Coleção pessoal de Brunoh

21 - 40 do total de 68 pensamentos na coleção de Brunoh

Gostar de alguém é função do coração, mas esquecer, não. É tarefa da nossa cabecinha, que aliás é nossa em termos: tem alguma coisa lá dentro que age por conta própria, sem dar satisfação. Quem dera um esforço de conscientização resolvesse o assunto.

Martha Medeiros
2.4 mil compartilhamentos
Tags: martha medeiros

Sumi porque só faço besteira em sua presença, fico mudo
quando deveria verbalizar, digo um absurdo atrás do outro quando
melhor seria silenciar, faço brincadeiras de mau gosto e sofro
antes, durante e depois de te encontrar.
Sumi porque não há futuro e isso não é o mais difícil de
lidar, pior é não ter presente e o passado ser mais fluido que o ar.
Sumi porque não há o que se possa resgatar, meu sumiço é
covarde mas atento, meio fajuto meio autêntico, sumi porque
sumir é um jogo de paciência, ausentar-se é risco e sapiência,
pareço desinteressado, mas sumi para estar para sempre do seu
lado, a saudade fará mais por nós dois que nosso amor e sua
desajeitada e irrefletida permanência.

Martha Medeiros
3.3 mil compartilhamentos
Tags: martha medeiros

Aí Tem

As coisas são como são. Se alguém diz que está calmo, é porque está calmo. Se alguém diz que te ama, é porque te ama. Se alguém diz que não vai poder sair à noite porque precisa estudar, está explicado. Mas a gente não escuta só as palavras: a gente ouve também os sinais.

Ele telefonou na hora que disse que ia ligar, mas estava frio como um iglu. Você falava, falava, e ele quieto, monossilábico. Até que você o coloca contra a parede: "O que é que está havendo?". "Nada, tô na minha, só isso." Só isso???? Aí tem.

Ele telefonou na hora que disse que ia ligar, mas estava exaltado demais. Não parava de tagarelar. Um entusiasmo fora do comum. Você pergunta à queima-roupa: "Que alegria é essa?" "Ué, tô feliz, só isso". Só isso????? Aí tem.

Os tais sinais. Ansiedade fora de hora, mudez estranha, olhar perdido, mudança no jeito de se vestir, olheiras e bocejos de quem dormiu pouco à noite: aí tem. Somos doutoras em traduzir gestos, silêncios e atitudes incomuns. Se ele está calado demais, é porque está pensando na melhor maneira de nos dar uma má notícia. Se está esfuziante demais, é porque andou rolando novidades que você não está sabendo. Se ele está carinhoso demais, é porque não quer que você perceba que está com a cabeça em outra. Se manda flores, é porque está querendo que a gente facilite alguma coisa pra ele. Se vai viajar com os amigos, é porque não nos ama mais. Se parou de fumar, é uma promessa que ele não contou pra você. Enfim, o cara não pode respirar diferente que aí tem.

Às vezes não tem. O cara pode estar calado porque leu um troço que mexeu com ele, ou está falando muito porque o time dele venceu. Pode estar mais carinhoso porque conversou sobre isso na terapia e pode estar mais produzido porque teve um aumento de salário. Por que tudo o que eles fazem tem que ser um recado pra gente?

É uma generalização, mas as mulheres costumam ser mais inseguras que os homens no quesito relacionamento. Qualquer mudança de rota nos deixa em estado de alerta, qualquer outra mulher que cruze o caminho dele pode ser uma concorrente, qualquer rispidez não justificada pode ser um cartão amarelo. O que ele diz importa menos do que sua conduta. Pobres homens. Se não estão babando por nós, se tiram o dia para meditar ou para assistir um jogo de vôlei na tevê sem avisar com duas semanas de antecedência, danou-se: aí tem.

Martha Medeiros
1.9 mil compartilhamentos
Tags: martha medeiros

PEDAÇOS DE MIM

Eu sou feito de
Sonhos interrompidos
detalhes despercebidos
amores mal resolvidos

Sou feito de
Choros sem ter razão
pessoas no coração
atos por impulsão

Sinto falta de
Lugares que não conheci
experiências que não vivi
momentos que já esqueci

Eu sou
Amor e carinho constante
distraída até o bastante
não paro por instante


Tive noites maldormidas
perdi pessoas muito queridas
cumpri coisas não prometidas

Muitas vezes eu
Desisti sem mesmo tentar
pensei em fugir, para não enfrentar
sorri para não chorar

Eu sinto pelas
Coisas que não mudei
amizades que não cultivei
aqueles que eu julguei
coisas que eu falei

Tenho saudade
De pessoas que fui conhecendo
lembranças que fui esquecendo
amigos que acabei perdendo
Mas continuo vivendo e aprendendo.

