Weslley Marchezan da Silva Viana: Hoje, morri... Hoje, morri sem dizer...

Hoje, morri...

Hoje, morri sem dizer palavras que fariam diferença, queria esvaziar-me em som.
Destruí o medo que aprisionava minha alma, abracei o cansaço.
Morri e levei comigo uma mínima porção da tão difícil paciência.
Matei antes minha vaidade, fiquei nu ao espelho e pela primeira vez pude me ver completamente, desarmado e frágil.
Lavei minha mente da raiva e desmascarei as mentiras, envergonhando-me...
Machuquei meu corpo, fui à via de fatos com meu egoísmo já que ele insistia em permanecer.
Dei tantas risadas a minha tristeza que nem lembro para onde ela foi e nem quando foi.
Fiquei extremamente bonito quando me vesti de verdade.
Hoje, morri.... Antes eu cantei a esperança gritava insistente em mim.
Passei horas jogando com minha inteligência.
Perdi o domínio da mão que segurava a caneta, em palavras vou arquivar meus sentimentos.
O remorso não me veio presentear com a medalha da culpa.
Emocionado pensei no futuro que chegava para aos poucos empurrar meu presente ao abismo do passado.
Sorrindo, senti o desespero querendo espaço e a fé fechando as feridas que a mágoa deixou em mim.
Chorei e pela primeira vez a saudade não me consolou.
Lembro com detalhes que uma brisa suave passou por minhas narinas,
Banhando-me de paz.
Silenciei.

1 compartilhamento
Inserida por weslleyviana