Leandro Oliveira Santana: Você não sabe, ou faz que não...

Você não sabe, ou faz que não percebe, mas eu já me rendi aos teus encantos, há muito tempo. E agora o que fazer, deixar acontecer? Tudo aconteceu quando se menos era esperado, quando estava tão fragilizado, tudo estava fora do seu devido lugar, as ordens estavam inversas, algo incomum havia. Mas como não me render? Você tem uma magia, um sorriso instigante, um olhar tão radiante, que por traz de todo esse brilho, fica oculto um mistério, que talvez seja só mais um dos seus muitos charmes, e sim, de maneira tão piega, volto a dizer, com devoção: este conjunto me fascina, me atrai. Somos como dois ímãs, nós temos uma proporção fantástica, que quanto mais perto estou de ti, maior é essa força atrativa. E sabe, eu até tento moderar, fazendo com que as coisas sejam gradativas, com receio de me entregar demais a você e que isso possa gerar uma certa dependência, mas eis que outro lado surge, por que, pra que perder tempo? O hoje, o agora são tão fantásticos, e o amanhã, só Deus sabe... Então, chegue mais perto, se aprochegue, venha viver toda esta sintonia a dois, juro a ti, meu bem, que verás que juntos podemos estar completos, essa visão pode até estar distorcida, mas vem comigo, vamos andar juntos, vamos entrelaçar nossos dedos, unir nossos trilhos, simbolizando esta união, essa sincronia, que, talvez no caminho, eu te faça entender tudo. E diante de toda essa magia, diante de todo esse fascínio, quem se ousará a dizer que não existem príncipes ou princesas? Eu digo, repito e suplico, de maneira insistente, existem sim, príncipes, princesas, e isso vai além da ficção, vai além do imaginário, um príncipe ou uma princesa, é você quem faz, sabe... quando chega a um ponto, em que alguém te toca de maneira tão única, te invade e revira tudo ao seu redor, que te dá o algo que faltava, e que está disposta a estar do teu lado, no tão fantástico hoje, ou, no tão incerto amanhã, e você tem uma sensação tão nobre, uma sensação, até então desconhecida, e que você se sente completo, eliminando todos os resquícios de vazio, isto sim, é uma príncipe/princesa, príncipes e princesas, são pessoas únicas e que você os cria, por enxergá-los desta maneira, acredite, eles existem, e podem estar bem mais próximo do que possas imaginar, para isto, basta crer e ter uma busca refinada. Numa sociedade em que vivenciamos, com tantas pessoas anti-éticas, que assim se classificam por desprezarem o sentimento alheio, numa sociedade de pessoas antissentimentais, você cria um ciclo vicioso de habitar-se a acostumar com essas pessoas, que quando encontra aquele príncipe, aquela princesa, você não irá reconhecer, pois seu faro não está aguçado, não está refinado para tal.

1 compartilhamento
Inserida por leeeosantana