Antonieta Silva: Tu és uma droga para mim, o meu bem é...

Tu és uma droga para mim, o meu bem é o meu mal. Quando estou contigo vem a sensação de euforia, de paz, de total entrega. Depois, no dia seguinte, quero mais. Me viciei. No início pensava em ti por 1 minuto e te esquecia por 2 horas, agora penso em ti por 2 horas e esqueço de ti por 1 minuto.

Não quero esta sensação de bem quando estou contigo para depois sentir a abstinência. Abstinência não só da tua presença, mas de saber q nunca poderás me dar o q tanto quero. Assim como os viciados roubam e se humilham para conseguir o que precisam, estive  disposta a fazer qualquer coisa pelo teu amor (e já tentei de tudo q se possa fazer com dignidade sem te magoar e aos teus). Toda vez que me humilho, vem a esperança que tu vejas q é possível estares comigo e me assumires emocionalmente e fisicamente. E toda vez vem a frustração de não queres te esforçar em achar um meio disto acontecer. (onde há força de querer há um meio).

Eu percebo que queres manter esta ligação já q toda vez q te falo q quero me distanciar tu apareces e de novo fico com esperança para depois me frustrar.

Estou numa corda bamba contigo Manter o equilíbrio é difícil até mesmo no estado mais sóbrio; fazer isso num estado de abandono e tristeza (que atualmente passo) é praticamente impossível e sei q a longo prazo, será completamente impossível.

Preciso me distanciar de ti por um pouco. Não quero perder tua amizade. Sempre vou te amar, meu lindo. Deixa me curar deste vício. 

Inserida por Antyrsa