Ops! O pensamento foi removido e não pode ser encontrado no Pensador.

Outros pensamentos que podem interessar:

Cada vez que perdemos um ente querido, nos voltamos para o mais profundo do nosso interior, e escutamos os gemidos inexplicáveis da nossa alma, em uma classe de dor, que somente o nosso espírito tem o dom de interpretar.
E enquanto as lembranças continuam a escrever as nossas histórias, os que ficamos, viveremos apoiados na esperança, de que algum dia, em algum lugar divino , voltaremos nos encontrar ... Em uma vida incorruptível e eterna.

Mara Chan.
Inserida por dmg

- Cartas de um bobo – Part.03
Eu adoeci em prantos por uma amada a qual sabia que não era minha,
entristeci pela amada a qual não me pertencia, me joguei em uma paixão que não era me aceitaria.

Meu coração ficou destroçado por que sempre ela estava ao meu lado, ela segurava minhas mãos suadas de nervoso, sentia meu coração acelerado, olhava em meus olhos apaixonados, percebia o arrepiou de minha pele a cada respiração, a cada toque.

Transpirava amor enquanto ela transpirava medo, insegurança, receio, confusão, mesmo assim eu não queria deixar ela, mesmo percebendo que não estava dando certo, queria se entregar mais e mais a cada segundo do seu dia, enquanto ela só se afastava de mim com um triste olhar vazio de que não queria machucar um coração, eu insistia por que eu notava que mesmo assim ela tentava de alguma maneira.

Chegou a certo momento a qual meu coração doía por esse amor, não entendia por que eu fazia tudo por ela e mesmo assim parecia não que te bastava, que fosse pouco, que não preenchia o vazio do peito dela, que não fariam seus olhos se preencherem com o brilho a qual tanto eu esperava, que sua pele também pudesse se arrepiar na mesma velocidade ou intensidade da minha.

Apreendi da pior maneira da minha vida, mesmo morrendo de saudades de tudo o que eu fazia e o que eu não tinha o que significa platônico e deixar ir.

Eu não a culpo por não me amar pela mesma intensidade, eu me culpo por amá-la além do meu ser.

Cris Goulart
Inserida por crisgoulart
1 compartilhamento

Obrigado !!!
Obrigado! Obrigado! Obrigado...
Quantos ao universo devemos agradecer? Não faríamos, não seriamos, não existiríamos. Nada a quem ou ao qual no passado nos auxiliou.
O jovem detesta o velho. O imaturo repudia o passado, e o mais adulto cultua quem veio anteriormente. Foi ele que preparou as boas novas. Foi o antecessor quem nos presenteou com as nossas bonanças. Somos oque, e quem somos por causa do feito daquele existente quem sabe até séculos antes de nós, e não damos se quer importância ao que nos antecedeu, nem uma simples analisada . Somos cegos a tudo que temos. O simples acordar e levantar da cama, para agradecer ao inventor de algo que nos descansa para dia seguinte estarmos relaxados para nova batalha. O agradecer a quem madrugou seja para semear ou colher o grão ou fruto que nos alimenta. E a maior gratidão ao universo, Deus, quem nos fez existir contribuindo com vosso dom. Somos meros coadjuvantes na conspiração e auxilio aos outros, e ao todo. Desperdiçamos energia com tudo que não traz prosperidade. Picuinhas pessoais são mais relevantes que o conjunto de prioridades como um todo. E o que deveria ser descartado nos iludimos achando certo. Agradecimento gera energia cósmica em ascensão e contagia, prolifera e torna o ser mais humano e solidário. Não há ritual maior, nem oração mais eficaz que um belo e sonoro obrigado que interage na mente feito elogio massageando corpo e alma. Um obrigado quer dizer estou satisfeito, é o deus que há em mim saldando o deus que há em você! E que a paz esteja sempre em sua mente, ou quem sabe em seu coração.

Nilton Mendonça
Inserida por dalainilton
1 compartilhamento