Tenho uma porção de palavras dentro de... Ana Carolina

Tenho uma porção de palavras dentro de mim, se desesperando à procura de um mínimo buraco para saírem. Tenho milhares de pensamentos presos que precisam urgentemente serem libertados. Elas já não sabem mais para onde correr, para onde fugir. Então Permaneço nesta situação patética, e as vezes me sinto intrigada por reconhecer o tanto de tempo que isto dura. Você obviamente nunca lerá essas minhas palavras digitadas em um teclado que já vivenciou inúmeras lágrimas amargas jogadas sob o mesmo todas as noites. Você obviamente também não tentaria resolver absolutamente nada, mesmo que eu esfregasse tudo o que eu sufoco bem aqui dentro, bem na sua cara irônica e de desgosto perante a mim. Mas o que está havendo, cara? Quem é você? E o que fez com aquele homem que eu sentia orgulho de chamar de meu? Onde está aqueles olhos brilhantes, que me acompanhavam dia e noite? Onde estão aquelas palavras que possuíam amor, afeto, carinho? Jogou-as no lixo? Qual a finalidade disso? Você quer me ver sofrer, cara. Quer ver meu fim, com seus próprios olhos, e seus próprios jogos baratos. Sem falar dos vários dias que permaneço sem sequer notícias suas. Não sei se está vivo, se está doente, ou se está apenas me evitando. Mais que absurdo é esse? Me ajude a entender. Desde o princípio, fui aquela que te protegia de tudo e todos, que te dava amor e que preferiria chorar e carregar todas as suas dores, só para não te ver sofrer. Fui aquela que nunca te deixou, e sim, que esteve lá até quando você merecia um belo murro na cara. Aguentei suas birras, seus dias de mal humor, e suas tristezas no meio da noite. Me diz, o que eu fiz para merecer todo esse desgosto de uma hora pra outra? Dói, dói demais. E o pior de tudo isso é que eu já não sinto que iremos a diante. Vejo que tudo de bonito que tínhamos, se deformou e se transformou em algo horrendo. Me encontro perdida. Até de mim mesma. Não sei mais quem sou, não sei mais quem quero ser. Minha definição de vida nesses últimos dois anos foi estar, cuidar, amar e proteger você. E pra quê? Para você me agradecer com palavras frias e sem sentimentos? Para você me tratar como uma garota qualquer que se conhece no meio da rua? Essas coisas machucam, cara. Você não faz ideia. Mas mesmo que este texto seja completamente ridículo por saber que você nunca irá ler nem sequer uma linha, permaneço a espera de que, por um milagre aparente, você volte a ser aquele homem que arrancava os meus sorrisos mais sinceros e felizes com um simples sorriso seu.

1 compartilhamento
Inserida por sabriinaleticia