Janine Lamenha: Eu finalmente deixei de ter pena de mim...

Eu finalmente deixei de ter pena de mim por estar sem você, e passei a ter pena de você por estar sem mim. Cansei. Cansei de sorrir todos os dias como se tudo estivesse bem. Cansei de escrever textos e mais textos com indiretas mais idiotas que você, só para chamar sua atenção. Cansei de ser seu ombro amigo, de ser sua segunda opção. Cansei de escutar músicas e lembrar do seu sorriso. Cansei de caçar seu cheiro no meu café matinal. Cansei de ir a cozinha e perceber o quão atraente me parece uma faca. Cansei de te amar. Cansei de você! Há momentos que a vida clama por uma mudança, e percebemos o quanto somos inutéis por lutar por pessoas que através de suas próprias atitudes, mostram que valem quase nada... Como eu pude te amar e você me causar tantas dores de cabeça, coração, cotovelo, estômago [...] affffffffffffffff. você é masoquista ou o quê? Eu te amei sabendo que sempre seria sua, e que você sempre seria de todas. Agora eu vejo que todas as minhas escolhas, me tornam quem eu realmente sou e definem o que vai acontecer comigo. Sabe, você deu luz a maior escuridão da minha vida. Mas adivinha de que isso tudo serviu para mim? Lições. Às vezes, eu tenho que gritar para me sentir calma, chorar para conseguir enxergar claramente e cair cem vezes para aprender como me levantar. Eu confesso que caí, e muito... diversas vezes esperei por você para estender a mão, mas eu aprendi a me erguer sozinha, e não preciso mais de você. Para absolutamente nada. E outra, nem sempre é necessario tornar-se forte, temos que respirar nossas fraquezas. E isso eu aprendi com você também! Quando tudo se rasga, quem costura sou eu. Dou conta. Se amanhã eu acordar e resolver amar muito, eu amo. Ele, você, outro. Ponto final. E não se preocupe, eu já sei onde desliga o botão do pensamento. Acho que as circustâncias da vida finalmente melhoraram o meu QI. É por isso que te envio essa carta, para falar com todas as letras que a partir de hoje, você saiu da minha vida. Não é mais nada. Nadinha. Não passa de um passado ridículo onde nem minhas risadas irônicas e sarcásticas merecem. A falta de oxigênio agora, já não é mais pelo excesso de amor... e sim pela falta dele! Eu resolvi abraçar o que me faz feliz. Não esperar. Promessas vão e vem. Planos, se desfazem. Palavras, o vento leva. Sorte, se eu beijar um sapo ele vai virar cavalo com a sorte que eu tenho, mas o bom de tudo é que ela muda. Diferente de você. E as regras... Quem as dita agora sou eu! Você jogou nas minhas costas toda a culpa, toda a dor, toda a responsabilidade de algo podre e inútil, sem finalidade, sem positividade, e me empurrou do penhasco mais alto. Mas aí vai o meu recadinho pra você: PASSOU. E isso é para você nunca mais esquecer que nada é pesado demais para quem tem asas.

3 compartilhamentos
Inserida por JanineLamenha