Jô Farias:...me sentia indisposta, mas não era de...

...me sentia indisposta, mas não era de rejeitar serviços.
Atendimento agendado para o sábado, tinhamos que viajar, a professora e no momento minha cliente, tinha casa em outra cidade.
No caminho todas as conversas possíveis, eu sempre atenta a ouvir e aprender, e blá-blá-blá...
Lá pelas tantas... Silêncio absoluto! (e sequer um "aham"... eu dizia)
A professora fez uma pergunta:

- "Jô você está direitinha?"

Não professora!! Proferi quase em agonia:
..estou mal, tenho calafrios..

-- "O que posso fazer para ajuda-lá?"

A viagem ainda era longa..
Dos dois lados da estrada canavais, lá ao longe se avistava uma casa...dois agricultores do lado de fora...
A professora desceu do carro..
Perguntou se a dona da casa estava.
Um resmungo e um aceno de cabeça afirmavam que sim...
Da porta da frente se avistava o quintal, vindo em nossa direção aquela senhora simpática...nos acolheu.
Uma curta cortina servia de porta, no lugar do chuveiro um pote com água e uma cuia.
Era ali que eu tinha que me aliviar do mal estar.

Muita agradecida pelo gesto de carinho..

E nossa viagem prosseguiu serena até o destino previsto.

(Contos que conto)
Jô Farias

1 compartilhamento
Inserida por jofariash