Aline Sá: Por ti, poesia Poesia, pensei Para que...

Por ti, poesia

Poesia, pensei
Para que serve?
Como te usam mal!
... Eu que cresci
sorvendo do seu néctar doce,
aprendi a te amar.
Ouvi de ti que vinhas do profundo da alma
impressões de emoção total...

Vejo a ti, usada como arma de sedução,
expressando não a verdade do coração,
mas a propositada fábrica de ilusões
servindo aos egos e não as emoções.
Transvestem de sensibilidade e cultura,
seres de alma impura,
que buscam plantar no alheio ser
sementes de sentimento,
apenas para tê-lo.
Sem nem ao menos querê-lo.

Vejo o sensualismo expresso
e a poesia é o veículo,
onde se expõe corpos sem pudores,
propangada, onde quem escreve
deita numa bandeja com uma maçã na boca,
prometendo banquete onde
só tem ralo.
Nem afeto, nem desejo,
nem amor, nem valor.
Isso é fato e não me calo.

Como é diferente a poesia que nasce da alma!
Do amor, da dor,
Da alegria, da tristeza,
Sempre retratando a beleza das emoções humanas!
Hoje ao ler poemas que nascem do dom de iludir,
Reflexos de almas corruptoras, e corruptas.
Para defender- te, amada poesia.
Doce ironia, fiz-me poeta.

1 compartilhamento
Inserida por Alinemsnjc