Fernanda Gaseta: Não era como lembrar dele de vez em...

Não era como lembrar dele de vez em quando, era como pensar nele a cada batida do seu coração. Não era como ela sempre tinha sonhado, era melhor, era como os contos de fadas sempre disseram, com finais felizes. Não eram só beijos, eram abraços quentes nos dias frios, era um cafuné para adormecer, era um carinho para acalmar, um sorriso para lembrar. Não eram só mãos dadas no cinema, eram mãos dadas nas ruas, na fila do banco, mãos em um momento difícil, mãos nos melhores momentos, mãos que exploravam o corpo, a alma, as sensações. Não eram só simples beijos na orelha, eram arrepios que vinham de dentro, de tirar o fôlego, de levantar os pêlos de todo o corpo. Não eram só pernas entrelaçadas, eram vidas cruzadas, contas conjunta. Não eram só olhares trocados, eram segredos, confissões, medos, alegrias. Não era como dividir a cama, era compartilhá-la, assim como era compartilhar uma risada, uma música, uma poesia, um conselho. Não era como ter alguém pra ligar quando quisesse jogar assunto fora, era como ter alguém pra ligar a qualquer momento, como ter alguém pra chorar, alguém pra contar detalhes, alguém pra contar uma piada. Não era como se sentir vazia por dentro, faltando um pedaço, era como saber que sua alma estava dividida em dois corpos, que ele era seu outro corpo, que seu pedaço estava ali. Não era simples como ter um colega, era melhor, era como ter um amigo, um irmão, um confidente, companheiro, cúmplice, um amor. Não era só um namorado, era um amigo amante apaixonado.

2 compartilhamentos
Inserida por flormaracuja