Martha Medeiros
10 mil compartilhamentos
Tags: martha medeiros

Para conhecermos os amigos é necessário passar pelo sucesso e pela desgraça. No sucesso, verificamos a quantidade e, na desgraça, a qualidade.

Confúcio
4 milhões compartilhamentos

O fim, é o começo de tudo.

Bruno Lopes maciel de lima
1 compartilhamento

A quem ler
Vim deixar meus pensamentos.
mas, sequer me levam a algum lugar...
Descreveria-o, ou descreveria-me,
Como se eu estivesse em uma mata fechada,
e tudo o mais fosse cheio de névoa.
E os galhos baixos, impedissem-me de ir com a visão
mais além do que onde vão meus passos.
Olho a minha direita, e nada tem, a não ser olhos pequenos
vermelhos me observando.
A esquerda mais olhos vermelhos me observando.
É inacreditavel, como as pessoas que estão em torno
não me deixam expandir.
Como a vida, cheia de leis, cheia de mandantes,
e mandamentos, me segurassem para eu não poder cometer meus erros e acertos.
Estou perplexo, em como é que as coisas mal se encaixam
E encalacram o direito de "vivencia" do ser humano.
Penso em mudar o mundo, sinto que sózinho, jamais poderia.
E não vejo forças em ninguem para poder mudar alguma coisa; e sou obrigado a me manter contido, resguardado..
acreditando nessa tal fé, dos cristãos, evangelicos, e Jeova`s. Que nem mesmo eles sabem realmente se essa coisa chamada de fé, é fé mesmo.
Estou enclausurado, neste mundo imperfeito repleto de perfeccionistas falastrões. Que se envolvem em nossas vidas, mesmo não querendo, pensando em seus bolsos
Em suas barrigas e em suas familias.
Mas esquecem-se que são tambem SÃO NOSSOS IRMÃOS.

Bruno Lopes Maciel de Lima
1 compartilhamento

Se não quer nada e ...
então se afasta oras...
Quando a gente não quer, sequer,
proximo a gente fica

Bruno Lopes maciel de Lima
2 compartilhamentos

Depondo a Amiga


Sabe ...
Tudo na vida, é feito ou acontecido, para alguma coisa.
As vezes eu me pergunto, porque eu e você somos ligados, nestes laços amistosos..
Que sequer um dos dois sabem quando foi se encalacrando sorrateiramente, nesses pequenos anos de Não-convivencia,....
Mas... dando prosseguimento a minha linha de raciocinio (Inutil linha)...
Penso as vezes que é devido a nosso carisma, as nossas palavras benditas e feias...
Porém, não consigo achar fundamentos para este imenso sentimendo que se mistura em uma especie de gratidão, e conforto...Longitude fisica e proximidade nas palavras.
E nos finalmentes, as unicas palavras que consegui definir para este tipo de sentimento é: Carinho, Amor e AMIZADE.

Bruno Lopes Maciel de Lima
46 compartilhamentos

A devoção encontra, para praticar uma má ação, razões que um simples homem jamais encontraria.

Barão de Montesquieu
56 compartilhamentos

Não me roube, por que ja nada tenho.
Se me roubar as palavras... que será do resto de mim

Bruno Lopes Maciel de Lima
2 compartilhamentos

Sei que sou imperfeito...
Mas é minha imperfeição que
me dá o devido sabor.

Bruno Lopes Maciel de Lima
55 compartilhamentos

Não quero falar do começo do ano - e nem do fim deste.
Mas do meio do ano que vem...
Por que Começo... é começo.
E Fim... é fim.

Bruno Lopes maciel de lima
1 compartilhamento

Quero conehcer o restante.. daqui de São paulo, quero andar entre os pontos que as pessoas colhem ouro, quero andar na terra seca do nordeste... caminhar com as gurias do sul...rs Ir num baile do Rio de Janeiro, ouvir eletronica em Minas Gerais... cantar musicas caipiras com os interioranos.Quero correr pelas dunas do Ceara,
Passear por Aparecida do Norte e ver nossa Santa Padroeira. Brincar com as pobres crianças do Espirito Santo. Pular nas chachoeiras de Foz do Iguaçu e sentir o gelado das aguas tomando meu corpo.
Chorar, olhando a Lua do na madrugada de PIAUI, e sorrir olhando o sol das praias litoranes do meu maior amor. São Paulo.

