Florboleta - GP: "O Vento" levou minha...

"O Vento" levou minha história hermaníaca e só comecei a perceber isso depois de “Onze Dias”.
“Fingi na Hora Rir”, mas realmente, "Todo Carnaval Tem Seu Fim", todo “Pierrot” chora e toda “Descoberta” assusta!
Hoje eu sei, a verdade vai muito "Além do Que Se Vê...
"Quem Sabe" um dia eu consiga entender o que até hoje explicação nenhuma respondeu?!
Consiga entender as atitudes de um "Cara Estranho" e ao mesmo tempo tão "Sentimental" que simplesmente um dia acorda e resolve que “Vai Embora”.
A "Primavera" se foi, "A Flor" desabrochou, "A Casa Pré-Fabricada" nunca saiu da idéia e também não compraremos uma na “Marambaia”... A "Anna Julia" não nascerá, não será "Morena" e não iremos todos juntos à "Paquetá”. As fotos viraram fatos passados, não sobrou nada, nem um “Retrato pra Iaiá”.
"Pois é"... "Os Pássaros" hoje cantam num "Horizonte Distante". Dos passos na areia "Fez-se Mar", nem "Dois Barcos" salvariam nós dois...
Como “Tanto Amor” pode “Evaporar” e deixar alguém “Tão Sozinho”?
Um dia eu quis me jogar do "Primeiro Andar", do “Sétimo Andar”, mas "O Pouco Que Sobrou" de fé em mim de repente se fortaleceu, como se alguém me dissesse: “-Desce”, “Eu Vou Tirar Você Desse Lugar”! E eu fui salva...!
Descobri com a “Liberdade” que tinha “O Mundo aos meus Pés” e acordei para a vida que independe de “Um Par” para me sorrir e dar “Bom Dia”.
As “Lágrimas Sofridas” secaram, a “Máscara Negra” deu lugar à “Cara Valente”, o “Azedume” aos poucos foi virando doce, e ter um “Outro Alguém”, “Alguém Pra Mim” ou ser “A Outra” foi se transformando em reais possibilidades.
Dos erros não sobraram “Traumas”, “Sem Ter Você” redescobri “De Onde Vem a Calma” e segui em frente, sem pensar quem recomeçaria primeiro ou seria “O Vencedor”.
“Veja bem, meu bem”, ao fim de tudo isso, “Quando eu Digo” que “Tá bom”, não é apenas “Pra Ver Se Cola” e nem quero que “Tenha dó”... Eu só não entendi e desisti!
Hoje não somos como “Romeu e Julieta”, não somos “Dois em Um”, não teremos um dia a tal “Conversa de Botas Batidas”, não falaremos “Sobre o Tempo”, não teremos “Mais Uma Canção” “Pra Falar de Amor”, não dançaremos um “Samba a Dois” sob a “Santa Chuva” em um “Sábado Morto”, tão pouco admiraremos “O Ritmo da Chuva” pela “Janela”.
Já não poderei um dia comparar você entre “O Velho e o Moço” que conheci ou questionar: “-Cadê teu Suin?”, mas poderei levá-lo comigo sempre “Do Lado de Dentro”, ainda que eu encontre um “Sapato Novo”, uma vez que desistiu para sempre de seguir ao meu lado como meu “Último Romance”.
Toda “Despedida” “É de Lágrima”, mas “Deixa Estar”, isso passa...
Eu poderia dizer: “Ainda é Cedo”, “Deixa o Verão”, mas “Vambora”, seria como esperar por novas explicações no meio desse “Cinema Mudo”, por isso “Assim Será” e sem “Condicional”!
“Perdoa”, hoje sou eu que preciso dizer: “Adeus Você”.

1 compartilhamento
Inserida por florboleta