Coleção pessoal de Ashlon

1 - 20 do total de 1765 pensamentos na coleção de Ashlon

"Ser educado num lugar de estima; não ver nada baixo ou sórdido desde a infância; ser ensinado a respeitar-se a si próprio; ser habituado à inspeção crítica do olhar público; (…) ter tempo para ler, refletir, conversar; (…) ser ensinado a desprezar o perigo no cumprimento da honra e do dever; (…) possuir as virtudes da diligência, ordem, constância e regularidade, e ter cultivado uma atenção habitual à justiça comutativa."

Edmund Burke

“Quem diz formação diz esforço para adquirir ou comunicar uma forma. E forma tem, aqui, não o seu significado óbvio e corrente de feitio, figura, aparência externa das coisas, forma; mas o sentido mais profundo e filosófico de perfeição, atuação de uma potencialidade anterior. Formar-se é, no sentido amplo, adquirir novas qualidades, acordar perfeições que dormiam nas possibilidades da nossa natureza.
Nessa acepção formação é quase sinônimo de cultura, e a análise de uma destas noções esclarece a outra. A palavra cultura, aplicada ao homem, é metafórica e deriva da analogia com os campos, aos quais se aplicam primeiro e ainda se aplica em sentido próprio.

Cultivai – Agricultura. Tomai uma terra no seu estado nativo; cardos e espinhos, ervilhaca e tiririca; plantas úteis e ervas venenosas – tudo em desordem e confusão – é uma terra brava – selvagem. Passai-lhe o arado, arroteai-a, enriquecei-lhe com adubos apropriados a fecundidade natural e tereis jardins, pomares e plantações: é uma terra cultivada. Transportai a analogia para nossa vida superior.

Também aqui, no domínio do espírito – uma grande possibilidade da natureza, a psicologia humana com toda a riqueza de suas virtualidades latentes; a inteligência, o sentimento, a atividade. Também aqui deixai todas estas virtualidades em seu estado bruto, nativo, – tereis o homem selvagem – o bárbaro, o inculto. Aplicai-lhes o esforço, o trabalho que fecunda a natureza e desenvolveis as suas forças originais, tereis o homem culto ou cultivado.”

Pe. Leonel Franca
1 compartilhamento

"O Comunismo foi fundado pelo demônio. Lúcifer é o seu chefe e a disseminação de sua doutrina é a guerra do diabo contra Deus. Conheço o comunismo e sei que é diabólico. É a continuação da guerra dos anjos maus contra o criador e seus filhos."

Padre Cícero Romão Batista

"Jornalismo é oposição. O resto é armazém de secos e molhados."

Millôr Fernandes

“As paixões tendem sempre a diminuir, enquanto o tédio tende sempre a crescer.”

Jules Amédée Barbey d'Aurevilly

“Não é tão grande a desgraça de não ter talento quando se sente o talento dos outros.”

Jules Amédée Barbey d'Aurevilly

O mais constante sinal de sabedoria é um constante júbilo.

Michel Eyquem de Montaigne

A função do governo não é resolver problemas. É renunciar aos meios de criá-los.

Nenhum governo jamais educou a população. Quando se mete na área, é só para reduzir a educação à propaganda.

As universidades surgiram como associações de estudantes, que livremente escolhiam e contratavam seus professores.

As grandes forças educadoras da humanidade são:
(a) as mães;
(b) as igrejas;
(c) os intelectuais criativos;
(d) a livre associação dos interessados em educar-se.
O resto é comedeira e manipulação.

Olavo de Carvalho

As três refutações lógicas mais belas que já vi foram: a do psicologismo por Edmund Husserl, a da economia comunista por Ludwig von Mises e a do 'sentido da História' por Eric Voegelin. A primeira levou umas trezentas páginas, a segunda umas vinte, e a terceira se resume em uma linha: Não podemos conhecer o sentido global da História porque não sabemos quando ela vai terminar.

Olavo de Carvalho

O realismo objetivo em ciência política não consiste em abster-nos de juízos de valor -- o que é aliás impossível --, mas em impedir que os nossos temores, desejos e esperanças obscureçam a nossa visão da realidade.

Olavo de Carvalho

Quem quer ser respeitado sem precisar respeitar nada é uma alma criminosa que tem de ser banida não só da vida pública, mas de todo convívio decente.

Olavo de Carvalho

Quando falam de mim, não discutem uma só idéia minha. Só expressam o desejo irrefreável de me matar. É isso o que no Brasil se chama 'ensino universitário': fábrica de assassinos em potencial.

