Amanda Liz: E hoje estou inundada de pensamentos...

E hoje estou inundada de pensamentos bobos. Nem é de hoje, já faz alguns dias. Foram chegando de mansinho, quietinho, alías, nem tanto. Eles perseguem, esses pensamentos. E a gente tenta e tenta se distrair. E quando eles chegam, eu pego uma revista ou lavo uma louça. Alguma coisa que cesse o pensamento. Mas não adianta. E quando a gente acha que depois de tanto tempo está passando, vai passar. Então, tudo renasce e volta a dilacerar a gente. Estou falando do amor, aliás, do velho e novo amor, mais velho do que novo e esperando o próximo capitulo, quem sabe! Esperanças? Devo dizer que, sem mentiras, elas permanecem como uma plantinha. Volta e meia, murcha, as folhas ressecam e quando parece que já vai morrer, eis que ressurgem folhas novinhas, novinhas. E digo mais, dessa vez sinto que está diferente em mim tudo isso. Todo esse velho novo que está ressurgindo. É doce, é mais tranquilo. Na verdade nada morreu, só havia adormecido. Invariáveis foram as vezes que eu cheguei a sentir que era página virada esse sentimento e ele estava apenas adormecido. E precisava adormecer. A barra foi pesada demais, bodes em vários níveis, Eu não estava bem e você também não, a gente não estava preparado pra tanto. É difícil segurar a mão do outro e segurar o mundo com a outra mão. Eu sei. Agora eu sei. E separados crescemos, vivemos coisas diferentes, cada um com suas batalhas. E agora eu e você somos pessoas totalmente diferentes daquelas que um dia se conheceram numa noite fria de junho. Nada será como antes, por mais lindas que sejam as recordações, por mais que eu me pegue revivendo na lembranças os bons momentos, a nossa história, nada será como antes. Mas isso não quer dizer que não possa existir uma nova história a partir dessa. O tempo passou afinal. A gente pode mergulhar várias vezes no mesmo rio, mas a correnteza jamais será a mesma. Eu não espero encontrar o mesmo cara que me inspira escrever, o cara que eu conheci numa noite fria de junho. Eu espero encontrar o cara que me inspira escrever e toda sua bagagem, tristezas e alegrias, aventuras. Eu espero encontrar a pessoa na qual você se transformou nessas andanças por ai, na vida, na arte da vida. Porque eu também não sou mais a mesma. A vida e o tempo são mestres caprichosos. E se a vida permitir que os nossos caminhos se cruzem novamente, que seja doce e leve. Sempre rezo baixinho, " proteção, saúde e amor pra ele e pra mim também. Amém", para que nunca se perca esse sentimento do bem.

1 compartilhamento
Inserida por amandaliz