Hozana Teixeira - A dreamer defeated: Uma réstia de felicidade ainda à...

Uma réstia de felicidade ainda à mostra: Um pequeno desejo pela solidão abraçava meu corpo. A sintonia encantadora que isso me causou doeu como pontadas amargas e frias dentro de mim. Refugiei a minha esperança de encontrar alguém que eu possa e precise confiar, transformando-a numa ânsia incógnita.
Quando me dei conta do que fiz, já o tinha em meus braços, seu perfume chegava ao meu nariz depressa, transformando em um desejo avassalador de tê-lo por perto. Nossas mãos estavam unidas, corríamos, estávamos em um campo amplo e limpo. Pessoas sorriam ao nosso redor. Não corríamos por obrigação, atrasos, mas pelo prazer definitivo que nos dava correr, nos divertir: juntos. Em uma deliciosa fração de segundos, nossos olhares se cruzavam – podia sentir sua felicidade, sendo transmitida a mim – e uma troca de sorrisos era feita.
Essa felicidade que ele deixou comigo é cruel, vazia. Pássaros no céu nos apresentavam a realidade amarga e um pouco de sua liberdade é passada para nós.
- Anjo meu. Caminhe comigo, corra comigo, voe comigo. Vamos juntos até a realidade perpétua e assustadora, tape meus olhos e refugie meu corpo junto ao teu. Misturemos o nosso perfume doce, venha, traga seu corpo até mim e deixe-me enterrar minha cabeça em seus braços, prometa que não vai deixar que nada de ruim aconteça comigo. Prometa que vai ficar aqui, me deixando feliz. Prometa ficar. Para sempre! – Minha voz soou fraca e sincera. Era tudo o que eu queria. Tudo o que precisava. – Eu prometo cuidar de ti. – Terminei e deixei que o silêncio abraçasse nossos corpos, logo um vazio tomou o meu.
Percebo que tudo não passa de uma ilusão vazia e ilusória de minha mente.

1 compartilhamento
Inserida por Hozanateixeira