Patrícia Renata: Ao Poeta com Carinho Deveras sofras a...

Ao Poeta com Carinho

Deveras sofras a dor de poeta.
Aquela que finge. Insistente. Latente.

Na hora que cala-te. Inexisto!
No invento de uma felicidade,descubro-me!

Tanta sinceridade caminha para algo amoral.
Ou, imoral.

Linguagem perceptiva. Escuta analítica.
E recebo ponderação. Limites. Dever.

De agora em diante, seguir!
Onde o longe é pouco! E o amor, a condução.

1 compartilhamento
Inserida por PatriciaRenata