Amanda Drielly: Naquele instante, sabia que o que...

Naquele instante, sabia que o que precisava fazer, era viver. Viver de verdade. Bater de frente com a realidade. Naquele instante, olhando para aquela imensidão azul, sabia que o mundo de fantasia surtia mais efeito na sua vida. Chegara, então, a hora de ver as coisas e as pessoas com outros olhos. Olhos maduros. Profundos. Compreensíveis. Capazes de entender cada detalhe, por mais difícil de interpretar que fosse. Um olhar, por vezes, cansado, mas instigante. Percebeu, que todas aquelas vezes, que chorou, que caiu, que se machucou, serviram de estímulo, impulso, pra fazê-la seguir em frente. Ah, como é bom poder ver as coisas como elas realmente são. A vida é muito mais do que aquilo que se vê. Viver vai à léguas de distância do que apenas existir. Viver, naquele momento, para aquela garota, significava, tornar perceptível a importância de cada momento vivido, cada dor sentida, cada lágrima derramada, cada queda, cada erro, cada acerto, cada conquista, cada vitória. Entendeu, afinal, que tudo, absolutamente, tudo, tem algo de proveitoso para ser absorvido. A vida pode ser bonita, mesmo quando tudo pareça dar errado. Você pode pegar uma bicicleta e sair cantando “Good Life ♫” por aí. Pode falar sozinho, e dar risada de você mesmo. Pode se melar de sorvete e se achar uma criança feliz por fazer isso. Pode tirar fotos ridículas e se achar a pessoa mais linda do mundo. Ficar de cabeça pra baixo no sofá de casa, comendo pipoca e assistindo “two and a half men” e dando altas gargalhadas, feito um retardado. Faz isso. Faz qualquer coisa. Estranha. Sem sentido. Ridícula. Mas seja feliz. A vida tá passando meu bem.

1 compartilhamento
Inserida por amandadrielly