Re Pinheiro: Eu sou o Caos E na verdade o que...

Eu sou o Caos
E na verdade o que importa?
Importa amar? Ou ser amado?
Apaixonar ou sentir alguém que realmente é apaixonado por você?
Comecei a refletir sobre este amontoado de reflexões...após uma música perfeita e indefinida.
Querer dizer o que se sente e não conseguir ser compreendido no complexo descontrole das emoções.
Mas permear entre as sombras de tentativas "eficazes" de bloqueios talvez seja algo como tomar um analgésico para uma futura fratura que você sequer sabe que poderá ocorrer.
Então que seja brindada a anestesia geral!
Quando confesso um sentimento sou o que? Uma espécie de alienígena?
Sim, sou o céu e o inferno.
Mas o mistério está em desejar conhecer o desconhecido e habitar sempre neste som do silêncio, e na curiosidade de conhecer o que eu mesma desconheço.
Não teria sido eu clara o suficiente?
Ou teria sido suficientemente clara para causar o prenuncio, o alarde que até então repudiava? Poderia causar em instantes doses de felicidades que deixam o sabor de saudade?
Mas me diga? É o medo, o efeito é a causa de tudo, o vil orgulho de se julgar superior segundo seus valores?
Porque mesmo que o razão impere, e seja Orgulho, é o medo que o limita!
Mas te limita a que?
Medo de quê? De ser feliz? De não ser feliz?
O medo impede, bloqueia, ilude...
Te coloca numa zona de conforto onde o amor é o que menos importa.
Se julgar dono da razão e perdê-la, se considerar que você dará as regras para a vida ela te dará o que no final?
Sempre darei tudo, o melhor e o pior de mim, porque no meio não há lacunas, espaços ou vazios... entre a deusa da loucura e a ruínas dos pensamentos.

Re Pinheiro

Inserida por RegianePinheiro