AD

Encontrados 16 pensamentos de AD

Agressividade não está proporcionalmente relacionada ao fato, mas ao acúmulo.

AD

Uma frase de amor:
Estás longe, não posso com um olhar dizer-te tudo o que quero mas... posso com o coração dizer-te tudo o que sinto.

AD

Nunca o homem é tão grande como quando está de joelhos.

AD

Hay cosas que las palabras no pueden decir,
solo se ve express
y confirma el afecto.

AD
Inserida por bidao1362

AMIZADE


Que a cada amanhecer do seu dia nasça contigo uma flor.

Que cada sorriso teu, seja as pétalas que torna esta flor mais completa.

Que cada pensamento positivo, seja o caule .. que a sustenta.

Que cada passo para a vitória, seja a terra que alimenta.

Que cada gesto teu, seja o sol que fornece energia, e que o brilho dos teus olhos, seja a beleza e a simplicidade desta flor, que me embriaga com o seu perfume e me encanta com seu carisma.

Esta flor que desabrocha em seus pensamentos e me transforma em você...

Uma flor que vai permanecer intacta às mais diferentes épocas, aos mais inesperados destinos, uma flor que nunca vou permitir morrer.

Sabe porque?

Porque ela é linda como você
e porque todos a chamam de

AMIZADE

AD

O amor é mais que palavras bonitas, flores e poemas decorados.
Amor são palavras ditas por entres bochechas rosadas, abraços silenciosos, mãos dadas que nos aceleram o coração.
Sabes que é amor quando do nada passa a ser tudo ♥

AD

Não quero nada, de novo, de antigo, de valor !!
Eu quero é ser teu amor meu amor,
Eu quero sim !!

AD
Inserida por Claybom

Geramos nossos próprios meios. Obtemos exatamente aquilo pelo que lutamos. Somos responsáveis pela vida que nó próprios criamos. Quem terá a culpa, a quem cabe o louvor, senão a nós mesmos? Quem pode mudar nossas vidas, a qualquer tempo, senão nós mesmos?

Deus sabe que isto é verdade

AD
Inserida por nadiarattacaso

"Uma porta sempre significa momentos.
Não só de entradas e saídas...mas de despedidas, de reencontros, de voltas, de idas, de alegrias...
Há sempre detalhes..."

AD
Inserida por bonecadepanopensador

E eu acredito na
simplicidade. Na leveza.
No ser feliz com pouco.
No ser feliz por ser feliz,
de corpo e alma.
No simples do hoje.
Não do ontem
nem do amanhã.
... No Hoje!

AD
Inserida por luizasoares1951

"Acredite sempre que tudo pode ser Possível! Nesta semana, espalhe seus sonhos
aos ventos...
Eles se espalharão pelo ar, e voltarão
à você em forma de Realidade!."

AD
Inserida por Siby

𝐒𝐞𝐦𝐢 𝐓𝐨𝐦

Meus poros enquadram o sol da noite mais escura.
Um coiote sem matilha a vagar acuado, mudo.
O uivo que ora se desfaz em passos
Por sobre a cidade em traços ocos.
Ver forma mais pura e se sentir distante,
Qual musica entre precipícios e mares intocados, é estar vazio.
Vazio, entretanto, é estar em si, antes de dó.
A meio tom de um olho negro a espreitar o espírito alheio,
Enquanto o meu esfumaçado, é mar, é ar, é brisa e pasto.
Seria outra senão aquela hora
A pontilhar os percursos
Da abóbada da minha vitrine
Opaca e sem laços?
Desfragmento-me:
medos e postais,
passos e adeus,
vento ... fumaça.
Espero a preamar ou
O ocaso da existência.

AD
Inserida por scriptorium

𝐁𝐚𝐭𝐚𝐥𝐡𝐚

Pólvora espalhas pelo ar, de todos
Rindo e chamando aliados febris. Soldados.
Imprimes tua marca em espasmos e soluços.
Formas nasais a expandir-se ao vento.
Entre surtos e espirros e febres,
Endoudecido.

Vislumbro nenhuma coberta,
Esconder-me já não posso.

Desejo uma trégua apenas
Mais duradoura e distante desses dias
Blindados e frios,
Onde a rinite e a paciência se enfrentam,
Rasgando o espaço, molhando, avermelhando,
Olhos e nariz, sem trégua.

Já não posso aguentar, te peço agora,
Vá e tarde a voltar.

AD
Inserida por scriptorium

𝐁𝐫𝐮𝐦𝐚

Entre palavras procuro minha dorsal,
Tento encontrar o alinhamento perfeito.
Talvez, num ou noutro espaço imaginário
Espero o vento me levar a navegar,
Por mares nunca antes visitados,
Dentro do ciclo lunar guardado pelo sol.
Antes de o pensamento chegar e dormir.

Outra espera guardei, no entanto,
Qual animal em outubro entre folhas,
Uivando ao céu diurno.
Entre auroras espreitando
Tudo o que não encontrei.
Talvez, alimentando a ilusão de saber
Estério e surdo qualquer sabor divino.

Doravante, sei... qual fumaça ou bruma
Dispersa nos campos
Entre cipós e fungos,
Há gotas, alucinações reais,
Matemáticas improváveis,
Magias a confundir
O inocente marginal de pastos.

AD
Inserida por scriptorium

𝐇𝐮𝐦𝐚𝐧𝐢𝐝𝐚𝐝𝐞

Não há tempo, não há espaço.
Só cores de Almodóvar ou Frida Cahlo.
Desejo apenas a cantilena nordestina
Que me explique estrelas e violas enluaradas.
Schubert me acompanha bem de perto,
Qual Virgílio noutras pastagens
A lembrar de outro amigo perdido.
Qual Nina quando me diz alguma coisa
Coisa que não posso entender.
E Veríssimo que faz rir da miserável
Humanidade do meu ser.
Entender-me é como navegar por Fernando
E seus outros que nada querem além de ser-se.
Pensar em Deus não seria tolice?
Dos meus pés ao horizonte, tudo é meu.
Agora um homem rico e vil.
Qual Cezar embriagado
Pelo tempo de si mesmo entre outros vilões.
Cadê a cantiga, a lua e as estrelas?

AD
Inserida por scriptorium

𝐒𝐞𝐠𝐫𝐞𝐝𝐨

Esparsados escuto os passos
A marchar sobre o cadafalso,
Marcam borrados os desacertos
Que camuflados disfarçam
A sombra espraiada sob os pensamentos.

Não saberei da morte prematura
Mastigarei os dedos descartados
Escarrarei a palavra incerta
Com as entranhas escreverei
A tripla santidade da vergonha.

Se me arrasto ainda é pela esperança
Que deixei escapar sorrateira,
Sem saber dos sabores que a vida trouxe
E eu não souber manter.

Queria saber o que fazer com as palavras
Se aos ouvidos só é dado saber
O que o mundo fala em segredo.
Segredo eu tenho que o mundo possa querer?
Duvidosa essa boca só cala.

Saber, não saber?
Viver, não viver?
Prefiro a questão que faça sonhar
A uma certeza que faça matar.

E quão certo está todo o mundo,
Sei não me chamo Raimundo,
Mas tenho a solução e a rima
Guardadas na palma da mão
Saberei transformar em canção?

Deixo às linhas meus nós, que na palma da mão,
Duvidam, tentam bradar o mesmo não,
Dos pesadelos que se vão pelos vãos
Breves, entre as horas que me assombram,
Esperança, utopias, ilusão.

AD
Inserida por scriptorium
1 compartilhamento