Frases de Arthur Rimbaud

Cerca de 36 frases de Arthur Rimbaud

Eu escrevia silêncios, noites, anotava o inexprimível. Fixava vertigens.

Ninguém é sério aos 17 anos.

A nossa pálida razão esconde-nos o infinito.

Acredito que estou no inferno, portanto estou nele.

O poeta faz-se vidente através de um longo, imenso e sensato desregramento de todos os sentidos.

A poesia não voltará a ritmar a ação; ela passará a antecipá-la.

Dos meus antepassados gauleses tenho os olhos azuis pálidos, uma firmeza limitada e a falta de habilidade na luta.

Baile dos Enforcados
(fragmento)

Dançam, dançam os paladinos,
Os magros paladinos do diabo,
Os esqueletos dos Saladinos.

Farto de ver. A visão que se reecontra em toda parte.
Farto de ter. O ruído das cidades, à noite, e ao sol, e sempre.
Farto de saber. As paradas da vida. - Ó Ruídos e Visões!
Partir para afetos e rumores novos.

Escrevia silêncios, noites, anotava o inexprimível.
Fixava vertigens.
Criei todas as festas, todos os triunfos, todos os dramas.
Tentei inventar novas flores, novos astros, novas carnes, novos idiomas.

O poeta se faz vidente por meio de um longo, imenso e refletido desregramento de todos os sentidos. Todas as formas de amor, de sentimento, de loucura; ele procura ele mesmo, ele esgota nele todos os venenos, para só guardar as quintessências.

De manhã, eu tinha o olhar tão perdido e a postura tão morta, que aqueles que encontrei talvez não me vissem.

Farsa contínua! A minha inocência me faria chorar. A vida é a farsa a ser levada por todos.

Os beijos são como pepitas de ouro e de prata encontradas na terra sem ter qualquer valor em si e que são preciosas por indicar que há uma mina por perto.

Recebi no coração o golpe de misericórdia. Ah! Eu não o havia previsto.

A mão na pena, vale a mão na enxada.

Uma noite, sentei a Beleza no meu colo. - E a achei amarga. - E a xinguei.

Vamos apreciar sem vertigem o tamanho de minha inocência.

Por delicadeza, perdi a minha vida.

Expliquei então meus sofismas mágicos pela alucinação das palavras!...
Acabei por considerar sagrada a desordem da minha inteligência.