Janna Teixeira: ESPELHOS DA ALMA... Olhos abertos,...

ESPELHOS DA ALMA...

Olhos abertos, escancarados,
janelas que me trazem à realidade
digital da memória, fotografam minuciosamente a essência,
instrumento que sobressai a alma
que traz pra dentro, o que por fora ladeia

Olhos molhados, encharcados
pela emoção que me tomas ao te ver,
enlouquecidos e embebidos pela satisfação
quiçá, mortificados pela decepção
são termômetro natural de minha esbraseante comoção

Olhos secos, estorricados
pela amargura e inclemência da vida
estéreis, ardem ressequidos,
desapercebidos de emoções, desprovidos de lágrimas
que o tempo atroz, sorveu com a acidez do destino

Olhos fechados, vedados
que se guardam da hipocrisia
bloqueiam tua pérfida alegoria,
embaraçam tuas vãs tentativas
de invadir e infectar minha alma
com tua negra inveja que me enche de agonia

Olhos,
na cara viestes como espelhos
que refletem os atributos de nosso espirito
que se composto pela pureza,
repercutem em brilho
mas se infestado de desgostos,
irradiam em desumanidade

Olhos que enxergam com a precisão de uma lince
Olhos que cegos privam-se das cores da vida
Olhos pintados, mascarados pela sensualidade da mulher,
Olhos embevecidos pela beleza da poesia lida
Olhos que transcendem o sentido da visão
Olhos que falam, mas que em mil palavras, uma linguagem autentica
Olhos que calam, e lançam no silêncio os desapontamentos da alma
Olhos que se perdem no desconhecido, diante da escuridão
Olhos que vagam perdidos, na melancolia de minha solidão

Os olhos... Nossos olhos... Teu olhar!

1 compartilhamento
Inserida por janna73