Blandinne Faustine

Encontrados 3 pensamentos de Blandinne Faustine

Coração
Para que tenhamos um coração belo
é preciso saber desde logo o que é a
verdadeira beleza e como conquistá-la!

Um jovem estava no centro da cidade, proclamando ter o coração mais belo
da região.
Uma multidão o cercou e todos admiraram o seu coração.
Não havia marca ou qualquer outro defeito. Todos concordaram que aquele era o coração mais belo que já tinham visto. O jovem ficou muito orgulhoso por seu belo coração.

De repente, um velho apareceu diante da multidão e disse:
"Por que o coração do jovem não é tão bonito quanto o meu?"
A multidão e o jovem olharam para o coração do velho, que estava batendo
com vigor, mas tinha muitas cicatrizes. Havia locais em que pedaços tinham
sido removidos e outros tinham sido colocados no lugar, mas estes não
encaixavam direito, causando muitas irregularidades. Em alguns pontos do coração, faltavam pedaços.

O jovem olhou para o coração
do velho e disse:
"O senhor deve estar brincando... Compare nossos corações. O meu está
perfeito, intacto e o seu é uma mistura de cicatrizes e buracos!"

"Sim", disse o velho. "Olhando, o seu coração parece perfeito, mas eu não
trocaria o meu pelo seu.
Veja, cada cicatriz representa uma pessoa para a qual eu dei o meu amor. Tirei um pedaço do meu coração
e dei para cada uma dessas pessoas. Muitas delas deram-me também um pedaço do próprio coração
para que eu colocasse no meu, mas, como os pedaços não eram exatamente
iguais, há irregularidades. Mas eu as estimo, porque me fazem lembrar do
amor que compartilhamos.
Algumas vezes, dei pedaços do meu coração a quem não me retribuiu.
Por isso, há buracos. Eles doem. Ficam abertos, lembrando-me do amor que senti por essas pessoas...

Um dia espero que elas retribuam, preenchendo esse vazio. E aí, jovem?
Agora você entende o que é a verdadeira beleza?"
O jovem ficou calado e lágrimas escorreram pelo seu rosto. Ele
aproximou-se do velho.
Tirou um pedaço do seu perfeito e jovem coração e ofereceu ao velho,
que retribuiu o gesto.
O jovem olhou para o seu coração, não mais perfeito como antes, mas mais
belo que nunca.
Os dois se abraçaram e saíram caminhando lado a dado.
Como deve ser triste passar a vida com o coração intacto.

Blandinne Faustine
3 compartilhamentos

FORA DE MODA



Se não estivesse tão fora de moda... iria falar de
Amor.
Daquele amor sincero, olhos nos olhos, frio no coração, aquela dorzinha gostosa de ter muito medo de perder tudo...
Daqueles momentos que só quem já amou um dia conhece bem...
Daquela vontade de repartir, de conquistar todas as coisas, mas não para retê-las no egoísmo material da posse, mas para doá-las no sentimento nobre de amar.
Se não estivesse tão fora de moda... Eu iria falar de
Sinceridade.
Sabe, aquele negócio antigo de Fidelidade... Respeito mútuo...
e aquelas outras coisas que
deixaram de ter valor...
Aquela sensação que embriaga mais que a bebida; que é ter, numa pessoa só, a soma de tudo que às vezes procuramos em muitas...
A admiração pelas virtudes e a aceitação dos defeitos, mas, sobretudo, o respeito pela individualidade, que até julgamos nos pertencer, mas que cada um tem o direito de possuir...

Se não estivesse tão fora de moda... Eu iria falar em
Amizade.
Na amizade que deve existir entre duas pessoas que se querem bem...
O apoio, o interesse, a solidariedade
de um pelas coisas do outro e vice-versa.
A união além dos sentimentos, a dedicação de compreender para depois gostar...

Se não estivesse tão fora de moda... Eu iria falar em
Família.
Sim...Família!
Essa instituição que ultimamente vive a beira da falência, sofrendo contínuas e violentas agressões.
Pai, Mãe, Irmãos, Irmãs, Filhos, Lar...
Aquele bem maior de ter uma comunidade unida, pelos laços sangüíneos e protegidas pelas bênçãos divinas.
Um canto de paz no mundo, o aconchego da morada, a fonte de descanso e a renovação das energias...

E depois, eu iria até, quem sabe, falar sobre algo como... a
Felicidade.
Mas é uma pena que a felicidade, como tudo mais, há muito tempo já esteja tão fora de moda e tenha dado seu lugar aos modismos da civilização...
Ainda assim, gostaria que a sua vida fosse repleta dessas questões tão fora de moda e que, sem dúvida, fazem a diferença!
Afinal, que mal faz ser um pouquinho “careta.”

Blandinne Faustine
77 compartilhamentos

MULHERES

Dizem que, a uma certa idade, nós as mulheres nos fazemos invisíveis. Que nossa atuação na cena da vida diminui e que nos tornamos inexistentes para um mundo onde só cabe o impulso dos anos jovens.
Eu não sei se me tornei invisível para o mundo, mas pode ser. Porém nunca fui tão consciente da minha existência como agora, nunca me senti tão protagonista da minha vida, e nunca desfrutei tanto cada momento da minha existência.
Descobri que não sou uma princesa de contos de fada; descobri o ser humano sensível que sou e também muito forte. Com suas misérias e suas grandezas. Descobri que posso me permitir o luxo de não ser perfeita, de estar cheia de defeitos, de ter fraquezas, de me enganar, de fazer coisas indevidas e de não corresponder às expectativas dos outros.
E apesar disso…
Gostar de mim
Quando me olho no espelho e procuro quem fui… sorrio àquela que sou… Me alegro do caminho andado, assumo minhas contradições. Sinto que devo saudar a jovem que fui com carinho, mas deixá-la de lado porque agora me atrapalha. Seu mundo de ilusões e fantasias, já não me interessa. É bom viver sem ter tantas obrigações. Que bom não sentir um desassossego permanente causado por correr atrás de tantos sonhos.

Blandinne Faustine
205 compartilhamentos