Biografia de Fernando Sabino

Fernando Sabino

Quem é Fernando Sabino?

Fernando Sabino (1923-2004) foi um escritor, contista, cronista, colunista, professor, jornalista e empresário brasileiro. Nascido em Minas Gerais, começou a escrever contos na adolescência. Suas principais obras são O encontro marcado (1956) e O grande mentecapto (1979), e seu conto de maior repercussão é O Homem Nu. Morreu em 2004, por conta de um câncer de fígado.

Escritor Fernando Sabino

Origem e gosto pela escrita

Fernando Tavares Sabino nasceu em Belo Horizonte, em 12 de outubro de 1923. O gosto pela literatura começou na infância, quando a mãe o ensinou a ler e escrever. Na adolescência, já escrevia contos e crônicas, que eram publicados em revistas e submetidos a concursos literários.

Além de ser contista, Sabino também adquiriu o hábito de escrever cartas quando prestou serviço militar. Ele mandava correspondências para os amigos de infância – e também escritores – Hélio Pellegrino, Otto Lara Resende e Paulo Mendes Campos.

Posteriormente, passou a trocar correspondências com Mário de Andrade e Clarice Lispector. Essas conversas foram reunidas nos livros Cartas a um jovem escritor e suas respostas (2003) e Cartas perto do coração – correspondência com Clarice Lispector (2001).

Carreira literária e profissional

Fernando Sabino iniciou sua carreira em 1941, aos 18 anos. Ele começou a trabalhar como editor no jornal Folha de Minas e também publicou sua primeira obra, Os grilos não cantam mais, um livro de contos com histórias escritas ainda na adolescência. Nesse período, entrou no curso de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Ainda na década de 1940, casou-se com Helena Valadares, filha de um governador mineiro. Getúlio Vargas, padrinho da noiva, presenteou os recém-casados com um cartório no Rio de Janeiro. O casal mudou-se para o Rio, e depois de alguns anos, Sabino formou-se em Direito na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Na década de 1950, viveu um período em Nova York, nos Estados Unidos, trabalhando na seção administrativa do consulado brasileiro. Na mesma época, começou a escrever suas obras de maior prestígio: O encontro marcado (1956) e O grande mentecapto (1979).

A primeira acompanha o jovem escritor Eduardo Marciano e suas inseguranças, dificuldades e busca pelo autoconhecimento. Consolidando a carreira literária do autor, permitiu que Sabino se apontasse do serviço público para se dedicar integralmente à escrita.

Já a segunda segue Geraldo Boaventura em suas peripécias em Minas Gerais, um homem persistente que batalha diariamente para vencer as dificuldades que a vida lhe impõe. A obra ganhou um prêmio Jabuti e um filme homônimo, lançado em 1989, com direção de Oswaldo Caldeira e com Diogo Vilela no papel principal.

Por fim, O Homem Nu é uma das crônicas mais populares de Sabino. A história cômica gira em torno de um homem que resolve sair do apartamento pelado para ir buscar o pão e fica preso fora de casa. A trama ganhou duas adaptações para os cinemas. (Leia o conto completo aqui.)

Muito além de um escritor

Fernando Sabino formou-se em Direito, prestou serviço militar, trabalhou como professor e foi empresário. Ao lado de Rubem Braga, criou a Editora do Autor (1960) e a Editora Sabiá (1966). Nesta última, foi agente literário e editor de Clarice Lispector.

Também trabalhou como editor e colunista em diversos jornais e revistas, e atuou no consulado brasileiro de Nova York, ambiente que serviu de inspiração para o livro Cidade Vazia (1950). Em 1973, ao lado do cineasta David Neves, fundou a produtora Bem-te-vi Filmes.

Além da literatura, Fernando Sabino também gostava muito de nadar. Em 1939, venceu um campeonato sul-americano de natação.

Prêmios e morte

Fernando Sabino foi contemplado com o prêmio Jabuti em 1980 pela publicação do romance O grande mentecapto (1979). Em 2002, voltou a vencer na categoria contos/crônicas, com a coletânea Livro aberto (2001). Em 1999, foi homenageado pela Academia Brasileira de Letras com o prêmio Machado de Assis pelo conjunto da obra.

O escritor morreu em 2004, por conta de um câncer de fígado. Antes de morrer, pediu que escrevessem em sua lápide: “Aqui jaz Fernando Sabino, que nasceu homem e morreu menino!” O escritor está enterrado em Botafogo, no Rio de Janeiro.

É escrevendo que consigo dizer as coisas.

Cartas a um jovem escritor e suas respostas (2003)

Acervo: 67 frases e pensamentos de Fernando Sabino.

Frases e Pensamentos de Fernando Sabino

No fim tudo dá certo, e se não deu certo é porque ainda não chegou ao fim.

Fernando Sabino
4.2 mil compartilhamentos

De tudo ficaram três coisas...
A certeza de que estamos começando...
A certeza de que é preciso continuar...
A certeza de que podemos ser interrompidos
antes de terminar...
Façamos da interrupção um caminho novo...
Da queda, um passo de dança...
Do medo, uma escada...
Do sonho, uma ponte...
Da procura, um encontro!

Fernando Sabino
11 mil compartilhamentos

De tudo, ficaram três coisas: a certeza de que ele estava sempre começando, a certeza de que era preciso continuar e a certeza de que seria interrompido antes de terminar. Fazer da interrupção um caminho novo. Fazer da queda um passo de dança, do medo uma escada, do sono uma ponte, da procura um encontro.

Fernando Sabino
3.3 mil compartilhamentos

Façamos da interrupção um caminho novo.
Da queda um passo de dança,
do medo uma escada,
do sonho uma ponte, da procura um encontro!

Fernando Sabino
4.7 mil compartilhamentos

Democracia é oportunizar a todos o mesmo ponto de partida. Quanto ao ponto de chegada, depende de cada um.

Fernando Sabino
1.8 mil compartilhamentos