Alexandre Klismann: A minha verdade conversa com a tua...

A minha verdade conversa com a tua mentira

e o meu ar cínico finge que acredita.

Desmistifico a metáfora. Nada para mim é segredo.

Teu mar que antes era mistério

hoje é mar tranquilo de águas límpidas.

Tenho intimidade com o mar que tu navegas.

A nudez visível da tua alma me pertence.

Tenho olhos de águia e o veneno da serpente.

E na escola da vida, onde ainda és aluno, sou bacharel.

Sou doce, sou mel, não queira experimentar o meu fel.

Sou brisa que bate no teu rosto, mas posso ser tempestade.

Inundo, arrasto,

devasto.

Não desafie a minha natureza mais mórbida.

Sou anjo, sou o sol que brilha no amanhecer.

Sou mar tranquilo, sou a natureza em si.

Mas também sou tempestade, furacão, vulcão em erupção.

O meu equilíbrio me faz racional, isso me difere do animal.

Mas não brinque com a força da natureza.

Ela pode ser cruel e perder a sua gentileza.

1 compartilhamento
Inserida por klismann