Sandro Nadine: Exclusivas são as nossas realizações,...

Exclusivas são as nossas realizações, quando decidimos lutar por uma causa verdadeiramente nobre, e onde o que importa, não é o cargo que ocupamos no celeiro da vida, mas as ações que deliberam e provocam mudanças na sociedade...Precisamos fertilizar as mudas recém-plantadas no solo das nossas idealizações. Projetos vitoriosos são frutos de árdua labuta, e refluxos de larga inspiração, eles precisam ser pensados, avaliados e implantados, antes de tudo, dentro de uma gestão clara e transparente . Somos a soma de um pensamento que transmuta e de uma consciência que constrói, na condição pela qual nos predispomos à traduzir a real conjuntura da qual fazemos parte, no que cabe às problemáticas associadas aos nossos companheiros de jornada. A livre iniciativa, o compromisso, a retidão, o profissionalismo, e a base conceitual, nos remete à sabedoria profunda de que carecemos de um só propósito, diante dos sonhos e das expectativas do mundo. Novos conceitos surgirão à partir de novas ideias, novas atitudes propiciarão novos rumos, e novos projetos deverão surgir em favor dos que se empenham em construir uma sociedade melhor e mais justa.
O Natal é uma "cortina" que se abre, ante os raios de um grande "astro luminoso". O "íntimo" se aprofunda no silêncio, nos revelando sagrados "sinais"
Natal é esse "Sol" interior que devemos sentir e exercitar. Qual o sentido de vestirmos a cidade de luzes que piscam ao cair da noite? A verdadeira luz deve brilhar nos nossos corações... De que adianta nos enchermos de "presentes" e esbanjarmos na ceia natalina? Presentes materiais podem até nos permitir risos e uma breve satisfação, mas nunca será suficiente para garantirmos uma vida rica de alegrias e de bençãos; na realidade, uma bela ceia, não é aquela em que você tem o tudo que lhe escraviza, mas a que com muito pouco, satisfaz a sua vida...Como se gasta tanto, se compra tanto e se desperdiça tanto? Impossível alcançarmos a plenitude, se esquecemos egoisticamente os menos favorecidos...Deixemos de alimentar a utopia que nos anula todos os dias, e vivamos humildemente a verdadeira alegria de se ter uma vida...
Que possamos abraçar um sentimento maior, capaz de nos ofertar luzes verdadeiras no "Feliz Natal" de nossas próprias existências, e que verdadeiramente, possamos incorporar tudo aquilo que realmente somos: Filhos de um único Deus, porém, criaturas exatamente iguais, rumando para um mesmo destino, e sujeitos ao mesmo fim.
Natal, portanto, é a luz de Deus em nós...Se queremos alcançar esta luz, comecemos a exercitá-la nos primeiros dias do ano, pois ao chegarmos ao fim de mais uma etapa, 365 dias ainda serão insuficientes, para conseguirmos representá-la com dignidade, gratidão, e sobretudo, bravura, pois trata-se de um equívoco lamentável, nos vestirmos de ” luzes” materiais, imaginando que com isso, nós um dia brilharemos no “Céu”.

1 compartilhamento
Inserida por sandronadine