João Pedro Filho: Dossel Um denso dossel cobriu meus...

Dossel Um denso dossel cobriu meus olhos, e a noite caiu. Foram-se as vozes, as cores, o toque, e no silente de um só; resvalei em mim nas lembranças que se esf... Frase de João Pedro Filho.

Dossel


Um denso dossel cobriu meus olhos, e a noite caiu.

Foram-se as vozes, as cores, o toque, e no silente de um só; resvalei em mim nas lembranças que se esfumaram no tempo.

Na urgência do destino, a selfie ausente do poente não vivido. O adeus roubado.

Caminhando de olhos fechados, uma vida esvaiu-se por entre os dedos. Cansado, adormeci nos escombros de mim mesmo, a duras penas conformado.

Despertei à luz do sol, quando o vento soprou o dossel. Nesta altura, conheci — desconhecendo, as rugas na pele e os fios brancos, nascidos na dormência de quem fui.

Na esperança, sigo lutando no presente, a guardar memórias na epiderme; trapaceando o incerto blackout.

Quanto tempo me resta, não sei!
Cá dentro, é a dor no vazio da minha metamorfose que perdi.

Sem ver, envelheci!

Inserida por joaopedrofilho