Flavia Sena: Aqui estou eu, me ajude, eu fiz de novo....

Aqui estou eu, me ajude, eu fiz de novo. Continuo acreditando no nada, insistindo no que não existe, duvidando dos meus próprios sentimentos. Quanto será que vale um amor incerto? Será que é amor mesmo? Será que pode chegar a ser considerado ao menos como paixão? Tantas coisas pra falar, tantas conversas planejadas no silêncio depressivo do meu quarto... Tão perto, mas tão longe! Somos tão parecidos, tantos gostos em comum... Mas a sua mente continua sendo um terreno escuro e desconhecido para mim. Sinto uma pequena força aumentando no meu interior, mas estou me controlando, não posso deixá-la crescer... Não quero. Sei que vou sofrer, como já sofri tantas vezes antes; sei que mesmo que dê certo no começo, vai haver um final, como todas as coisas do mundo têm, e ele provavelmente não vai ser feliz. Está tão perto de acontecer... Basta um sinal seu, uma pequena prova. Não precisa ser um gesto desesperado, só que seja sincero e transparente; de um jeito que só eu e você possamos entender. Meus sentimentos são avassaladores, intensos demais, e se não forem alimentados acabam rapidamente... Por favor, não deixe para depois. Sei que cada um tem seu tempo, mas perceba antes que seja tarde demais. Será que quando te abraço você não sente o quanto dói ter que controlar essa força dentro de mim? Preciso de um tempo, mas também preciso de você. Mesmo que seja só por cinco minutos.

1 compartilhamento
Inserida por flaaviasena