Olavo de Carvalho

Fala-se muito, hoje, em educação para a cidadania. Mas só há duas maneiras de formar o cidadão: a educação liberal e a manipulação ideológica. Ou o sujeito aprende a absorver os dados da 'grande conversação' entre os espíritos superiores de todas as épocas e a tomar posição sabendo do que fala, ou aprende a falar direitinho como seus mestres mandaram, usando os termos com a conotação que desejam, segundo os interesses dominantes do dia. A opção brasileira está feita. Por isso, neste país, poucos souberam da vida ou da morte de Mortimer J. Adler.

Olavo de Carvalho

Liberal education é, para resumir, a educação da mente para os debates culturais e cívicos mediante a leitura meditada dos clássicos. Acabo de escrever esta palavra, 'clássicos', e já vejo que não sou compreendido. A falta de uma liberal education dá a esse termo a acepção estrita de obras literárias famosas e antigas, lidas por lazer ou obrigação escolar. Um clássico, no sentido de Adler, não é sempre uma obra de literatura: entre os clássicos há livros sobre eletricidade e fisiologia animal, os milagres de Cristo e a constituição romana: coisas que ninguém hoje leria por lazer e que geralmente são deixadas aos especialistas. Mas um clássico não é um livro para especialistas. É um livro que deu origem aos termos, conceitos e valores que usamos na vida diária e nos debates públicos. É um livro para o homem comum que pretenda ser o cidadão consciente de uma democracia. Clássicos são livros que criaram as noções de realidade e fantasia, senso comum e extravagância, razão e irrazão, liberdade e tirania, absoluto e relativo – as noções que usamos diariamente para expressar nossos pontos de vista. Só que, quando o fazemos sem uma educação liberal, limitamo-nos a repetir um script que não compreendemos. Nossas palavras não têm fundo, não refletem uma longa experiência humana nem um sólido senso de realidade, apenas a superfície verbal do momento, as ilusões de um vocabulário prêt-à-porter. A educação liberal consiste não somente em dar esses livros a ler, mas em ensinar a lê-los segundo uma técnica de compreensão e interpretação que começa com os eruditos greco-romanos e atravessa, como um fio condutor, toda a história da consciência ocidental.

Olavo de Carvalho
1 compartilhamento
Tags: livros clássicos

Entre as classes falantes do Brasil -- mídia, universidades, instituições de cultura --, o prestígio não é um reconhecimento que se dá aos autores de feitos e obras notáveis. É um mandato que se confere antecipadamente, e sem ter nada a ver com méritos ou deméritos, àqueles dos quais se espera que venham a desempenhar tais ou quais papéis no teatro geral da autolisonja esquerdista.

Olavo de Carvalho

O homem culto tem a obrigação de ser intolerante.

Nicolás Gómez Dávila

Uma das muitas causas do seu desaparecimento [do leitor autêntico], no nosso país, é que a formação dos jovens leitores — e falo dos melhores — se faz sob uma influência predominantemente anglófona. Ninguém lê mais em francês, espanhol, italiano ou latim. Muito menos lê os clássicos portugueses. Como os princípios da estilística inglesa são intransponíveis para o português, esses leitores acabam perdendo o ouvido para o próprio idioma. Quando lêem, não captam as nuances de sentido nem a ordem musical. Quando escrevem, imitam trejeitos ingleses que não dão certo em português e terminam em pura macaquice. E não falo só de trejeitos lingüísticos, mas psicológicos — de certos cacoetes de percepção que são típicos da intelectualidade norte-americana.

Olavo de Carvalho

No país onde o dever máximo do cidadão é ser um cagão convicto, coragem é nazismo.

Olavo de Carvalho

Esquerda e direita não são discursos ideológicos estáveis, são símbolos de união grupal. Basta que duas pessoas se digam de direita ou de esquerda para que automaticamente essas facções passem a existir.

Olavo de Carvalho

A mania mais idiota da direita é explicar o esquerdismo pelas 'boas intenções equivocadas'. Não existe boa intenção sem amor à verdade, e não pode existir NENHUM amor à verdade naquele que, na adolescência, por espírito de patota e ânsia de ser aceito pelos pares, adere a uma doutrina ou partido e continua a defendê-los pelo resto dos seus dias sem conceder nenhuma chance às hipóteses adversas. Existe senso da verdade ou amor à justiça no juiz que ouve apenas uma das partes?

Olavo de Carvalho