Fernando Ordani: Se renova, no mesmo lugar. Cheiro de...

Se renova, no mesmo lugar.

Cheiro de lavanda de que renova na madrugada...
Coisas que soavam perfeitas, se feitas da maneira errada, agora se deitam...
Para dormir sem descanso, flores sem outono para que em primaveras, deveras se pareçam renovadas;
Cheiro de alfazema, cheiro que chama para uma temporada que fosse longe daqui, que fosse no campo florido de onde pertença e fora colhida, uma fazenda...
Tolhida de sua natural existência...cheiro de lavanda nas manhãs da cidade se banha, para perfumar o dia de alguém com sua essência...
Seja sob o rócio, descansa teu cansaço incansável de trazer belezas para onde não se nota em teu abreviado momento de ócio...
Sem tempo para sonhar, sem sequer se deitar...se levanta;
É flor nascida para perfumar, nascida sem saber o porquê, mas sabe de tua missão...conhece teu lugar;
Seu suor não exala mau cheiro, pedaços de si perdidos por aí se reúnem...fazendo de sua aparência tão metade, remeter àquele passado de algo pleno, inteiro!
Cheiro de lavanda, mundo de loucos cheios de razão que lhe queiram logo cedo, para perfumar sua jornada...
Dorme agora, faz frio lá fora...descansa, sem fechar os olhos, pois para se levantar terá hora marcada;
Sulcos em sua face tão juvenil, sufoca memórias, sufoca história...solta sutilmente o selvagem para aprisionar, levando consigo tua aura pueril...
Ladrões lá fora a ladrar, cães adestrados a lhe esperar...lavanda, se banha agora em lágrimas que sejam breve, por um momento sem que lhe façam concessões para se renovar;
Deixe partir para longe aquilo que caminha para distante de teu olhar, deixa teu sentido entorpecido novamente fazer algum sentido...
Deixa vida de outrora em ti, agora se renovar...
Se algo lhe perturba, lhe agrida...não revida, pois de uma flor, uma pétala de maldição eterna há de levar quem ousar arrancar...
Deixa vida acontecer, deixa morrer aquilo que se vai sem se importar, pois ainda és vida, és bela...menina florida aprisionada em um vaso, para quem lhe queira para cultuar, cultivar, abusar...
Abram as portas do hospício, deixe que loucura acometa esta multidão de insanos para que em breve, portões estejam abertos para seu definitivo lugar...
Deixa acontecer, deixa de fato renovar...deixa a vida acontecer para você, pois tudo a despeito de ti continua a ocorrer sem o consentimento de quem ainda seja flor, mas perece...
Padece, mas conhecimento inato detém para em seu pequeno espaço que seja, destino daquilo que ainda seja digno de se chamar por vida, sem desatino mudar.

1 compartilhamento
Inserida por fernandoordani