Asa Branca do Ceará-Poeta: Mote: "No fim da minha...

Mote: "No fim da minha existência"



Ó mundo de ilusão
O qual não posso mais ver
Devido a escuridão
Que pairou no meu viver
Minhas noites são eternas
Escuras como cavernas
Da mais terrivel aparência
Meus olhos se opacseram
O brilho imenso se perderam
No fim da minha existencia
Quando deus reto juiz
Chamar-me a eternidade
Atenderei bem feliz
A ordem da divindade
A vida é um episodio
Que deve se dar sem ódio
sem duvida e sem mau carencia
Quando eu estiver na cova
A cruz servira de prova
Do fim da minha existência.

1 compartilhamento
Inserida por razack