Naeno Rocha: CURTA AUSÊNCIA Ainda não passou o...

CURTA AUSÊNCIA

Ainda não passou o curto tempo
E eu já te busco pelos lugares
Com o que há de nós
O que guardamos
Nossos mantimentos
Do bem sonhar da alegria.
E não é do amor
Que semprfe sintom, agora
Quando não miro os teus olhos
Quando me vejo também nesta estória
O amor é só por ti,
São por ti todos os gestos que voltam agora
Mais demorados e cheios de agonia.
Sei da temperatura dos teus olhos
Do custo alto desta prematura lembrança.
O tempo ainda não é presente
E eu já mordo o meu lábio
Querendo tornar-me tu
Ou que sinto por ti, para ser grande
O amor, que, é, e tu me amas.
A confusão que o meu coração tenta desemaranhar
Quem saiu fostes tu
Ou terá sido eu?
Isto gera uma situação de desordem
Criada por nossas ausências,
Quando não é tempo para
Nada julgarmos
Neste andamento que ainda te vejo e mal saístes
Tenho todas as visões no tumulto de ir e vir.
A temperatura do teu lábio
Reticencioso ainda por me provocar
Antes de me abraçar com intensidade
Abocanhado pelo teu corpo
Só isto, só isto, nada mais
Nada, além disto, sou capaz.

1 compartilhamento
Inserida por naenorocha