Leonor: Interessante as pessoas. Hoje é uma...

Interessante as pessoas. Hoje é uma daquelas noites que paro pra pensar na personalidade de alguns seres humanos.
Não sei nem se posso me referir a humano, mas, tudo bem.
O mundo é bom de mais pra se viver e essa raça que diz ter inteligência e coração, deve ser só um órgão que bate mecânicamente pq de sentimento muitos não tem nada.

Por exemplo: eu vejo pessoas que se dedicam tanto a algumas, enquanto que para outras faz totalmente ao contrário.
Vejo pessoas enchendo o cú de folha de determinadas pessoas, mas para aquelas que deveriam ser tratadas até como reis e rainhas de sua vida são meramente excluídas e não recebe nenhuma visita, quem dirá uma declaração de amor, de amizade, ou um reconhecimento por tudo que representa em sua existência.
E agora, em véspera de festas que se comemora o aniversário de Jesus, fica aquela hipocrisia de abracinhos e beijinhos como se ralmente fosse um ser "humano".

Com quantas pessoas na vida você realmente pode contar se algum dia se tornar um fracasso?

Quantas pessoas que vão ir na sua casa se algum dia você do nada se tornar pobre, pobre, pobre de marré, marré, marré?

Quantas curtidas você vai receber no seu face qdo você nunca passar de um status social bem humilde e sem dotes pra mostrar nas selfs?

Quem vai cuidar de você se algum dia você se deparar com uma doença contagiosa?

Quantas vezes você desejou sorrindo com sinceridade "bom dia" para as pessos estranhas que passam por você?

Quantas vezes você já correspondeu de coração a um pedido de empréstimo de qualquer meio sem esperar retorno?

Quantas caronas você já ofereceu para quem nunca teve um carro e sempre toma o ônibus no mesmo horário todos os dias?

quantos favores você já fez a alguém sempre pensando "e se fosse eu no lugar deste"?

Quando jovem solteiro(a você considera ter tido um lar ou uma casa?

Quantas vezes você cuidou dos seus pais em retribuição as noites que eles renunciavam para cuidar da sua saúde e bem estar?

Quantas vezes você se juntou aos seus irmãos para relembrar velhas lembranças?

Quantas vezes você perdeu o sono só de imaginar que naquele momento um irmão seu ou pai, ou mãe estivesse passando por momentos de dificuldade?

Quantas vezes você acompanha os veteranos entes "queridos" em atividades rotineiras como médico, fisioterapia...?

Quantas vezes já te faltou paciência?

Quantas vezes você já dedicou total atenção em ouvir alguém sem preocupações com seus afazeres?

Como é amar ao próximo como a ti mesmo?
Será que amar a si é ser vaidoso, ambicioso, egoísta...?
Ou, será que é doar-se incondicionamente?

Hoje, ha 30 minutos atrás, recebi um tema de estudo da Ordem Templária para achar um sentido em que caminho a humanidade anda, pois, dessa vez não deu pra ser tão prolixa como sempre fui. Acho que esperavam que eu fosse objetiva num assunto tão delicado que é falar de relacionamento e humanidade.

Em resumo: o verdadeiro sentido do amor é doar-se com empatia e nunca desejar retribuição alguma do bem que faz o outrem (independente das divergencias, raça, credo, cultura...), pq a retribuição é sentir o alívio na alma. Quem se coloca em primeiro lugar, nunca vai entender o sentido do amar ao próximo. A ganância é movida pela vaidade física, enquanto que a bondade é movida por renúncias e desapegos. O planeta está em meio a travessia, com interferências maléficas. É preciso se almentar mais na oração, vigília dos pensamentos e reforma íntima.
Só sei que qto mais eu vivo, menos entendo o ser humano.

1 compartilhamento
Inserida por Leonnor