Alexandru solomon, escritor: Soneto do IR Mandaria-lhe meus versos,...

Soneto do IR Mandaria-lhe meus versos, mas primeiro, o Leão. Pode ser sem importância, mas eu lhe direi que não, Mesmo sem ser milionário, a tarefa é a mesma, C... Frase de alexandru solomon, escritor.

Soneto do IR

Mandaria-lhe meus versos, mas primeiro, o Leão.
Pode ser sem importância, mas eu lhe direi que não,
Mesmo sem ser milionário, a tarefa é a mesma,
Com recibos, comprovantes ‘tou’ juntando uma resma.

Como ter tranqüilidade pra poder criar poemas,
Se a renda disponível vira fonte de problemas?
Fico sempre no aguardo de uma lei ou portaria
Que tornasse palatável essa grande porcaria.

E assim fico olhando os recibos de escola,
Que juntei naquele canto, sem saber da armadilha.
Eu paguei uma fortuna, o desconto é uma esmola.

Pois, por trás de tudo isso, Everardo e matilha
Se divertem num conjunto que nem sempre desafina
Ao Rachid , com um sorriso legam a tal ‘malha fina’.

1 compartilhamento
Inserida por celsocolunista