (1963).

Academia Brasileira de Letras e morte

Em 1963, Guimarães Rosa foi eleito para a Academia Brasileira de Letras, mas a sua cerimônia de posse foi adiada por 4 anos.

Finalmente, em 1967, Guimarães Rosa tomou posse, mas três dias depois teve um ataque cardíaco, falecendo no Rio de Janeiro, no dia 19 de novembro de 1967.

Acervo: 233 frases e pensamentos de Guimarães Rosa.

Frases e Pensamentos de Guimarães Rosa

É preciso sofrer depois de ter sofrido, e amar, e mais amar, depois de ter amado.

Guimarães Rosa
8.5 mil compartilhamentos

Deus nos dá pessoas e coisas,
para aprendermos a alegria...
Depois, retoma coisas e pessoas
para ver se já somos capazes da alegria
sozinhos...
Essa... a alegria que ele quer

Guimarães Rosa
13 mil compartilhamentos

O correr da vida embrulha tudo.
A vida é assim: esquenta e esfria,
aperta e daí afrouxa,
sossega e depois desinquieta.
O que ela quer da gente é coragem

Guimarães Rosa
17 mil compartilhamentos

Eu quase que nada não sei. Mas desconfio de muita coisa.

Guimarães Rosa
2.8 mil compartilhamentos

Felicidade se acha é em horinhas de descuido

Guimarães Rosa
2.6 mil compartilhamentos