A ESCADA DE GENTE Nove homens frente a... Dante Locateli

A ESCADA DE GENTE

Nove homens frente a um muro intransponível.
Entre olhares perplexos se encaram e ao muro.
Olham o céu e o chão como em prese por ajuda.
O muro não se mexe, o céu se mexeu,
mas não em sua direção.

As nuvens continuam passando lentas,
seguindo os seus caminhos de vento.
Um dos homens propõe um intento.
Uma escada de gente.

Quatro homens se apoiam na rocha dura.
Um sobre o ombro do outro.
Serão o apoio de todos para o lado seguro
o outro lado do muro.

Assim foi feito e concretizando o intento.
Um a um foram subindo
alcançando o ponto mais alto
e de lá ajudavam
quem a suas costas iam vindo.

O último porem estava muito distante.
Os braços não o alcançavam a o pé do muro.
Foi quando os homens se despiram
Usaram as próprias vestes para içar o companheiro
E todos ficaram em um lugar seguro.
Fraternos.

Pobre o homem
que acha que só será forte e independente.
Pobre do homem
que abandona os seus
para se fazer de grande e forte.

Mesmo que obtenha sucesso no seu intento.
Lá no alto estará só
e com o tempo a força irá
a grandeza sucumbirá.

Terá na morte a dissolução
de todos os seus sonhos vãos,
mas não verá as sobras da sua grandeza
partilhada em uma discussão de direitos
entre urubus e lobos no tempo.

Dante Locateli

http://naquelesegundo.blogspot.com.br/2015/11/a-escada-de-gente.html

1 compartilhamento
Inserida por DanteLocateli