Bruno Lopes Maciel de lima
1 compartilhamento

Sabe-se bem que sou humilde;
Não me visto de luxo,
não me calço de mentiras,
Não subo o muro de escadas,
Não bebo agua filtrada,
Não preciso de comida fresca,
Sequer ando de carro,
Comigo é tudo no popular
Quem me leva ao meu destino, (pobre destino)
É o expersso canelinha, ou o trem do meu povão.
De Guaianazes a Brás,
é esta minha vida Paulistana,
Que não troco pela vida puritana
Como carne aos montes,
Bebo vinho de 5°
Bato papo com mendigos,
Fumo cigarro barato,
Tudo isso, não por que amo de paixão minha vida comum.
Mas por que, nada me tira o gostinho de ver,
Os cidadãos que fazem minha cidade.
De sentir os Odores de sua Poluição matinal,
De sentir o ventinho do Metro batendo em meu rosto,
Enquanto fecho os olhos para poder senti-los.
De olhar as moças bonitas em grandes quantidades, e qualidades. De participar da vida das pessoas,
como o "homem bonito", o "feio rapaz",
O sujo, ou o limpinho que viram hoje.
Nada me tira o gostinho de ouvir a avó, no trem
falando do neto que nasceu, e é bonito.
Da mãe falando da mãe que se recuperou do acidente,
ou da doença.
Do pai brincando com a filha no colo,
com os olhos brilhantes de felicidade...
De ver os amigos se sorrindo,
num flerte diferente, e interessante.
De sentir o ar condicionado do TREM,
congelando minhas mãos...
De andar pelas ruas de SÃO PAULO,
e ver quem são as Impuras,
desdonzeladas, mulheres da rua...
Que dão os prazeres encubados aos pais de familia,
a tantos solteiros, e pessoas não tão comuns...
Essas que falo eu, que em muitos casos são o alicerce entre os casais, que ja não dormem juntos mais.
Ninguem me impede de viver, sem sentir o cheirinho nos cabelos das mulheres no metro apertadinho.
De sorrir e me sentir bem em dar lugar a uma senhora, a um deficiente, ou de pedir as bolsas das moças bonitas até o destino de um dos Dois.
E poder olhar admirado para tantas belezas.
E de ter minha namoradinha, linda namoradinha.
No descanço do meu colo, e seus lindos cabelos tão negros quanto a propria escuridão.. brilhando...
escorridos, feito macarrão.
O Interessante de tudo isso,
não é a vida mesquinha.
São os prazer que - a vida mesquinha - nos proporciona nesta cidade esquisita, que é a MINHA CIDADE.

Bruno Lopes Maciel de Lima
1 compartilhamento

Segue sempre em frente,
A simploria vida descontente,
Nesse mundão feito de gente...
Corre o rio sorridente, sempre em frente...
Sempre em frente...

Bruno Lopes maciel de Lima
1 compartilhamento

As dificuldade existem para provocar a nossa integridade mental, e nos doar a insanidade mental

Bruno Lopes Maciel de lima
2 compartilhamentos

Para ser amigos
Não é preciso estar perto
Mas tambem nem tão longe,
Não é preciso estar presente em eventos,
E nem em todos aniversarios.
mas é preciso que esteja sempre em ação os laços afetivos,
É preciso que um pense e lembre daqui,
outro pense e lembre de lá.
Preciso recordar os momentos extasiantes,
Os momentos fraternos, os de dores.
as Lagrimas e risos que vivemos juntos.
As sabidas palavras que sequer ousamos pensar,
pensando que fosse bobeira.
Mas... hoje lembramos dum conselho para nos tornar a vida mais facil.

Amigos, Amo-os... como se fossem não só a minha familia.
mas são vocês meu apoio, são vocês os meus credores e devedores, por que é em vocês que deposito tudo o que existe de amistoso em mim.
Toda minha crença, e minha fé.. estão em vocês,
Por que vocês, e eu... enfim... Nós, crescemos juntos
Criamo-nos juntos... e sempre firmes e fortes nos mantemos juntos, e nem mesmo esta distancia que nos faz
se perder entre os novos amigos, faz esquecer dos velhos e melhores amigos.

Bruno Lopes Maciel de Lima
6 compartilhamentos

Sou meio Assim... estou sempre onde a claridade e escuridão se encontram, sou eu quem faz fundir o clarão, e as sombras... Éh... sou meio assim.... como a lua.... um lado é iluminado, Mas tenho meu lado de sombras.

Bruno Lopes Maciel de Lima
22 compartilhamentos

Sinto-me enclausurado neste mundo devasso,
pequeno mundo imenso, perdido, encontrado cheio de pecados.
E as P... Velha que me perdoem o palavriado,
Mas Amaldiçoadas sejam as que fazem bebes e jogam ao mar
Como se fosse ja um finado, cremado.

Bruno Lopes Maciel de Lima
1 compartilhamento