Renato Broz: Há quem dizem que sou mito, Há quem...

Há quem dizem que sou mito,
Há quem dizem que sou morte,
Sou seu melhor pesadelo, sua sorte.

Sem cerimonia, sem rito, um ato,
Assim nasceu Renato,
Que mesmo nao sendo Gato,
Nesse mísero formato,
Renasce, resurge, revive é fato.

Posso te falar palavras de amor,
Posso te causar a mais incessante dor,
Mas se voce vier comigo,
Terá seu seguro abrigo,

Se ele largou tudo pra com voce ficar,
Contruo o dobro pra te empunhar,

É ruim gostar de um carneiro,
mas sem provocar um salseiro,
Digo que desde aquele nascer do sol,
Não sou mais eu inteiro,
Até tento renascer, fagueiro,
Mas a cada tentativa me vejo ao meio,
Metade desse mito, que ficou em Bonito.

1 compartilhamento
Inserida por renatocervantes