Fatima Mileo: Que medidas teremos nós? nos amamos a...

Que medidas teremos nós?
nos amamos a contar garrafas náufragas,
que de milhões existirem quiçá, uma encontrada,
e de amor perdida?

Ou quem sabe como a fome dos filhotes ao ninho,
que se abrem para receber o alimento, as bocas, as asas,
e esperam o último aconchego do último raio de sol?
ou quem sabe, a medida dos ansiosos ao cais, na espera de um aceno, que chegue ou que parta,
mas que lhes dê a emoção do instante?

Saberemos nós se nossa medida não se compara,
às pernas da atleta, que se desmancha em contorções e espasmos,
reluta em desistir,
e tira seu último fôlego, último lático para que viva um instante de superação, que lembrado será pelo resto de sua vida, como seu ato mais audaz?

Ou seremos peixes, que nadam à procura de alimento nos rios diversos de nós,
a encarar correntezas para que procriem,
e possuam tantas belezas e faces,
que nem se sabe ao certo que matizes imensuráveis os colore?

Ah, quem sabe seremos raízes, que se transformam ao serem colhidas,
e se submetem a processos dolorosos, apenas para que o homem a chame de "comer", e nem dê bola
para o tempo em que ficou a crescer abundantemente ,
para depois ser arrancada, descascada, moída e transformada em pó, por amor?

Ah, talvez quem sabe nossa medida, é a certeza dos enamorados,
quando chegam os bilhetes às escondidas, num possível encontro,
onde às escondidas, juram que se amam,
e lutam até que o sol possa acolhê-los e lhe dar boas vindas....?

Até podemos ter a medida dos pés descalços
que se agregam em romaria aos pés dos santos,
em peregrinação, a quem espera o milagre,
o de receber amor em devoção?

Teremos nós, a medida de quem costura,
milimétrica, certa,
justa ao corpo,
a roupa que veste os insanos e os reis?

Ou quem sabe poetas, a medida do verso, da língua, torpe,
escrachada, bela, lúdica e metafórica,
mas que exprima todo sabor de se escrever, os mais deleitosos versos de amor,
ou a mais fétida realidade?

Poderemos também ser a medida de nós, presentes, ausentes,
extrapolando conceitos, desvirtuando o destino,
acariciando os sonhos do começo, sem quebras, sem dobras,
amassados caminhos, apenas a alegria do amor em nós?

Acho que te amo, na medida do meu abraço
acho que me amas, na medida do teu sonho
te amo sem medir todas as medidas
me amas me medindo aos olhos, somente

Nos amamos aos risos que nos felicitam
prenúncio de amor
de um amor que ao medir com o mundo parece imenso...
surge, enrosca, despe, passeia, tritura, forja, embala, come,
alimenta, escreve, viaja, chega, sai, insano, real,

Mas acima de tudo
nos amamos medidas em nós,
da ponta dos sonhos,
até a boca q se abre em beijos!!

1 compartilhamento
Inserida por fafa688