Lindalva Anzellotti Leal: VENDA DOS OLHOS Silêncio, que noite...

VENDA DOS OLHOS Silêncio, que noite calma No céu só vejo neblina Onde mergulha minha alma Nenhuma estrela ilumina Olhando pela janela Meu pensamento é infinito ... Frase de Lindalva Anzellotti Leal.

VENDA DOS OLHOS

Silêncio, que noite calma
No céu só vejo neblina
Onde mergulha minha alma
Nenhuma estrela ilumina

Olhando pela janela
Meu pensamento é infinito
E como uma Cinderela
Eu passo pra um mundo bonito

Eu tiro a venda dos olhos
E dos meus pés as correntes
E como um pássaro noturno
Voo e deixo meu coração pungente

Tenho amigos, sou feliz
Sorrio muito contente
Não tenho varão, nem raízes
E desconheço descendentes

Não tenho medo de nada
Nem sinto a hora passar
Mas temo a madrugada
Que o pássaro tem que voltar

E assim vestida de rendas
Chego a pensar que sou gente
Mas outra vez, coloco a venda nos olhos
E nos meus pés as correntes

1 compartilhamento
Inserida por arianeleal