Tiago Landeira: O mago e a pétala do bem me quer Mago -...

O mago e a pétala do bem me quer



Mago

- Pétala do bem me quer, venho a ti porque preciso fazer chover.
Já consegui o mais difícil pra tal feito. O piano de calda que tive que trazer na cabeça.
A fumaça do primeiro cachimbo e lágrimas de anjo que, numa pequena prece, tive que fazê-los, por mim, se compadecer. Não sabe o que tive de dizer.
Agora, tendo tudo reunido e prestes a porção finalizar; sei que todo esforço só terá valia se espontaneamente, desta flor pra esta caldeira, você se lançar.
Essa chuva vai regar tuas irmãs, tua terra e tudo que conheces...
Se eu tivesse que te arrancar você não seria uma pétala que bem me quereria; assim não tenho mais o que justificar.

- O que me diz?



Pétala do bem me quer

- Aprecio seu amor, mas se meu bem quero te dar é aqui onde estou; no mesmo lugar desde quando a ultima chuva me fez brotar.

- Vá ali, pegue uma de plástico e o mesmo efeito terá, e ela até poderás arrancar.



Mago

- Há quase três séculos nascestes; no broto mais novo na última chuva.
Teu vigor já está cansado e nunca antes foi renovado. Se perder a tua vida, a chuva será também perdida.
A falsa pétala não traria o mesmo resultado, pois se mostra pétala, mas poderia ser apenas um saco.
Julgue sua decisão pelo amor. Ele exige o sacrifício e ainda ignora a dor.
Ele constrói sonhos com os restos de outros destruídos. Sua conquista não supera as perdas descompensadas.
O amor não enxerga com medidas. Ele é um deus voraz por acordar as ilusões.
Assim, se este apelo recusar e vida decidir continuar; já terá a si mesma julgado. E, ainda que na flor; sua alma vazia de todo esse amor será.
Seca vai murchar e cedo, muito antes de cair, nunca mais sorrirá.
De outro modo, se decidir ser lembrança e sacrifício, partirá leve para liberdade de outro sonho.

- Pelo amor, perdoada você estará.



Pétala do bem me quer

- Me convences do amor, sábio mago, e de todo o bem que queres causar.
Sou fruto deste rude sentimento e fora dele não posso eu sequer me imaginar.
Atiro-me agora a esta caldeira mágica sabendo que todo o meu medo e saudade de apenas pétala ser, são as únicas forças das que agora preciso me libertar.
Escolho ser sacrifício sabendo, também, que estas forças são as menos duradouras e as primeiras das quais irei me aliviar.

- Escolho ser lembrança, sabendo que da dor nunca irei me lembrar.



Mago

- Bela pétala do bem me quer; antes mesmo de caíres, a esperança em torno teu renascerá.
Tua vida dura hoje e para sempre durará.
Nem com tua despedida; partido, de fato, terá.
Mesmo o fogo destruidor, quente e aniquilador, com seu toque de pureza, irá se transformar.
Lá fora, já vem o grande vento com o benevolente propósito de esta fusão mágica espalhar.
Serás para sempre verde, rosas e céu belo em dia aberto ou em noite de luar.

- Então, sendo eu, mago em tantas vidas, testemunhava mais um milagre perturbado pela paz exigente de algum sacrifício.
Vi a linda pétala de meu bem querer saltar.

Senti o amor de toda sua vida e dor brilhantes em seu ultimo olhar.

1 compartilhamento
Inserida por landeira