Eduarda Morgado: Eu que tenho o dom da escrita, não...

Eu que tenho o dom da escrita, não tenho o dom da expressão. Não há palavra, não há nenhuma frase, não há nenhum modo de expressar o que estou sentindo, e se tem, eu ainda não encontrei. Como vou colocar no papel uma dor que me calou até mesmo as lágrimas? Sem soluços, sem gemidos, sem lágrimas. Como vou demonstrar isso que está esmagando dentro de mim, me chamando de incapaz, de idiota, de burra? Há como calar isso?


Desde que tudo começou eu tenho tentado ser importante, ser algo notável pra você. Eu quis, todo esse tempo, cuidar de você, ser o que você precisava. Eu tentei ser o primeiro pensamento quando você acordava, tentei ser o motivo da sua falta de sono, tentei ter o motivo do seu sorriso, tentei ser o motivo da sua felicidade. Porque pra mim, você é isso tudo. Em algum momento eu consegui?


Eu sei que não fiz nada errado, mas não vou jogar a culpa toda em você. Eu nunca serei capaz de mudar você, esse seu jeito? Eu estou aqui, olhando cada passo seu, e cada passo seu tem me machucado, tem tirado de mim o sentimento mais bonito que eu tenho, que é o amor por você. Não vou te dizer que perdi as esperanças, porque eu estaria mentindo, mas não vou dizer também que vou esquecer tudo sem que você me mostre que realmente quer que eu seja pra você, o que você é pra mim.


Algumas noites frias vão vir ao meu encontro, algumas tardes solitárias vão me assaltar o momento. Por mais que eu não esteja ao seu lado agora, é onde eu mais queria estar. Eu te amo, ainda.

1 compartilhamento
Inserida por dudamorgado